Rinomodelação pode ser perigosa e causar necrose no nariz

Do Texto: O médico também lembra que, mesmo quando o procedimento dá certo, ele não é definitivo. “O ácido hialurônico é absorvido com o tempo, o que faz perder

Médico.


Área muito vascularizada, parte inferior do nariz tem suprimento abundante de sangue, como mostrou o estudo publicado na Plastic and Reconstructive Surgery...

São Paulo – 09/01/2023 - Talvez você não possa imaginar o quanto o nariz é uma região vascularizada, com abundante suprimento sanguíneo, mas foi isso que mostrou um estudo recente da Plastic and Reconstructive Surgery , que mostrou realmente a implicação disso em procedimentos estéticos não invasivos no nariz, como a rinomodelação. “As pessoas acreditam que, por ser um procedimento menos invasivo, a rinomodelação, técnica que utiliza injeções de ácido hialurônico para preencher e modelar o nariz, seja mais segura que uma cirurgia de rinoplastia. No entanto, notícias recentes de complicações e esse estudo mostram que a rinomodelação é um procedimento que pode ser mais perigoso e causar necrose no nariz”, alerta o cirurgião plástico Dr. Paolo Rubez, membro da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS) e da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica (ASPS). “Além disso, qualquer técnica invasiva no nariz deve ser sempre feita por profissionais médicos para evitar complicações e, se houver, para que a conduta de tratamento seja iniciada o mais rápido possível”, acrescenta o médico.

Segundo o médico, um dos maiores perigos é a necrose de pele, que acontece quando o produto (ácido hialurônico) é injetado dentro de alguns vasos sanguíneos que irrigam o nariz ou quando há uma grande injeção de produto que comprime os vasos. “Quando isso acontece, a pele e os tecidos começam a “morrer”. A região afetada fica inchada, esbranquiçada e, em alguns casos, com bolhas. A pessoa geralmente sente dor intensa no local. Se a obstrução do vaso não é tratada rápida e corretamente ela evolui para necrose da região com escurecimento e “morte” dos tecidos”, alerta o médico. “Além disso, infecção local também pode ocorrer”, acrescenta.

Para o estudo detalhado da vascularização local, os pesquisadores realizaram dissecções em 40 cadáveres. O nariz tem um suprimento sanguíneo abundante das artérias em ambos os lados da face, segundo o estudo. Sua vascularização é derivada principalmente das artérias nasal lateral, nasal dorsal e columela. “Este estudo é importante para entender a anatomia da região e prevenir complicações. Mas ainda assim é arriscado que o uso de preenchedores no nariz causem complicações, até porque a anatomia não é idêntica em todas as pessoas e existem as variações anatômicas”, diz o médico.

O estudo diz que a oclusão da artéria facial ou artéria nasal lateral durante injeções com ácido hialurônico seria o pior cenário que poderia causar extensa necrose do nariz inferior e outras áreas faciais, como bochecha e testa. “Em casos de necroses mais graves, o nariz precisa ser reconstruído com outros tecidos do rosto, acrescentando cicatrizes na face e sem um resultado estético adequado, na medida em que se torna uma cirurgia reparadora”, acrescenta o médico.

O médico também lembra que, mesmo quando o procedimento dá certo, ele não é definitivo. “O ácido hialurônico é absorvido com o tempo, o que faz perder o efeito estético. Além disso, a rinomodelação não é uma substituta da rinoplastia, já que é um procedimento mais limitado, sendo geralmente indicada para pacientes com pequenas assimetrias e imperfeições no nariz. Ela também só é indicada para narizes que precisam de aumento, na medida em que não é possível reduzir as estruturas com o produto. Outra limitação é sobre a parte funcional, que não pode ser tratada neste caso, e pode até ser piorada dependendo da quantidade de produto e local em que é aplicado”, finaliza o Dr Paolo.

                                                                         💢💢💢

*DR. PAOLO RUBEZ: Cirurgião plástico formado pela UNIFESP, é membro da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS), da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica (ASPS) e da Sociedade de Cirurgia de Enxaqueca dos EUA. Dr. Paolo Rubez é Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina da UNIFESP. O médico tem 8 Observerships com o Dr. Bahman Guyuron em Cirurgias Plásticas Faciais, em Cleveland – EUA. É idealizador do Migraine Surgery Academy, que ensina e estimula cirurgiões plásticos de todo mundo a realizarem as cirurgias de enxaqueca a fim de beneficiar mais pacientes com o tratamento. Instagram: @drpaolorubez

 

Também pode ler:
Tags

Enviar um comentário

0 Comentários
* Gostou do que leu, viu e/ou ouviu? Então, para completar, só falta o seu comentário. Se não gostou, comente também. O autor agradece.

buttons=(OK!) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !