ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

1/28/2019

Tecnologia pode reduzir casos de glaucoma e trazer outros benefícios para a Saúde


O palestrante Pini Ben-Elazar apresentará plataforma inovadora e abordará o impacto de dispositivos móveis para a assistência no Global Summit Telemedicine & Digital Health

Pini Ben-Elazar estará no Brasil, de 4 a 6 de abril de 2019, discorrendo sobre várias inovações na Medicina. Ele é uma das estrelas do Global Summit Telemedicine & Digital Health, evento inédito no País e o maior do setor na América Latina, que ocorrerá, no Transamerica Expo Center, em São Paulo.

Entre as inovações digitais que abordará está o Preceyese, que é uma plataforma projetada para reduzir o risco do glaucoma, melhorando o tratamento por meio da detecção precoce, aperfeiçoamento de monitoramento e manejo. Esta doença pode causar cegueira e já afeta cerca de 900 mil pessoas no Brasil. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o glaucoma afetará 80 milhões de indivíduos no mundo inteiro em 2020.

O Global Summit trará outros importantes nomes, referências mundiais para discutir a nova era da Saúde Digital e o futuro da Telemedicina na profissão, tais como o médico-cientista, inventor e empreendedor Daniel Kraft, da Singularity University; o investigador e docente da Universidade Nova de Lisboa Luiz Lapão; e Frank Lievens, membro do conselho da International Society for Telemedicine & eHealth. Eles e diversos outros especialistas compartilharão suas experiências em nações de mercados mais maduros sobre inteligência artificial, machine learning, dispositivos vestíveis e outros temas relevantes e atuais.

Em sua conferência, Pini mostrará como dados de saúde gerados e armazenados de forma simples e em conjunto com médicos, profissionais e os próprios cidadão já solucionam demandas de atenção primária sem que as pessoas precisem sair de casa ou de suas comunidades.

O Preceyse é um desses exemplos. O especialista afirma que pode ser a solução para populações distantes, que não têm acesso à assistência de qualidade. Confira entrevista a seguir:

Quais são os objetivos do Preceyese?

Desenvolver um tonômetro caseiro para reduzir o risco do glaucoma e melhorar o tratamento da doença pelo diagnóstico precoce, monitoramento e manejo.

No geral, como você enxerga o papel das novas tecnologias no mundo da Saúde atualmente?

Os dispositivos  digitais, de uso doméstico, empoderam o paciente, deixando-o apto para monitorar e controlar sua doença. Dão a ele paz de espírito e o encorajam a agir, além de personalizarem o tratamento. Tudo isso ajuda na aderência ao tratamento e nos desfechos dos problemas de saúde. Essas tecnologias manterão a promessa de qualificar a saúde dos pacientes, balanceando seus custos, pois tratamentos personalizados, no tempo e níveis certos, previnem recorrências, gastos e usos desnecessários ao sistema de saúde.

Em muitos países, ainda há falta de cuidados com populações em áreas distantes e em periferias. Como a tecnologia poderia nos ajudar a resolver esse problema social?

O nosso tonômetro tem custo acessível e é desenhado para uso próprio e portátil. Não requer um perito para opera-lo. Essa tecnologia levará a habilidade para medir a pressão intraocular, que é o principal fator de risco para um glaucoma, para qualquer um, em qualquer lugar.


Quais os benefícios que tais tecnologias trazem para o sistema e as instituições de saúde, como hospitais, clínicas e laboratórios?

O apoio à prevenção da cegueira torna o cuidado mais eficiente e ajuda a manter os pacientes em um estágio mais barato da doença, diminuindo custos para os próprios pacientes, suas famílias, sistemas de saúde e a economia. Além disso, nossa tecnologia, por exemplo, vai gerar dados brutos sobre a pressão intraocular, a histerese e o comportamento da córnea, para fins de pesquisa e desenvolvimento.

Sobre Pini Ben-Elazar


É executivo de negócios com mais de 20 anos de experiência em liderança para mudanças e crescimento estratégico no setor de Saúde. Com MBA pela Johnson & Wales University, de Rhode Island (EUA), é diretor executivo da Mor desde 2003. Nesse período na companhia, foi responsável pela criação de 60 startups, nos campos farmacêuticos, de dispositivos médicos, diagnósticos e saúde digital.

Também tem trabalhado para criar colaborações com parceiros em todas as disciplinas do setor de Saúde, a fim de conduzir inovação e crescimento significativos para o portfólio da Mor. Antes da empresa, já atuou como diretor e presidente do conselho de outras 35. Fundou a Bio-Gal Pini, por exemplo, empresa biotecnológica que lida com mieloma múltiplo, e foi fundida com a XLT, de capital aberto. Ainda foi diretor executivo da ON Centros Médicos, modelo de franquias e empresas que resultou na abertura de 70 clínicas em 17 países, com 400 médicos empregados.
Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplicada e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Sem comentários:

Enviar um comentário

HOMENAGEM A ROBERTO LEAL

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil