Quando você não está aqui! - Ao som de Eduardo Lages



Portal Splish Splash


Quando você não está aqui!

(Ao som de Cavalgada do maestro Eduardo Lages)


A noite é sombria e escura...
O ruído noturnal é denso e tenebroso...
As paredes parecem infinitas em sua altura...
O quarto é sufocante e torna-se diminuto...
As sombras se locomovem de um lado para o outro...
Por quê?
Por que você não está aqui!

A treva noturna parece interminável...
Os galhos batem violentamente à janela...
O vento dá golpes em minha face de forma amena e gélida...
O ar me causa asfixia...
Só consigo respirar tuas lembranças...
Porquê?
Por que você não está aqui!

O dia chegou, a janela abriu-se...
O sol é obscuro...
O canto dos pássaros é lamuriento...
O sabor do café é insípido...
O bom-dia das pessoas torna-se em mau-dia...
Por quê?
Por que você não está aqui!

A rua parece deserta, mesmo observando várias pessoas...
Meu caminho é infinito...
O verde das árvores parece negro...
O céu está em tom azul-acinzentado...
O arco-íris tornou-se sem cor...
As gotículas que caem das nuvens tornaram-se picadas...
Por quê?
Por que você não está aqui!

O som das canções é semelhante aos tons fúnebres...
Meus ouvidos não captam mais notas musicais relaxantes...
Meus lábios não emitem mais um sorriso...
Minha boca não mais exprime uma só palavra...
Minhas narinas não conseguem absorver nada odorante...
Por quê?
Por que você não está aqui!

Tornei-me um analfabeto, pois as letras tornaram-se indecifráveis...
Transladei-me a um deserto sem sol e areia...
No lugar do sol, encontrei a dor...
E no lugar da areia, encontrei a solidão...
Ajoelho-me ao chão, levanto minhas mãos aos céus...
Pronuncio gritando a única palavra que ainda não esqueci...
Teu nome... teu nome...
Sabe por quê?
Por que você não está aqui!

Se você estivesse aqui, tudo seria diferente...
A água teria sabor...
O vento teria aroma...
No arco-íris eu encontraria o pote de ouro...
Eu inventaria uma oitava nota musical para compor uma canção para você...
Eu criaria uma nova cor para colorir o céu...
Eu idearia um novo sabor para o teu paladar...
Eu produziria uma fragrância de todas as flores e rosas só para ti...
Eu viveria até os cem anos, só para te amar mais...
Sabe por que eu não faço tudo isso?
Por que você não está aqui!



    Comentários

13 comentários :

  1. Olá maninho!

    Maravilha de vídeo!
    As palavras de Eudivan,ao som de Cavalgada, com nosso Maestro ao piano, e a sua perícia em fazer vídeos, só podia dar essa maravilha.

    Parabéns Eudivan pelo poema!
    Parabéns maninho, pela beleza do vídeo!

    Beijos,
    Carmen Augusta

    ResponderEliminar
  2. mas, estarei para sempre ai ............onde tudo ficará para melhor para nós, eu diria com todas as letras a esse lindissimo poema ou ao autor do poema , emocionante e inesquecível verdadeiramente toca no fundo do meu coração.

    Faradib

    ResponderEliminar
  3. Olá meu querido amigo Eudin!

    Mais uma vez você vem nos presentear com um belo poema ao som das canções de Eduardo Lages. Pelo que tens demonstrado aqui uma parte de sua obra, é de riquíssima qualidade, atendendo a sua capacidade de criar, e repassar para o papel o poder imaginário que como me dissestes, basta uma caneta uma folha e olhar para o mar de Camocim. Gostei de ter ouvido isso!

    E eu agradeço por teres informado-me, dos outros escritores famosos que a cidade possui e você já está preparado para assumir o posto de mais um escritor de Camocim. Vou esperar pelo seu livro que ao publicar nos avise e se vieres fazer também aqui em Fortaleza, faço questão de está presente para comprar sua obra e poder prestigiar seu trabalho e deliciar-me com seus textos exuberantes.

    "Quando você não está aqui" ao som de Cavalgada, está perfeito, lindo e demonstra que já estás preparado para fazer parte da Academia de Letras de Camocim, se é que existe, não lembro se me dissestes.

    Parabéns meu conterrâneo! Eita terrinha de gente inteligente esse nosso Ceará, não é mesmo Eudin? Rsrsrsrs.

    Um grande beijo da amiga.

    Mazé Silva

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. Olá Amigos e em especial a Amiga Mazé Silva. Fico muito feliz com vossas palavras, pois elas me incentivam e me inspiram ainda mais a visitar o meu calabouço imaginário carregando em minhas costas minha mochila, minha caneta, meu bloco de anotações e imagens da minha bela Camocim, sem deixar de lado minha fonte de inspiração ainda mais preciosa, minha esposa e filha. Ainda não me considero um grande escritor, pois sou apenas um pequeno aprendiz de escrevinhador. Obrigado mais uma vez a todos pela força e pelas belíssimas palavras.(Eudin)

    ResponderEliminar
  6. O Eudivan, disse:

    “…não me considero um grande escritor, pois sou apenas um pequeno aprendiz de escrevinhador.”

    E eu, digo:

    Depois do que aqui escreveu o Feradib acerca do poema do Eudivan “...eu diria com todas as letras a esse lindissimo poema ou ao autor do poema , emocionante e inesquecível verdadeiramente toca no fundo do meu coração.”, se o Eudivan diz que é um aprendiz de escrevinhador, então eu não sei o que é um grande escritor ou um grande poeta.

    Abraços

    ResponderEliminar
  7. Ilustre Poeta, Eudivan Teixeira

    Que poema maravilhoso!

    Que imagens lindas, vc plasmou em sua mente!

    Fiquei imaginando-as, cenas por cenas, na medida em que fui lendo todas suas passagens citadas.

    Esta é uma das verdadeiras provas e declarações de amor, tendo em vista que tudo seria tão diferente, não é mesmo Eudivan, se lá ela estivesse.

    Não sei se estou muito certo com a literatua, mas lembrou-me um pouco do Shakespeare.

    Ressalto que ao som do Maestro, o toque foi excepcional, na medida em que se mescla som do piano, com o poema em si, numa simbiose de amor e paixão.

    Acrescento que vc deve sim, meu caro poeta, considerar-se um escritor nato, porquanto este seu poema é o reflexo de alguém com alma de um deles. Eu quis dizer, de vc mesmo, ok?

    Se me permitires um trocadilho, com todo o meu respeito, eu diria que não poderia abraçá-lo pelo belo poema.

    Na verdade, não poderia, " porque vc não está aqui!"

    Um grandioso abraço!
    Amigo Bottary

    ResponderEliminar
  8. Ola! Eudivan!

    Repare no horário, pois enquanto eu escrevia daqui, no mesmo momento, do outro lado do
    Atlântico, o Armindo, nosso ilustre patrão+zinho, também escrevia, o mesmo pensamento, porquanto, há sensatez no que falamos a seu respeito.

    Abraços!

    ResponderEliminar
  9. Quanto mais leio e ouço mais amooooo ....

    ResponderEliminar
  10. Eudivan:

    Olha só o que alguém escreveu aqui:

    "Se me permitires um trocadilho, com todo o meu respeito, eu diria que não poderia abraçá-lo pelo belo poema.
    Na verdade, não poderia, " porque vc não está aqui!"

    E esse alguém é o Bottary, que eu antes do seu nome costumo acrescentar "Grande".

    E não digo mais nada...

    Grande abraço, Eudivan. Manda mais!




    Se me permitires um trocadilho, com todo o meu respeito, eu diria que não poderia abraçá-lo pelo belo poema.

    Na verdade, não poderia, " porque vc não está aqui!"

    ResponderEliminar
  11. Caro Amigo Armindo; grande Amigo Bottary; notável amigo Faradib... SINCERAMENTE? sem palavras, confesso que solucei, engasguei e chorei, mas lágrimas? elas teimaram em rolar em meu rosto, pois apesar da minha corpulência sou sensível as palavras, sensível em amá-las e ouví-las, principalmente vido de sumidades como vocês... Muito Obrigado pelas palavras belazes... Olha! Sou não dou um abraço em vocês, "porque vocês não estão aqui"! Mas sintam-se abraçados por mim através do poema "ABRAÇA-ME!" Eudin

    ResponderEliminar
  12. O poema Quando você não está aqui, é tocante como o Soneto da Fidelidade, verdadeiramente lindíssima Declaração de Amor inesquecível eu amo-o sempre ,cada segundo mais e para sempreeee.......

    Faradib

    ResponderEliminar
  13. O Faradib tem razão. Este soneto do Eudival é de facto impressionante. A inspiração do Eudivan para este soneto baseou-se na música “Cavalgada” do maestro Eduardo Lages e como essa é a minha música eleita do Roberto Carlos (se é que podemos eleger esta ou aquela música do Rei), a minha ideia inicial para a criação do vídeo, designadamente para a escolha das respectivas fotos, era uma. Porém, o que aconteceu é que deixei-me envolver mais pelo soneto do que pela música e por isso o resultado do vídeo foi o que se pode ver. Provavelmente alguém faria melhor do que eu, até porque não sou um expert na matéria, mas o que é certo que ao abstrair-me da música a favor do soneto o resultado foi abstracto como abstracto é muitas vezes o amor.
    Mais uma vez os meus parabéns ao Eudivan, esse grande Poeta que o Splish Splash teve a sorte de descobrir.
    Abraços

    ResponderEliminar