LightBlog
>

ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

6/28/2020

Psoríase gera impactos psicológicos, principalmente quando associada a outras doenças, aponta estudo


De acordo com pesquisa publicada no começo de junho na revista médica JAMA Dermatology, pacientes com psoríase costumam sofrer mais com problemas como ansiedade e depressão, risco que ainda é aumentado quando a condição está associada a outras doenças, como obesidade e diabetes.

São Paulo – 26/06/2020 - Devido à pandemia do Coronavírus, estamos vivendo em isolamento social e, consequentemente, estamos mais estressados devido as mudanças na rotina e nos expondo menos ao sol, fatores que podem contribuir para o aparecimento de algumas doenças de pele, como a psoríase. “Causada por fatores genéticos e agravada pelo estresse, falta de exposição solar e outros agressores ambientais, a psoríase é uma doença autoimune e crônica caracterizada pelo surgimento de lesões descamativas e avermelhadas na pele”, explica a Dra. Paola Pomerantzeff, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Além disso, de acordo com um estudo publicado em junho na revista médica JAMA Dermatology, os sintomas da psoríase na pele ainda podem causar grande impacto na saúde mental do paciente.  “Apesar de ser uma doença benigna e não contagiosa, a psoríase pode gerar um impacto significante na qualidade de vida e na autoestima do paciente, atrapalhando-o tanto fisicamente, quanto psicologicamente e socialmente”, destaca a médica. Segundo a pesquisa, os sintomas cutâneos da psoríase podem aumentar em 32% o risco de doenças mentais causada por sintomas de pele, como depressão e ansiedade, podendo levar até mesmo ao suicídio.

Realizado entre 2017 e 2019 com dados de 100 mil pacientes com psoríase, o estudo também mostrou que que o impacto da psoríase na saúde mental dos pacientes é ainda maior quando associado a outras doenças, como sobrepeso, diabetes e problemas cardiovasculares, aumentando em 109% o risco do surgimento de doenças mentais. “Estudos anteriores já haviam apontado que pessoas com psoríase sofrem mais com outras doenças e problemas mentais do que indivíduos que não têm psoríase. Esse novo estudo, além de confirmar esse fato, também investigou de que forma os sintomas cutâneos da psoríase associados a essas outras doenças afetam a saúde mental, chegando à conclusão de que, apesar dos sintomas que surgem na pele possuírem impacto importante no psicológico do paciente, a psoríase é ainda mais danosa à saúde mental quando associada a outras doenças”, completa a especialista.

Segundo a Dra. Paola, o estudo é fundamental para mudar a forma como a psoríase é atualmente tratada. “O estudo incentiva médicos e pacientes com psoríase a discutirem mais sobre os sintomas que vão além da pele, tanto físicos quanto mentais”, diz. Além disso, a pesquisa também ressalta a importância do atendimento holístico ao paciente. “É necessário que o tratamento inclua a terapia dermatológica tradicional associada ao acompanhamento psicológico do paciente para tentar evitar o surgimento de condições como depressão e ansiedade.”

Entenda e previna a psoríase – De acordo com a Dra. Paola Pomerantzeff, a psoríase é uma inflamação causada por uma agressão dos anticorpos aos queratinócitos, células responsáveis por formar a barreira protetora do tecido. Como resultado, há uma proliferação exacerbada dos queratinóticos, com consequente formação de crostas. Afetando cerca de 2% da população mundial, a psoríase não tem cura e, logo, acompanha o paciente durante toda a vida. Por isso, é importante investir em alguns cuidados para evitar o surgimento e piora da condição. Por exemplo, durante esse período extremamente estressante, deve-se investir em cuidados que visem o gerenciamento da tensão emocional. “É importante ter uma alimentação saudável e balanceada, aumentar a ingestão de líquidos, dormir bem e com qualidade e praticar exercícios físicos regularmente mesmo dentro de casa. Tudo isso com o intuito de trazer relaxamento, bem-estar e o controle do estresse”, recomenda a dermatologista.

É interessante também que você procure se expor ao sol com segurança mesmo durante esse período de isolamento social. “A exposição segura ao sol é capaz de prevenir a psoríase e aliviar os sintomas da doença, pois a radiação solar possui efeitos anti-inflamatórios e imunomoduladores no controle da psoríase e é fundamental para a manutenção de um sistema imunológico saudável”, explica a Dra. Paola. Por fim, a especialista lembra que uma rotina diária de cuidados com a pele, principalmente no que diz respeito a hidratação, também é indispensável para prevenir a piora de quadros de psoríase.

DRA. PAOLA POMERANTZEFF: Dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), tem mais de 10 anos de atuação em Dermatologia Clínica. Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina Santo Amaro, a médica é especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira e pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, e participa periodicamente de Congressos, Jornadas e Simpósios nacionais e internacionais.http://www.drapaola.me/

Sem comentários:

Publicar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo