LightBlog
>

ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

5/12/2015

Fãs de Roberto Carlos entrevistados pelo Portal Splish Splash - OCENILDA SANTANA

A pensar nos milhares de fãs de Roberto Carlos, espalhados pelo Mundo, o Portal Splish Splash achou por bem auscultar a alma robertocarlistica que por eles perpassa, dando início a uma série de entrevistas que, cremos, poderá de algum modo contribuir para uma melhor compreensão do motivo que leva tantos a admirar a obra de um cantor/compositor Brasileiro que ao comemorar 55 anos de carreira, não só consegue manter a fidelidade dos seus fãs que o acompanham desde o início da sua trilha poética e musical, como ainda, atrair muitos jovens que não conseguiram ficar indiferentes à obra daquele que, como disse o poeta, se mais mundo houvera lá chegara.

A seleção da série de entrevistas não obedece a nenhum critério relativamente a este ou àquele fã, foram obtidas por quem as irá publicar, ou seja, Armindo Guimarães, Carmen Augusta e Derbson Frota, de acordo com os contatos que possuem. Também a publicação, que acontecerá às terças-feiras e sábados, é aleatória, ou seja, não tem qualquer ordem em relação aos fãs. Todos eles admiram o rei Roberto Carlos e por isso todos nos merecem a mesma estima e a mesma consideração, independentemente de, muito naturalmente, podermos conhecermos melhor este ou aquele fã.

A entrevista que se segue é com a fã Ocenilda Santana de Sousa , natural de Aracaju/SE e que reside atualmente na Bélgica.

PORTAL SPLISH SPLASH - Como começou a gostar do NMQT Roberto Carlos?

Ocenilda Santana: Eu virei fã do Rei, acho que desde que eu ainda estava no ventre de minha mãe, eu mal sabia pronunciar direito o nome dele, mas tenho a lembrança de que já em 1965, aos 5 anos em Aracaju, eu gostava de ouvir no rádio as canções do Rei da época,Quero que vá tudo pro ..." (1965), como o Rei, há muitos anos eu também não ouso dizer o título completo deste último clássico e "Namoradinha de um amigo meu" (1966). Só em 1968 e já morando na Bahia, é que meus pais compraram um televisor em preto e branco e eu vi pela primeira vez o Roberto, já no finalzinho de sua participação na Jovem Guarda. Desse dia em diante eu nunca mais deixei de seguir o Rei, mesmo antes de existir a Internet, eu vivia incomodando a família no Brasil para comprar revistas, gravar todas as reportagens e Especiais de Natal e mandar para mim. Depois da Internet, ficou melhor porque posso comprar tudo pela internet e acompanhar as notícias sobre o Rei no site oficial e através do Grupo Um Milhão de Amigos.

SS - Você se considera um grande fã? Por quê?

OS:  Não uma grande fã, mas a fã, a amiga, a companheira. Entre o Rei e eu, acontece uma história de fusão de pele mesmo, uma química, como naquela canção "O grude (um do outro)" do disco "Amor sem limite" (2000), ou seja "e que a gente não larga um do outro um minuto sequer". Acho que sou fã do Rei desde que era um simples feto, um embrião dentro da barriga da minha já amava o Rei com todas as forças do meu ser!
Na infância e adolescência, eu economizava o pouco dinheiro que recebia e quando recebia para comprar os pôsters dele e as revistas com matérias sobre ele. Em 2009, escrever uma carta para o endereço do Rei, dizendo-lhe que eu adoraria participar do Cruzeiro em 2010 com o meu companheiro para comemorar os meus 50 anos e também comemorar o encerramento das festividades dos 50 anos de carreira do Rei.

SS - Se estivesse numa ilha deserta com o (a) amado(a), qual música do rei colocaria pra tocar?

OS:  São tantas as canções do Rei que eu poderia cantar neste momento lindo, mas aqho que cantaria "Eu preciso de você" (1981), principalmente os versos desta estrofe :
"como a abelha necessita de uma flor, eu preciso de você e dese amor, como a terra necessita o sol e a chuva, eu te preciso e não vivo um só minuto sem você, mas eu preciso de você porque em toda a minha vida, nem por uma vez amei alguém assim, você é tudo é muito mais do que eu sonhei pra mim e é por isso que eu preciso de você!"

SS - Roberto Carlos faz parte de sua vida? Como?

OS: Em tudo, 365 dias por ano, dias úteis, fins de semana e feriados incluídos, 24 horas por dia, sete dias por semana, nas minhas aulas de Português Língua Estrangeira onde o karaokê com as canções do Rei faz parte das atividades lúdicas com os alunos ou no batizado de meu afilhadinho baiano (8 anos) que ao chegar aqui com 4 anos e meio, depois da morte da mãe, foi batizado aqui e o pai, belga, tendo aprendido o Português nas minhas aulas, convidou-me para ser a madrinha e organizar o batizado dele em francês e com as canções em Português. Não teve quem não se emocionasse na igreja, à medida que a tela mostrava as fotos da criança com os pais, a mãe (in memoriam) ouvia-se a canção do Rei, tendo a tradução em francês sido distribuída para os convidados que não percebiam o Português.
O meu companheiro que é belga também é fã do Rei e descobriu, primeiro, o Rei na voz da Kátia (Lembranças e Qualquer jeito) e hoje usa sempre as canções do Rei para ilustrar as fotos das férias.

SS - Cite uma história engraçada e/ou emocionante que já viveu relacionado ao rei Roberto.

OS: Vou citar algumas histórias engraçadas e ao mesmo tempo emocionantes:
A 10/12/1977, com 17 anos, contrariei pela primeira vez o meu pai (coisa que nunca tinha feito em minha vida), para ir ver o Rei pela primeira vez na reinauguração do Feira Tênis Clube em Feira de Santana no dia 10.12.1977 e no fim do show, eu consegui com muito choro a simpatia dos policiais que faziam o cordão de isolamento para o Rei passar e ficar entre eles e o Rei para ver o Rei de perto por alguns segundos passando em minha frente;
Em 1984: no show Emoções em Aracaju-SE: entrar pelos bastidores do Ginásio Constâncio Vieira em Aracaju-SE, para ir até o camarim do Rei lhe entregar um presente pelo aniversário comemorado 15 dias antes no Recife e aí a D. Neide de Paula chegou e comovida com as minhas lágrimas e deixou que eu ficasse nos bastidores com os músicos e o Eduardo Lages e quando o Rei passou, eu pude lhe entregar o meu presente e abraçar o meu Rei;
A 11/03/2006 no show "Pra Sempre," em Lisboa: peguei o avião em Bruxelas e fomos para Lisboa a fim de assistir o show “Pra Sempre”, dia 08 de março de 2006 e lá realizei meu sonho, depois de lhe entregar uma imagem de N. S Fátima e um tercinho azul, recebi uma linda rosa amarela que eu tenho comigo inteirinha  aqui. Esta rosa eu deixo em frente de minha cama e é a primeira imagem que vejo quando acordo e a última quando vou dormir. Eu fiquei num estado de choque que perdi até a voz quando recebi das mãos do Rei a linda rosa amarela que nem consegui dizer ao Rei que tinha vindo da Bélgica somente para vê-lo e tirar uma foto abraçadinha com ele.

SS – Como é ser fã de RC em um país como a Bélgica, de cultura tão diferente do Brasil?

OS: A cultura da Bélgica não é tão diferente da do Brasil, pois moro na parte de idioma francês (uma língua latina, como o Português). A música brasileira não é de todo desconhecida dos belgas, principalmente a Bossa Nova e nomes como Caetamo Veloso e Gilberto Gil. Mesmo antes da Internet, eu nunca deixei de acompanhar a carreira do Rei no Brasil. Apesar de o Rei ter gravado quatro músicas em Francês, primeiro idioma falado na Bélgica (além do Holandês e Alemão): À distância (C'est fini il faut se dire adieu), Os seus botões (Et puis tout commence), A guerra dos meninos (La guerre des gosses) e Solamente una vez (Ça ressemble à l'amour), aqui na Bélgica o Rei só é conhecido pelos imigrantes portugueses, italianos, espanhóis e dos países da América Latina.

SS – Da Europa, dá pra acompanhar a carreira de RC?

OS: Antes da Internet, eu contava com a ajuda da família no Brasil para poder comprar os discos do Rei, revistas, livros, etc. e ver os Especiais de Natal. Atualmente, graças à Internet e aos canais portugueses e brasileiros que tenho em razão da assinatura feita em Portugal, não preciso mais incomodar nem à família e nem aos amigos,. Compro tudo pelos sites da Livraria Saraiva ou Cultura e também quando não vou a Portugal, sempre tenho um aluno ou amigo que vem de lá e traz-me a encomenda. Graças aos amigos queridos, como o Menino Armindo Guimarães, eu fico sabendo muitas novidades da carreira do Rei, como por exemplo, soube em primeira mão qua já estavam a vender os bilhetes para a turnê do Rei em Portugal agora em maio, depois de um jejum de 9 anos sem show do Rei na Europa. Pude assim comprar o meu bilhete no setor VIP, bilhetes de avião e reservar o hotel a preço acessível. Queria aproveitar a ocasião para agradecer imenso ao Menino Armindo por ser o responsável por esta alegria.

SS - Coleciona algo do rei? Se sim, cite exemplo(s):

OS: Tudo oficial que sai no Brasil, eu compro, revistas, livros, toda a coleção em CDs, DVDs, tenho também em vinil, cassetes, vídeos, todos os Especiais do Rei em DVD. Antes do DVD, gravava em VHS. Os três filmes do Rei e mais o filme "Minha sogra é da polícia". Os festivais de San Remo (1968 e 1971). Gravo tudo que passa na televisão, como por exemplo, os desfiles de Carnaval (Unidos de Cabuçu, 1987) e da minha escola favorita, a Beija-Flor de Nilópolis (A simplicidade de um Rei, 2011), além do desfile das Campeãs (2011), o livro de poemas que o Rei escreveu para homenagear sua mãe no Dia das Mães (nos anos 1960), etc., etc., etc. Sem contar os pôsters, fotos, tanto cá na Bélgica como no meu apartamento no Brasil.

SS - Uma música que você sempre põe no “repeat”:

OS: Há muitas, mas vou citar duas que mexem mais comigo: "À distância" (1972) e "O encontro" (Pra sempre, 2003).

SS - Muitas são as músicas do repertório do rei e muitas são aquelas que ele há muito não canta. Que música gostaria que ele voltasse a cantar?

OS: Há muitas também, mas vou citar ”De tanto amor” (do disco de 1971), sempre que ouço esta música como aliás outras também, não consigo impedir que as lágrimas venham aos ollhos me lembrando da última cena do do filme “Roberto Carlos a 300 km por hora”, em que o Rei dá um banho de interpretação em que o personagem Lalo vivido por ele, após a alegria da vitória na corrida, vê a mulher amada, pegar o avião e partir para sempre, depois de cumprimentá-lo com um beijo pela vitória.

SS - Se Roberto Carlos fosse almoçar em sua casa, o que prepararias?

OS: O Rei adora mariscos ou frutos do mar, mas também quando começou a carreira ele adorava feijão com arroz. Acho que prepararia algo assim se estivesse no Brasil, mas morando na Bélgica, com certeza faria o prato nacional belga que são os "mexilhões com batatas fritas" e como sobremesa, como o Rei adora gelado ou sorvete, prepararia um sorvete de côco com calda de chocolate e brownie, este último sendo bastante servido nos famosos lanches servidos no Estúdio Amigo.

SS - Se fosse escolher para ouvir 10 músicas do rei, em ordem de preferência, quais seriam?

OS: O tempo vai apagar (O inimitável, 1968), De tanto amor (1971), À distância (1972), Jogo de damas (1974), Sonho lindo (San Remo 68, 1976), Você na minha vida (1976), Nosso amor (1977), Confissão (1980), Sabores (1984), Contradições (1985).

SS - Se tivesse a oportunidade de falar ao vivo com o rei, o que diria?

OS: Acho que lhe contaria toda esta minha história de amor por ele que acabei de contar aqui, em seguida, oferecer-lhe-ia uma rosa vermelha, como prova do “Meu Grande Amor” e terminaria declamando este acróstico que fiz para ele há alguns anos atrás, como presente de aniversário:

Acróstico para o Rei

Roberto, meu eterno Rei,
Onde quer que eu esteja, até
Bem longe do Brasil,
Eu sempre assim te chamarei
Rei da minha juventude,
Tantos anos te seguindo
Ou mesmo distante: sonho lindo!

Chorando contigo as tuas dores
Alegre com um pequeno riso teu
Rezo sempre a Deus por ti,
Luz da minha vida,
Onde quer que eu vá,
Sem a tua voz, como posso ficar?

Melhor nem imaginar...
Eu poderia até tentar
Um só minuto sem te ver.

A única coisa que poderia dizer,
Meu eterno amor, é que:
O meu exílio sem tua presença
Rimaria a um jardim sem flor!

Verviers (Bélgica), 19/04/2004
Ocenilda Santana de Sousa


SS - As músicas do rei não seriam a mesma coisa sem as respectivas letras. Independentemente da música, diga os títulos de três letras que mais a impressionam e porquê.

OS: “As flores do jardim da nossa casa”(do disco de 1969) , este é um título cheio de poesia e reflete o imenso amor do Rei pelo seu querido filho Dudu Braga, quando criança conhecido como Segundinho e o árduo combate para ver o filho curado do glaucoma congênito sofrido ao nascer;
“Debaixo dos caracóis dos seus cabelos” (do disco de 1971), mais um título de uma poesia ímpar que presta homenagem ao grande artista e compositor Caetano Veloso, na época, exilado em Londres;
“Lady Laura” (do disco de 1978), este é um título de uma sublime beleza em que o nosso querido e amado Rei presta uma homenagem à sua mãe enobrecendo-a e assim procedendo, ele o fez também com todas as mães.

SS - O rei possui em torno dele uma vasta equipe, desde os elementos que compõem a orquestra (RC9), aos elementos da administração, assessoria de imprensa e apoio logístico. Com certeza você simpatiza por alguns desses elementos por os conhecer ou já ouvir falar. Cite quais e por quê.

OS: Adoro toda a Equipe nota 1000 do Rei, mas nunca hei de esquecer a D. Neide de Paula (maquiadora do Rei), pois graças a ela em 1984, pude entregar um presente de aniversário ao Rei nos bastidores do Ginásio Constâncio Vieira, no show “Pra Sempre” realizado em Aracaju-SE.
Por outro lado, ao longo dos anos e graças às redes sociais, fiz amizade com a Lu e a Jurema, além do Cassol Junior, do Wellington, do Maestro Eduardo Lages e a equipe responsável pelo Site Oficial do Rei, em suma, todos são pessooas maravilhosas e à altura do nosso querido e amado Rei, pelo carinho com tratam todos os fãs.

SS - O que mais gosta na personalidade do rei?

OS: A sua simplicidade, o carinho e a doçura com que ele trata todos aqueles que têm o privilégio de encontrá-lo! Tudo em nosso querido e adorado Rei é expontâneo, sincero  e tudo isso faz com que ele seja ÚNICO!

SS - O que gostaria que o rei mudasse nos seus usos e costumes?

OS: Ele não precisa mudar em nada, eu amo o Cara tal qual é ele. Parto sempre do princípio de que quando amamos de verdade alguém, devemos aceitar esta pessoa como é, sem tirar nem pôr! Por que com o Rei deveria ser diferente?

SS - Se tivesse que escolher uma frase robertocarlistica do repertório do rei que mais se identificasse com você, que frase escolhia?

OS: “Você é tudo é muito mais do que eu sonhei pra mim e é por isso que eu preciso de você!”  (verso da canção “Eu preciso de você”, Roberto e Erasmo Carlos, disco de 1981),


Entrevista conduzida por
Derbson Frota
http://www.portaldosjornalistas.com.br/perfil.aspx?id=13530

6 comentários:

  1. Obrigada, amigo Derbson e Menino Armindo por me terem dado a honra de contar-vos a minha história de um amor fiel e de mais de 50 anos pelo nosso muito querido e amado Rei. Deus os abençoe! E nesta quinta-feira, dia 14.05.2015, vou reviver as emoções de rever o nosso querido e adorado Rei depois de um jejum de 9 anos sem shows dele em Portugal.
    Haja coração! Um grande beijinho.

    Ocenilda Santana de Sousa, Verviers - Bélgica

    ResponderEliminar
  2. Que lindo relato amiga Ocenilda Santana. Como é bom conhecermos um pouco mais das emoções trazidas pelas amigas as quais estreitamos laços de amizade. Você sabe do meu carinho e admiração por você. Roberto Carlos é tudo isso que vc relatou e nós fãs, cada vez mais nos unimos por termos os mesmos sentimentos em relação a RC. Lindo demais!!! Deixo aqui uma beijoka sabor RC para vc e todos os amigos do Portal Splishsplash. Torcendo por vcs no show que se aproxima...que os sonhos se concretizem.

    ResponderEliminar
  3. Que entrevista magnifica querida amiga Ocenilda!Comungo com VC este amor pelo Rei.Parabéns para VC e para equipe do Portal Splish Splash pela condução da entrevista.Bjs

    ResponderEliminar
  4. Obrigada pelas lindas palavras, amiga Rosemeire. O show do Rei em Lisboa foi só emoção! Só lamento que por razões de trabalho eu não tenha podido ficar para assistir os outros shows de Lisboa e do Porto. Beijos.

    ResponderEliminar
  5. Ola! Amiga Ocenilda,

    “Entre o Rei e eu, acontece uma história de fusão de pele mesmo...”

    Que palavras bonitas e cheias de carinho e muito amor pelo nosso querido Rei!

    Também, não seria por menos, não é mesmo, pois afinal vc recebeu ainda em vida intra-uterina, as benesses irradiantes daquele que veio pra disseminar o Amor entre os povos.

    Sua história acerca de sua relação com o Rei nos comoveu sobremaneira e gostaríamos de parabenizá-la por todos os sucessos que tem tido para estar bem perto dele, que a bem da verdade é o sonho de todo fã.

    Um abraço do amigo, Bottary


    ResponderEliminar
  6. Obrigada, amigo Bottary. Só um fã de verdade do Rei como é seu caso pode entender a força e os sentimentos de minhas palavras e de meu amor pelo Rei!

    ResponderEliminar

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo