ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

3/05/2020

PLASTICUS - Um espetáculo de teatro por um oceano limpo - 14 Março


A RUGAS - Associação Cultural, a partir de um personagem de um livro de Rute Sousa, Takumi, criou o espectáculo Plasticus para promover sensibilização ambiental por um oceano livre de Plástico.

O Plástico está a invadir o nosso planeta.
O que podemos fazer para evitar o excesso de lixo plástico ? 
Que futuro queremos deixar às futuras gerações?

Estas são perguntas que a companhia se colocou para dar forma e vida a esta criação artística, dirigida à infância e famílias, que reflete sobre essa entidade que está por todo o lado e se reproduz a uma velocidade muito maior que qualquer ser vivo.

Uma "conferência" em forma de jogo teatral vai levar o público a uma reflexão mais atenta e além do problema, é lançado o desafio de propor recomendações de ações que todos podemos fazer por um planeta sem plástico.

Plasticus estreia dia 14 de Março, com entrada livre, pelas 16:00h no Centro Cultural Olga Cadaval, no Auditório Acácio Barreiros.


Dois cientistas-especialistas, não sabem bem o que estão ali a fazer. Pensam que estão numa conferência sobre astronomia e gastronomia, até se aperceberem que não é esse o assunto da conferência.

Com recurso ao teatro, à contação de histórias, manipulação de objetos e marionetas, e, acima de tudo a uma personagem muito importante, Takumi, vão conseguir pensar e falar sobre este assunto e terminar esta conferência, porque o assunto... Sobre esse, ainda há muito a fazer...

Ficha técnica e artística:
Coordenação de Projeto: Patrícia Cairrão 
Texto: a partir de Takumi de Rute Sousa
Direção e Criação: Ricardo G. Santos
Interpretação: Niza Eliziário | Nuno Moniz
Cenografia | Figurinos: RUGAS
Criação de Adereços: Nisa Eliziário
Sonoridades: Nuno Moniz 
Produção: RUGAS
Apoios: Câmara Municipal de Sintra, Associação Depois

Sobre a RUGAS
É uma estrutura cultural fundada em 2015, com sede no concelho de Sintra.
O seu caminho medeia-se entre a pesquisa, reflexão, diálogo, participação e relação com o mundo atual.
Viaja pela criação performativa multidisciplinar em que a formulação artística e intervenção social se desenvolvem individualmente, ou contaminam e harmonizam.
Desde a sua fundação, a RUGAS conta com várias coproduções e criações para público em geral; para a infância e famílias.
No âmbito das práticas artísticas comunitárias tem vindo a desenvolver projetos inter-e-multigeracionais, com intervenientes profissionais e não profissionais, desde a infância a comunidades seniores.
Na sua ótica de trabalho em rede e multiplicidade de públicos, tem desenvolvido parcerias com as Câmaras Municipais de Seixal, Elvas, Oeiras, Sintra, Alto Comissariado para as Migrações, e coproduções com vários coletivos de teatro nacionais e internacionais.

Sem comentários:

Enviar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo