ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

4/04/2015

"A Jovem Guarda influenciou tudo"


Adriane Mendes

Aos 68 anos de idade, Jerry Adriani comemora os 50 anos da Jovem Guarda e destaca a importância de valorizar a data. No show em Sorocaba, afirma estar fazendo a sua parte, com releituras de sucessos que se tornaram clássicos de sua carreira e de grandes ícones da música brasileira, como Roberto e Erasmo.

 Qual o maior legado da Jovem Guarda?

- A Jovem Guarda influenciou tudo. Todos os gêneros de música, desde rock até o sertanejo foram influenciados pelo movimento. Ela deu uma abertura para os jovens e deu origem a outros movimentos musicais.

Qual será a programação para a comemoração esse ano?

- Acredito que cada um vai fazer da sua forma. Vamos esperar ver se Roberto Carlos vai fazer alguma coisa no final do ano. A Jovem Guarda foi importante para ele, se ele fizesse alguma homenagem para o movimento, seria justo.

Atualmente o país passa por uma onda de protestos. Como eram encarados os problemas políticos e sociais pela Jovem Guarda, há 50 anos?

- Havia consciência política, mas naquela ocasião, nós estávamos no início de carreira. Como a gente não fazia parte de diretórios estudantis, a gente não fazia parte do movimento político. A Jovem Guarda encarou mais o movimento musical, que protestou a favor da liberdade e contra a caretice e o antiquado. Nós não éramos alheios, mas a coisa só tomou um vulto maior quando a Jovem Guarda terminou, em 1968, com o AI-5. 

O país teve vários ciclos musicais. O que vc acha do cenário musical de hoje?

- Hoje em dia existe muito material, principalmente na internet, mas nem sempre é bom. Às vezes, as coisas mais medíocres tem uma repercussão gigantesca e uma coisa bacana não faz tanto sucesso. Existe muita coisa boa que simplesmente não consegue ser vista. Vejo isso como uma complicação no cenário musical. É preciso investir muito nessa nova forma de divulgação.


Jerry Adriani comemora 50 anos da Jovem Guarda 

O cantor Jerry Adriani lotou a praça de alimentação do shopping Pátio Cianê, num show gratuito que aconteceu na noite de quinta-feira, dia 26. A apresentação fez parte da programação especial em comemoração aos 50 anos da Jovem Guarda.

Um dos momentos mais emocionantes do show foi o reencontro do cantor com o aposentado sorocabano João Vaz, de 79 anos. Jerry Adriani e Vaz trabalharam juntos por quatro anos numa loja de tintas em São Paulo. O cantor trabalhava na expedição e o aposentado na gráfica. Vaz contou que eles disputavam quem datilografava mais rápido e disse lembrar da festa que fizeram quando Jerry Adriani conseguiu gravar o primeiro disco, na década de 1960, quando ele saiu da loja para se dedicar à carreira de cantor. Ao ver o aposentado no show, Jerry parou de cantar para abraçar o aposentado e conversar com ele. 

Muito simpático com o público, o cantor ainda atendeu cerca de 50 pessoas para fotos e sessão de autógrafos após o show. 

Foto:Pedro Negrão

Sem comentários:

Publicar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo