ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

7 de novembro de 2018

Os amigos Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil e Maria Bethânia fazem shows de seus respectivos projetos em São Paulo

                                                                                        Foto: Daniel Teixeira/Estadão
 Renato Vieira

Gilberto Gil 

Oito anos depois do último álbum de inéditas, ‘Fé na Festa’, ele lança ‘OK OK OK’, que o cantor e compositor considera “o primeiro disco da velhice”. Aos 76 anos, Gil escreveu músicas reflexivas como a que dá nome ao trabalho, tratado sobre a cobrança de posicionamento do artista em relação a questões da atualidade. Há também canções dedicadas ao neto Sereno e à bisneta Sol de Maria. O show, que estreia em Belo Horizonte no dia 24/11, irá mesclar faixas de ‘OK OK OK’ a sucessos da carreira. Teatro Bradesco (1.457 lug). Bourbon Shopping. R. Palestra Itália, 500, Perdizes, 3670-4100. 29/11, 21h. R$ 100/R$ 240. Cc.: todos. Cd.: todos.

                                                                                               Foto: Amanda Perobelli/Estadão

Gal Costa 

Sucessor do bem-sucedido ‘Estratosférica’ (2015), ‘A Pele do Futuro’ tem sonoridade que lembra os melhores momentos da disco music internacional, intenção sinalizada já na faixa de abertura, ‘Sublime’ (Dani Black). A cantora também gravou compositores amigos que há muito estavam ausentes de seus discos, como Djavan e Gilberto Gil, e outros inéditos em sua voz, caso de Tim Bernardes, Paulinho Moska e Marília Mendonça. O show, dirigido por Marcus Preto, tem no repertório os clássicos ‘Oração de Mãe Menininha’, de Dorival Caymmi, e ‘Sua Estupidez’, de Roberto e Erasmo Carlos. Tom Brasil (1.800 lug.). R. Bragança Paulista, 1.281, Chácara S. Antônio, 4003-1212. 1/12, 22h. R$ 90/R$ 240. Cc.: todos. Cd.: todos.

                                                       Foto: Marcos Arcoverde/Estadão

Maria Bethânia e Zeca Pagodinho

A dupla volta a São Paulo com o show ‘De Santo Amaro a Xerém’, que deve ser lançado em CD e DVD até o fim do ano. No espetáculo, Bethânia e Zeca saúdam a nobreza do samba e suas raízes. O elo da aproximação dos artistas é ‘Amaro Xerém’, samba de roda que Caetano Veloso fez especialmente para o show. A apresentação conta com números coletivos e individuais, incluindo homenagens à Mangueira e à Portela. Em sua parte solo, Zeca mostra sucessos como ‘Verdade’ e ‘Coração em Desalinho’. Bethânia é mais abrangente, indo dos sambas-canção (‘Ronda’, ‘Negue’) aos sambas de boate, relembrando a dobradinha de ‘Pano Legal’ e ‘Café Soçaite’ que fez no álbum ‘Recital na Boate Barroco’ (1968). Credicard Hall (3.873 lug.). Av. das Nações Unidas, 17.955, S. Amaro, 4003-5588. 8/12, 22h. R$ 200/R$ 700. Cc.: todos. Cd.: todos.

                                                                    Foto: Jorge Bispo

Caetano, Moreno, Zeca e Tom Veloso

Caetano e seus três filhos continuam circulando o Brasil e o mundo com o show ‘Ofertório’, que gerou registro audiovisual. O roteiro entrelaça composições de todos, com espaço para as célebres ‘Alegria, Alegria’ e ‘Força Estranha’. A faixa-título é uma canção feita especialmente para a missa de 90 anos da mãe de Caetano, dona Canô. O show foi considerado pelo júri do Divirta-se o melhor de 2017. Credicard Hall (3.873 lug.). Av. das Nações Unidas, 17.955, S. Amaro, 4003-5588. 14/12, 22h. R$ 100/R$ 300. Cc.: todos. Cd.: todos.

in-cultura.estadao.com.br
Alda Jesus

Sobre a autora

Alda Jesus - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Sem comentários:

Enviar um comentário

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES
clique na imagem para ver os perfis