ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

9/05/2015

Views:

Fãs de Roberto Carlos entrevistados pelo Portal Splish Splash - NANDO CARLOS

A pensar nos milhares de fãs de Roberto Carlos, espalhados pelo Mundo, o Portal Splish Splash achou por bem auscultar a alma robertocarlística que por eles perpassa, dando início a uma série de entrevistas que, cremos, poderá de algum modo contribuir para uma melhor compreensão do motivo que leva tantos a admirar a obra de um cantor/compositor Brasileiro que ao comemorar 55 anos de carreira, não só consegue manter a fidelidade dos seus fãs que o acompanham desde o início da sua trilha poética e musical, como ainda, atrair muitos jovens que não conseguiram ficar indiferentes à obra daquele que, como disse o poeta, se mais mundo houvera lá chegara.

A seleção da série de entrevistas não obedece a nenhum critério relativamente a este ou àquele fã, foram obtidas por quem as irá publicar, ou seja, Armindo GuimarãesCarmen Augusta e Derbson Frota, de acordo com os contatos que possuem. Também a publicação, que acontecerá às terças-feiras e sábados, é aleatória, ou seja, não tem qualquer ordem em relação aos fãs. Todos eles admiram o rei Roberto Carlos e por isso todos nos merecem a mesma estima e a mesma consideração, independentemente de, muito naturalmente, podermos conhecermos melhor este ou aquele fã.

Nosso próximo entrevistado é o fã Nando Carlos, do Rio de Janeiro. Confira:

PORTAL SPLISH SPLASH - Como começou a gostar do NMQT Roberto Carlos?

NANDO CARLOS - Desde que nasci (risos). Minhas primeiras lembranças de ouvir Roberto foi em casa, com meu pai, ouvindo os discos de 1979 e outros que ele tinha. Essas musicas do LP de 79 foram as primeiras que comecei a ouvir e conhecer. Até então gostava apenas de ouvir os discos, mas só me tornei um fã mesmo com interesse de colecionar coisas a partir de 1986 quando eu tinha nove anos.

PSS - Você se considera um grande fã? Por quê?

NC - Sim, porque me identifico com as músicas, momentos da minha vida, etapas e fases que passei ao longo da vida ao som das musicas e muita coisa me influenciou no meu jeito de ser e de viver, e principalmente situações que vivi que eram iguais a muitas músicas, como por exemplo quando terminei um relacionamento. A música "Fera ferida" é praticamente a mesma história que vivi com uma pessoa.

PSS - Se estivesse numa ilha deserta com alguém especial, qual música do rei colocaria pra tocar?

NC - Numa ilha? Seria lógico a música "A ilha", composta por Djavan, para o disco de 1980. Essa música é linda!!
  
PSS – O que você coleciona de RC?

NC - Tudo aquilo que encontro onde vou: os LPs, CDs, tenho ainda alguma coisa em fita K7, revistas e de um tempo pra cá estou conseguindo aos poucos os LPs e CDs importados, além de pôsteres.
      
PSS – Você prefere a modernidade do CD ou ainda é adepto ao bom e velho LP? Por quê?

NC - Gosto dos CDs, são práticos pra algumas ocasiões, mas ainda continuo amando muito mais o LP, porque o visual, a arte das capas, o tamanho das fotos e o pôster, quando tem, é muito mais bacana. Gosto muito!!
     
PSS – Acredita que os LPs ainda podem voltar à mídia e ter destaque?

NC - Claro, e isso já está acontecendo. Sempre vejo matérias que fazem na TV e na internet sobre o assunto. O interesse principalmente pelos jovens tem crescido a cada dia que passa, e eu acho isso muito bom. Dou graças a essa volta triunfal do LP, que quando acabou aqui no Brasil em 1996 fiquei muito triste!
  
PSS - Roberto Carlos faz parte de sua vida? Como?

NC - Sim, praticamente todos os dias. Meu acervo é paparicado todos os  dias (risos),  no Facebook todo dia trocando informações e coisas a respeito dele, fazendo amizades com pessoas que também gostam e, é claro, isso vai virando uma bola de neve.

PSS - Cite uma história engraçada e/ou emocionante que já viveu relacionado ao rei Roberto.

NC - Bom, tem uma curiosa e até engraçada: uma vez em 1991, eu tinha uns 13 anos, aconteceu aquilo que a gente não espera num dia normal que é estar andando numa rua perto de casa e de repente olhar pra um terreno cheio de lixo  e achar um pôster todo dobrado do LP de 1987 que tem a musica "Tô chutando lata". Tava um pouco surradinho, mas levei pra casa todo bobo, dei uma restaurada nele e coloquei na parede do meu quarto. Ficou alguns anos comigo, mas depois não sei por que na época acabei jogando fora. É lógico que hoje em dia me arrependo muito (risos).
       
PSS - Uma música que você sempre põe no “repeat”:

NC - Ah, tem tantas! Uma que me veio a mente agora é "O gosto de tudo" de 1980. Linda! Mas tem outras também.
    
PSS - Muitas são as músicas do repertório do rei e muitas são aquelas que ele há muito não canta. Que música gostaria que ele voltasse a cantar?

NC - Tem uma que eu gosto muito que está no disco de 1976: "Você em minha vida". Essa seria legal e sei que muita gente gostaria de vê-lo  cantar.  

PSS - Se Roberto Carlos fosse almoçar em sua casa, o que prepararias?

NC - Bom, já que ele disse recentemente que voltou a comer carne, faria um belo bife com fritas, com certeza (risos).
   
PSS - Se fosse escolher para ouvir 10 músicas do rei, em ordem de preferência, quais seriam?
"Preciso lhe encontrar", "Eu disse adeus", "Palavras", "Un gato en la oscuridad", "Eu só tenho um caminho", "Por amor", "Abre las ventanas del amor", "La parolla addio", "Desenhos na parede" e "Onde anda o meu amor" são as dez preferidas que me vieram a cabeça agora.
  
PSS - Se tivesse a oportunidade de falar ao vivo com o rei, o que diria?

NC - Na hora não sei. Com certeza a emoção travaria a fala total (risos), mas diria "obrigado, Roberto, por você existir e fazer parte das nossas vidas como se fosse um parente querido nosso e também por ser um cara que se cuida e está aí até hoje bem vivo com muita saúde pra trazer emoção a todos nós".

NC - O rei possui em torno dele uma vasta equipe, desde os elementos que compõem a orquestra (RC9), aos elementos da administração, assessoria de imprensa e apoio logístico. Com certeza você simpatiza por alguns desses elementos por os conhecer ou já ouvir falar. Cite quais e por quê.

NC - Bom, posso citar o maestro Eduardo Lages, porque tem uma sintonia afinada com o Roberto no palco e fora do palco também. Já assisti a algumas entrevistas dele e o vejo uma pessoa bem simples e carismática também.
  
PSS - O que mais gosta na personalidade do rei?

NC - Ah, com certeza a sua simplicidade, seu jeito de ser que onde chega chama a atenção de todos pela sua humildade e simpatia. Admiro também o seu bom humor e mesmo tendo passado por tantos momentos difíceis ao longo da vida e ter conseguido se reerguer novamente. Isso não é pra qualquer um.
   
PSS - O que gostaria que o rei mudasse nos seus usos e costumes?

NC - Ah! Com certeza o estilo das capas dos seus últimos discos que são muito repetitivas. Tem gente que as vezes vê na loja e se confunde com outros CDs achando que já tem aquele pelo fato de achar a capa muito parecida com a outra.

PSS - Se tivesse que escolher uma frase robertocarlística do repertório do rei que mais se identificasse com você, que frase escolhia?

Tem uma que eu sempre posto no meu Facebook  e que me emociona muito que é da música "As baleias": "mudar seu rumo e procurar seus sentimentos, vai te fazer um verdadeiro vencedor." Cara, essa frase é tudo, é o meu lema que levo de vida. 

PSS - Responda à pergunta que não fizemos e que gostaria que lhe tivéssemos feito:


PSS - Você não me perguntou se já fui a algum show do Roberto. Sim, fui duas vezes: a primeira em 2002 no Aterro do Flamengo no RJ e a segunda no dia 25 de dezembro, na praia de Copacabana. Foi sensacional! 


Entrevista conduzida por
Derbson Frota

1 comentário:

  1. São entrevista lindas e emocionante,nosso rei merece todo esse carinho.Sempre me emociono!!!Parabéns a todos.......

    ResponderEliminar

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo