ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

5/16/2019

O Coronel que continua a ser Capitão


Na verdade, tenho sido surpreendido (pela positiva, adianto desde já), com declarações feitas no facebook, ao cabo a rede social que nos tem levado a reencontrar velhos amigos espalhados pelos quatro cantos do mundo, o que tem sido uma constante nos últimos tempos. Em alguns casos, até ficamos arrepiados, quer pelas pessoas em si quer pelas declarações que colocam, não esquecendo outro facto sobremaneira importante, isto é, as imagens. E tanto que se diz que uma imagem vale mais do que mil palavras.

Ora, dentro deste contexto, ao dar mais uma passagem pelas minhas fotos (lá estão quase quatro mil, incluindo as repetidas), deparei-me com uma recente frase a qual me levou a alinhavar este escrito. Frase que foi colocada numa foto do Sport Club Angrense (categoria de seniores), que remonta ao ano de 1977, era eu então treinador-adjunto. Mais tarde, havia de ser treinador principal, tendo, para o efeito, estagiado no Benfica com a dupla John Mortimore - professor Rui Silva. Mas vamos ao que mais interessa concretamente a história em si, protagonizada por uma jovem residente em Lisboa e que eu conheci durante a sua infância na ilha Terceira (Base Aérea 4).

Óbvio que chamo de jovem atendendo à nossa diferença de idades. Hoje já é uma senhora, na exata medida em que passaram muitos anos. Seu nome é Sofia Reis e ao ver a foto do Angrense, na qual Fernando Lopes está ao meu lado, fez este comentário: "olha o meu pai, Capitão Lopes". Desde logo cogitei no seguinte: está igual a muitos outros que continuam a chamar-lhe Capitão Lopes. Mas, à primeira vista diríamos que Sofia Reis "despromoveu" o pai que, como se sabe, passou à reserva com a patente de Coronel. Será que ela também não consegue perder o hábito de lhe apelidar de Capitão Lopes? Não deixa de ser interessante. Por outro lado, não acreditamos que, na casa de Fernando Lopes, os filhos ao entrarem batem uma continência, com aquela frase tão rotineira dos militares: "dá licença, Coronel Lopes?". Muitos anos hão-de passar (com ele vivo ou não) e para muitos amigos e conhecidos continuará a ser o Capitão Lopes. Ainda bem que, na sua aposentadoria, aufere pensão como Coronel

Mas cuidado Coronel com as manobras da troika em relação aos aposentados.  Eles são capazes de tudo. É por estas e por outras que vou deixar aqui o alerta aos filhos, amigos e conhecidos: por favor, deixem de chamar Capitão a Fernando Lopes. Um abraço, Coronel!

Carlos Alberto Alves

Sobre o autor

Carlos Alberto Alves - Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Colabora semanalmente no programa Rádio Face, da Rádio Ratel, dos Açores. Leia Mais sobre o autor...

Sem comentários:

Enviar um comentário

MÚSICA LUSÓFONA

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil