Samba à mesa: Há seis novos lugares com sabor a Brasil, no Porto-Portugal

Com samba e chorinhos serve-se comida de rua na Xico Tico, a novíssima pastelaria da Ribeira






Susana Silva Oliveira

Esqueça-se o churrasco e o rodízio, aqui o "papo" é outro. Com tapioca, rapadura, brigadeiros, bolos caseiros, pão de queijo ou carne de sol se enchem as mesas destes botequins, quiosques, restaurantes e cafetarias com jeitinho brasileiro, no Porto. Delicie-se nesta viagem de brisas frescas e sabor tropical

 Carlotta Cake Boutique:

Todos os dias, no Carlotta Cake Boutique há cerca de uma dezena de bolos capaz de nos fazer regressar à infância


É com um brilhozinho nos olhos e um sotaque brasileiro acentuado que Bruno Lopes, um dos mentores da Carlotta Cake Boutique, que abriu há um mês, na Foz, mostra a paixão partilhada por toda a família: os bolos caseiros. São batidos à mão, sem corantes, nem conservantes. Feitos ali mesmo, na loja, por Bruno e Neidi Silva, a mãe, com ovos biológicos, de produtores locais, aos quais juntam a farinha portuguesa, a manteiga francesa e o chocolate belga. Prepare-se para regressar à infância, a um tempo “de bolo com cara de bolo e gosto de bolo”, frisa Bruno Lopes, e uma aparência, acrescente-se, bem contemporânea.

Há mais de trinta opções diferentes na carta, para levar para casa, como o delicioso bolo de cenoura, o red velvet, de leite com cobertura de creme de avelã, o paçoca, de banana com nozes, de cenoura com brigadeiro, de churros com doce de leite ou de mascarpone, figos e mel (12,90 a €29,90). Além, claro, de brigadeiros de chocolate (com diversas coberturas) e pães de queijo. Todos os dias, ao balcão, alinham-se em pratos bem coloridos, cerca de uma dezena de bolos, para servir em generosas fatias (€2,20 a €4,20) e acompanhar com água de coco (€2,90), sumo natural de laranja com cenouras frescas ou de morango com frutos vermelhos (€2,90). É, sem dúvida, uma pausa capaz de adoçar o dia de qualquer pessoa. Carlotta Cake Boutique > R. Diogo Botelho, 1898, Porto > T. 22 616 1140 > seg-sáb 10h-19h

2. Botequim Salve Simpatia

O botequim carioca Salve Simpatia acaba de abrir na Rua da Picaria, no Porto


À movimentada rua da Picaria, ainda se vai comprar móveis utilitários de madeira, embora seja, cada vez mais, um destino gastronómico. Assim, depois de restaurantes de sushi e de petiscos, entre outros, chega agora à artéria a comida de um botequim brasileiro, com um toque contemporâneo. “Somos uma mistura de bar com restaurante, onde pode beber apenas um copo, comer ou fazer ambos”, diz Eduardo Faria, o gerente.

É com uma decoração a homenagear ícones da cultura brasileira, num percurso fotográfico abrangendo diferentes épocas da história do país, e muitas garrafas de Heineken, penduradas no teto e nas paredes, que o carioca Salve Simpatia se instala na cidade. Neste charmoso botequim, além de picanha (€12) e moqueca de peixe com molho de camarão, servem-se especialidades como bolinho de feijoada e de costela, carne de sol com mandioca e tapioca salgada (€6,50). À sobremesa aconselha-se a rapadura (doce feito com melaço de cana de açúcar) ou o brigadeiro de colher (€5,50). Além de caipirinhas, de lima e abacaxi ou frutos vermelhos (€5 a €6), não faltam cocktails de sabor tropical. Para harmonizar com uma mesa cheia de amigos e um sambinha bom, há sempre cerveja no ponto. Aberto só ao jantar, o botequim tem dois pisos e capacidade para acolher 150 pessoas. Botequim Salvé Simpatia > R. da Picaria, 89, Porto > T. 22 208 0892 > ter-dom 19h-2h

3. Brigadão

São mais de vinte os sabores disponíveis no Quiosque Brigadão


Começou na Foz do Douro, há dois anos, depois chegou ao Mercado de Gaia e, mais recentemente, instalou-se num quiosque no Passeio de São Lázaro, na Baixa do Porto, e por lá vai ficar enquanto durar o verão. Além do brigadeiro artesanal (€1,20), com cerca de duas dezenas de sabores (como chocolate de leite ou negro, de vinho do Porto, leite-creme, bolo de bolacha e churros), enrolado à mão um a um, a brasileira Luísa Wersel juntou ao brigadeiro o pastel de nata, os donuts e as quintarolas, para delícia de miúdos e graúdos, diga-se. Tudo para comer à colher, ali mesmo, ou levar para casa em caixas (de duas, quatro ou 24 unidades), frascos ou em forma de bolo, de doce de leite ou chocolate (a partir de €25). Difícil é ficar-se apenas pelo primeiro. Quiosque Brigadão São Lázaro > Passeio de São Lázaro, Porto > inf: T. 22 610 3164 > ter-sáb 13h-17h

4. Flor de Tapioca

Na Flor de Tapioca há uma longa lista de especialidades mas a tapioca continua a ser rainha D.R.


É com um sorriso caloroso e uma longa lista de especialidades que Sandra Carneiro recebe quem entra, à procura de matar saudade de um país para lá do oceano Atlântico. Ali, sem margem de erro, a tapioca é para comer quentinha e, quase sempre, à mão. Sem glúten, sem lactose ou adição de açúcar, “a tapioca é uma verdadeira refeição”, garante a brasileira, a viver no Porto há 17 anos. À massa crocante e fina, feita com fécula de mandioca (hidratada durante quatro dias), o cliente pode juntar o recheio, doce ou salgado (a partir de €4).

São muitas as opções (abóbora, bacalhau e palmito, frango, tomate, frutos vermelhos, manteiga de amendoim, nutela), mas as mais pedidas continuam a ser as com goiabada e creme de leite. Há ainda panquecas, açaí, bolos caseiros (prestigio e cocada) à fatia, creme de tapioca granulado (servido numa taça com fruta, granola, chia, linhaça e mel) e sumos tropicais de cupuaçu, cacau, graviola e cajá (a partir de €3,50). Neste Flor de Tapioca, situado numa das entradas do Centro Comercial Bombarda, Sandra Carneiro conseguiu recriar os sabores da terra natal, com um toque caseiro. Flor de Tapioca > Centro Comercial Miguel Bombarda, R. Miguel Bombarda, 285, lj. 16, Porto > T. 91 415 9745 > seg-sáb 10h-20h

5. Urbana – Verdadeira Mente Natural

No restaurante Urbana, na Foz, há sempre fruta fresca e vegetais para o cliente fazer um mix saudável a seu gosto


Na Foz, a dois passos da praia, o restaurante Urbana sobressai pela simplicidade e pelas refeições nutritivas, acessíveis a todas as carteiras. Depois de oito anos a viver no Rio de Janeiro, Fernando Guedes desafiou o chefe brasileiro, Lucas Batista, para abrir esta casa de inspiração carioca. Seja pela farinha de tapioca caseira, simples ou com beterraba (que lhe confere um tom rosa), pela granola, a eco-nutella (feita com chocolate e creme de avelã, sem produtos refinados), o açaí ou os sumos naturais. “Faltava uma oferta de comida saudável na Foz, adormecida face ao furor que está na Baixa do Porto”, frisa Fernando Guedes.

Além do menu de almoço, servido de segunda a sexta, que inclui prato, sopa, infusão e tapioca do dia (€6,70 a €8,90), há muitas opções à base de vegetais, para comer em saladas e wraps. Depois, há taças de açaí com granola, fruta e iogurte (€3,60 a €6,50), tapioca salgada (abacate, tomate seco e flor de sal ou queijo, tomate e pesto €3,50 a €4,50) ou doce (morango com nutela, queijo com goiabada ou doce de leite com coco), e sumos naturais (cenoura, laranja e beterraba ou abacaxi, maçã, gengibre e erva doce €2,50 a €4,50). Acrescente-se o pão de linhaça, de beterraba e de espinafres de fabrico próprio, mais uma pequena mercearia. Resta referir que na esplanada, onde se sentam 12 pessoas, há uma pequena e simpática horta comunitária com orégãos, hortelã pimenta, cebolinho e manjericão para levar para casa, sem custo. “É para consumo de todos, clientes ou não, só pedimos que sejam conscientes”, remata o proprietário. Urbana – Verdadeira Mente Natural > R. do Marechal Saldanha, 294, Porto > 93 979 4429 > ter-sex 8h30-19h30, sáb-dom 10h-20h

6. Xico Tico

Com samba e chorinhos serve-se comida de rua na Xico Tico, a novíssima pastelaria da Ribeira


Onde outrora se ouvia fado, agora tocam sambas e chorinhos para aconchegar a comida de rua brasileira. O retrato de Carmen Miranda, pintado numa parede pelo artista urbano Third, dá um toque de cor e revela a inspiração do Xico Tico, a novíssima cafetaria da Ribeira. Estamos na zona histórica da cidade do Porto, a dois passos da Igreja de São Francisco e da Alfândega, mas neste recanto, de prédios em pedra e roupa estendida na varanda, os dias seguem à margem da agitação turística.

“Apesar de estarmos perto de tudo, a Ribeira é muito tranquila e isso encanta-me”, diz Paula Chaves, a proprietária. Com a ajuda da mãe, a brasileira Joceli Silva, que está na cozinha, trouxe para o Porto os sabores com sotaque. Ali, servem as típicas empadinhas (€1,70), coxinhas de frango (€1,80), pasteis de vento (de frango, queijo, peixe), feitos com massa bem fina e fritos na hora (€3), bolinhos de feijoada ou de abóbora com carne de sol e pães de queijo. Há ainda pratos típicos servidos ao sábado, como a feijoada caseira, sumos naturais (de papaia, laranja, manga ou capuaçu, por €4) ou chá mate (natural, limão ou laranja). Xico Tico > R. de São Francisco, 22, Porto > T. 22 318 8603 > seg-sáb 10h-19h

Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplicada e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário