Fãs de Roberto Carlos entrevistados pelo Portal Splish Splash - JÚLIO JOSÉ

A pensar nos milhares de fãs de Roberto Carlos, espalhados pelo Mundo, o Portal Splish Splash achou por bem auscultar a alma robertocarlística que por eles perpassa, dando início a uma série de entrevistas que, cremos, poderá de algum modo contribuir para uma melhor compreensão do motivo que leva tantos a admirar a obra de um cantor/compositor Brasileiro que ao comemorar 55 anos de carreira, não só consegue manter a fidelidade dos seus fãs que o acompanham desde o início da sua trilha poética e musical, como ainda, atrair muitos jovens que não conseguiram ficar indiferentes à obra daquele que, como disse o poeta, se mais mundo houvera lá chegara.

A seleção da série de entrevistas não obedece a nenhum critério relativamente a este ou àquele fã, foram obtidas por quem as irá publicar, ou seja, Armindo Guimarães, Carmen Augusta e Derbson Frota, de acordo com os contatos que possuem. Também a publicação, que acontecerá às terças-feiras e sábados, é aleatória, ou seja, não tem qualquer ordem em relação aos fãs. Todos eles admiram o rei Roberto Carlos e por isso todos nos merecem a mesma estima e a mesma consideração, independentemente de, muito naturalmente, podermos conhecermos melhor este ou aquele fã.

A entrevista que se segue é com o fã Júlio José, de Brasília. 

PORTAL SPLISH SPLASH - Como começou a gostar de Roberto Carlos?

JÚLIO JOSÉ - Em 1974 eu tinha apenas 5 anos de idade quando Roberto Carlos lançou a música EU QUERO APENAS. Aquele refrão "eu quero ter um milhão de amigos…" era a música mais bonita que eu conhecia. Em 1977 meu pai comprou uma vitrolinha philips de cor laranja (aquelas em que a caixa de som era a tampa da vitrola, lembra ?) e o Roberto havia lançado no ano anterior a música AMIGO. O meu primeiro disco foi justamente um Compacto que tinha esta música juntamente com JOVENS TARDES DE DOMINGO e o meu primeiro LP veio logo em seguida, o LP com a música EU QUERO APENAS que eu tanto queria. Em 1979 no meu aniversário de 10 anos ganhei o LP com as músicas mais bonitas que eu ouvia no rádio: FÉ, LADY LAURA e A PRIMEIRA VEZ. No mesmo ano comecei a aprender a tocar violão (na rua mesmo, sem professor) e, por coincidência, sem eu saber, a primeira música que aprendi foi E POR ISSO ESTOU AQUI do Roberto Carlos (aprendi com solinho da introdução e tudo o mais, chique, né ?). Pronto: sem eu mal saber quem era Roberto Carlos todos os discos que eu tinha e "todas" as músicas que eu sabia tocar eram dele. Daí em diante, fiquei fã e comecei a comprar revistinhas nas bancas com músicas do Roberto e ler sobre sua vida e obra. Nascia assim mais um súdito do Rei.

PSS - Você se considera um grande fã? Por quê?

JJ - Considero sim. Pela dedicação e respeito que tenho por ele. Por procurar divulgar sua obra da melhor maneira possível, respeitando suas ideias e privacidade. Pelo programa que apresento todos os sábados na Comunidade FM Gama desde 1996 (programa voluntário em rádio comunitária, onde não recebo um centavo sequer por isso). Pela primeira página exclusiva sobre ele na internet que fiz em 1997 quando a internet ainda “engatinhava” aqui no Brasil. Pelo conhecimento de toda sua obra e vida. E pela coleção de livros, revistas, fotos, CDs, DVDs, Blu-rays, etc.
 PSS - Se estivesse numa ilha deserta com a amada, qual música do rei colocaria pra tocar?
JJ - Sozinho em uma ilha deserta com a pessoa amada? Acho que CAVALGADA cairia muito bem, não é? (rsrsrs)
 
SS – Qual foi a emoção de ter sido a primeira pessoa a ter criado uma página virtual do rei, em 1997?

JJ - Foi uma emoção muito grande. Tinha um computador e assinei a internet (que era lenta e caía muito) e, a primeira coisa que fiz, foi entrar no “Cadê” (era o nosso “google” da época) e pesquisar por “Roberto Carlos”. A minha decepção foi ver que não tinha praticamente nada sobre ele ainda na internet, apenas algumas citações pequenas em um site ou outro, geralmente fora do Brasil. Então pensei comigo: “vou criar a primeira página do Rei na internet”. Então passei várias noites em claro pesquisando e fazendo a página (teve um dia que, quando pensei em ir dormir, o despertador tocou para eu levantar e ir trabalhar). Era tudo muito difícil, fiz todinha usando só o “word”, mas publiquei e, para minha surpresa, os acessos foram só crescendo. As primeiras pessoas a se cadastrarem no “fã-clube virtual” eram de fora do Brasil, entre eles, um padre mexicano. Foi muito legal!
 
PSS - Roberto Carlos faz parte de sua vida? Como?

JJ - Sim. Sempre fez. Quando criança, ainda com 9 anos, comecei a aprender a tocar violão e, sem saber, as primeiras músicas que aprendi eram dele. Suas músicas sempre me inspiraram a compor outras músicas e sempre relacionei suas canções a momentos de minha vida.

SS – E o maestro Eduardo Lages, é uma brasa, mora?

JJ - O Maestro Eduardo Lages é uma pessoa ímpar. Tem um coração enorme e é uma pessoa muito atenciosa e prestativa. Ele o grande responsável pela realização do meu sonho de encontrar com o Roberto Carlos no camarim.
PSS - Cite uma história engraçada e/ou emocionante que já viveu relacionado ao rei Roberto.

JJ - Tem várias, mas posso destacar a primeira vez em que fomos a um show do Rei. Foi em 18/08/1994. O show estava marcado para as 22h00 mas, pouco depois do meio-dia nós já estávamos na fila (só nós, eu e dois amigos). Levamos na mochila 9 sanduíches, 6 iorgutes, bolo e suco. E deixamos para comer assim que entrássemos no ginásio. Porém, quando sentamos, estava cheio de gente muito chique, todo mundo bem arrumado e ficamos com vergonha de tirarmos os lanches da mochila. Conclusão: ficamos com fome até o show acabar e, só quando fomos embora, já depois da meia-noite é que fomos comer o que levamos.

PSS - Coleciona algo do rei? Cite exemplo(s):

JJ - Se coleciono? Simplesmente tudo: músicas, livros, filmes, revistas, recortes de jornais, enfim, tudo o que é publicado sobre ele eu coleciono.

PSS - Uma música que você sempre põe no “repeat”:

JJ - Tem muitas: Come to me tonight, Do fundo do meu coração, Super herói, Como as ondas do mar, Fera ferida...

PSS - Muitas são as músicas do repertório do rei e muitas são aquelas que ele há muito não canta. Que música gostaria que ele voltasse a cantar?

JJ - O amor é a moda, Tente viver sem mim, Todos os meus rumos, Come to me tonight, It’s me again...

PSS - Se Roberto Carlos fosse almoçar em sua casa, o que prepararias?

JJ - Câmeras e microfone na casa inteira para registrar cada minuto... rsrsrsrs

PSS - Se fosse escolher para ouvir 10 músicas do rei, em ordem de preferência, quais seriam?

JJ - Muito difícil... muito difícil mesmo... não consigo... são muitas músicas que considero favoritas. Certa vez tentei fazer uma seleção com as que eu mais gostava eliminando ao máximo, mesmo assim não consegui um número menor que 50. M

PSS - Se tivesse a oportunidade de falar ao vivo com o rei, o que diria?

JJ - Diria pra ele gravar mais músicas novas, lançar as inúmeras gravações que ele gravou e nunca lançou. Gravar as músicas que fez e não gravou.  

PSS - As músicas do rei não seriam a mesma coisa sem as respectivas letras. Independentemente da música, diga os títulos de três letras que mais o impressionam e porquê.

JJ - Fera ferida = pois é uma metáfora sensacional sobre o fim de um amor;
- O Divã = onde ele, de forma discreta, conta detalhes de um momento muito triste em sua infância mas que, só quem sabe da história é capaz de perceber (“relembro bem a festa, o apito e na multidão um grito, o sangue no linho branco...”). Letra inteligentíssima.
- Debaixo dos caracóis dos seus cabelos = durante muitos anos o verdadeiro significado da música ficou escondido. Simplesmente sensacional.

PSS - O rei possui em torno dele uma vasta equipe, desde os elementos que compõem a orquestra (RC9), aos elementos da administração, assessoria de imprensa e apoio logístico.Com certeza você simpatiza por alguns desses elementos por os conhecer ou já ouvir falar. Cite quais e por quê.

JJ - Eduardo Lages e Simone Lamounier, por serem pessoas atenciosas e prestativas.

PSS - O que mais gosta na personalidade do rei?

JJ - Seu carisma e determinação

PSS - Se tivesse que escolher uma frase robertocarlistica do repertório do rei que mais se identificasse com você, que frase escolheria?

JJ - “Quem me dera que as pessoas que se encontram, se abraçassem como velhos conhecidos, descobrissem que se amam e se unissem na verdade dos amigos...” (Pensamentos, 1982)


Entrevista conduzida por
Derbson Frota
Derbson Frota

Sobre o autor

Derbson Frota - Professor, blogueiro, jornalista, radialista, cordelista e wikipedista, é graduado em História e especialista em Mídias na Educação e em Informática e Comunicação na Educação. Redator do Portal Splish Splash desde 2014. Leia Mais sobre o autor...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário