ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

12/14/2018

Etimologia da linguagem imperial


Linguagem de Gran Abuelo

Um dos primeiros documentos literários escritos em português que temos registrados foi produzido por Paio Soares de Taveirós, em homenagem à ribeirinha Maria Ribeiro.  O texto de meados de 1198 é considerado o marco inicial da literatura portuguesa, já que na época havia um predomínio da língua falada. De lá para cá, a língua portuguesa passou por diversas mudanças. Palavras ganharam outras grafias, fonéticas mudaram, assim como alguns significados e sinônimos.

Para compreendermos melhor como foi um período histórico, é necessário entender a linguística da época. Somente com essa compreensão é possível assimilar por inteiro todo um contexto e temporalidade.

Buscando resgatar a importância do período regencial e do Segundo Reinado brasileiro, o escritor M.R Terci apresenta na obra Imperiais de Gran Abuelo, uma excêntrica jornada de um grupo de soldados imperiais. A narrativa, que se passa em meados de 1880, é dotada de um modelo linguístico diferenciado do uso cotidiano, mais especificadamente a linguagem utilizada pelos soldados, o que permite uma imersão por completo no período. Nesta perspectiva, insere-se a língua numa função instrumental, ou seja, constitui-se como recurso humano para estabelecer a relação temporal.

- Não sei, Ceroulas, a prenda da capital tem-me feito pressão – resmungava Mosquito. – Sinhazinha quer contrair casório.

- Ah, desmiolado! Se casamento fosse coisa boa, não seria contraído da maneira como bom soldado haverá de contrair a malária ou a gota! – emendava o cabo-adjunto. – Mas tu fazes o seguinte... pergunte ao sargento.

- Penso em ser enterrado com esta arma, sabe Gancho? – falava Aríete pesando o chuço sobre suas mãos de gigante. – Mas tenho dois metros de altura e o chuço de abordagem tem dois metros e meio. E não vai caber no caixão.

Na óptica do autor, por ser a linguagem um produto social e um conjunto de convenções necessárias adotadas pelo corpo social, quando se pesquisa a respeito de determinado período e grupo, aprofundando-se em cartas de soldados e registros históricos, é natural que a escrita desenvolvida se torne reflexo de época. Nesse contexto, há também que se considerar a geografia. Os soldados imperiais viajavam de norte a sul não apenas no território brasileiro, mas, como no caso da Guerra do Paraguai, adentrando fronteiras e avançando por terras e culturas até então desconhecidas para eles, muitas vezes por longos períodos de tempo, assimilando, assim, elementos linguísticos das mais diferentes regiões. No vocabulário de Imperiais de Gran Abuelo há na língua uma forte interferência da cultura hispânica, mas prevalece a sofisticação do modelo da américa latina, adotado pelos escritores em seu tempo.

Sem comentários:

Enviar um comentário