ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

8/07/2009

Diário de um Salafrário




Por: Armindo Guimarães
Facebook
https://www.facebook.com/armindo.guimaraes

O nosso querido amigo Vinícius Faustini, jornalista e zagueiro do Bangu nas horas vagas, como ele próprio se intitula, possui o blogue Diário de um Salafrário que há uns tempos a esta parte vem presenteando os seus leitores com uma série de contos fictícios que se caracterizam pela diversidade temática tendo por lema os meandros da realidade nua e crua da vida mundana, designadamente do quotidiano de quem dela vive rodeado de gente de carácter duvidoso, gente que nunca está só, porém solitariamente isolada.


Chegou agora ao nosso conhecimento que tais contos irão ser publicados em livro cujo lançamento irá ser levado a efeito no dia 1 de Outubro, entre as 18,30h e as 20,00h, no bar Wunderbar, sito na Av. Rio Branco, 1305 – Solar da Praia – Praia do Canto – Vitória – ES. O evento terá a participação da conceituada artista Eliane Gonzaga que cantará acompanhada ao piano pelo não menos consagrado Maurício Fazz.

O Splish-Splash congratula-se com a boa nova e felicita o nosso amigo Vinícius augurando-lhe os maiores êxitos para aquele que, estamos certos, é o seu grande golo de um jogo que muito bem apostou e merecidamente ganhou.

Deixamos os nossos amigos com “Vazio” um dos excelentes contos de Vinícius Faustini postado no Diário de um Salafrário.

--------------------------

Vazio

Vazio. Foi o que ela sentiu quando o viu cruzando a porta, com a mala na mão esquerda. Ele ainda a olhou antes de bater a porta pela última vez. Ela desviou o rosto. Caminhou lentamente e encostou o ouvido na porta. Ouviu o barulho do elevador chegando. Agora tinha certeza da ausência dele em sua vida.

Queria chorar, mas só encontrou um vazio de lágrimas. Num instinto, recorreu ao estômago para sentir a presença de sua alma. Foi ao banheiro, ajoelhou-se diante do vaso sanitário e colocou os dois dedos no fundo da garganta. Em vão. Estava vazia até para um desespero forjado pela bulimia. Não encontrava em si mesma um sabor de derrota digno do triunfo de sua tristeza.

Experimentou tomar um banho gelado. Respirou aliviada no primeiro uivo de frio. Ao menos seu corpo revelou que não estava contaminado pelo vazio que se apoderara de sua alma. Desligou o chuveiro e suspirou aliviada. Ligou na água quente. O banho estava tão deliciosamente quente que não se importou com o novo vazio de lágrimas.

Vestiu-se, passou um pouco de maquiagem e desceu no elevador. Só respondeu ao "boa tarde" dos vizinhos balançando a cabeça afirmativamente. Entrou no carro e saiu disposta a ir ao cinema. Estacionou no shopping, e foi para a fila. Não teve de esperar muito, o cinema em dia de semana ficava bem calmo.

Sentou no lugar marcado, vieram os trailers dos próximos filmes. Aos poucos, voltava a se sentir vazia. Imensamente vazia. Desesperadamente vazia. Impacientemente, começou a bater o pé. O filme começou. Não conseguia prestar atenção. Prestava atenção somente nela mesma. E se perdia, tentando se achar. Olhou para os lados. Contou outras sete pessoas no cinema. A maioria formada por idosos.

Viu um homem que estava sozinho na última fila. Saiu de seu lugar. Foi andando até o final da sala. Sentou-se ao lado dele. Olhou-o de perfil, percebeu que ele era mais jovem que ela. Voltou a olhar para o filme. Discretamente, pousou a mão na coxa dele. Com a ponta dos dedos, subiu. Fez uma carícia por cima de sua bermuda e virou o rosto para ele. Ele ia falar alguma coisa, mas ela o interrompeu colocando o indicador nos lábios dele. Agora desejava o vazio. O vazio de palavras.

Conseguia ver os olhos dele graças à pouca luz que vinha da tela. Sem desfitá-lo, passou a mão por baixo de sua camisa. Desceu até a barriga e a escondeu embaixo de sua cueca. Ficou de pé e tirou sua calcinha na altura do olhar dele. Fez um carinho em si mesma e ajoelhou-se nele. Sentiu-se ainda mais erotizada pelo tímido gemido dos dois se confundir com as falas do filme americano.

Protagonizava o ápice de sua sensualidade, levando para seus lábios toda a quentura que adormecia em anos de um casamento que agora ela percebeu o quão era estático. Notou que os sussurros do homem ficavam mais intensos, e compassou os carinhos por baixo do vestido à cadência com a qual sua boca deslizava nele.

Seu ofegar tornou os movimentos mais fortes, até ambos caírem simultaneamente em um êxtase. Um pouco zonza, ela se levantou. Pegou a mão direita do rapaz e com o vestido sedutoramente entreaberto, o fez sentir todo o prazer que a situação proporcionou a ela.

Sentou-se ao lado dele. Os créditos começaram a subir. Ela deu um beijo bem doce em sua boca e rapidamente desceu as escadas. Ele ainda arriscou segui-la, mas ela apertou o passo e conseguiu se desviar do olhar dele. A última imagem que o rapaz teve dela foi uma mulher de costas fugindo de sua vista à medida que a escada rolante descia.

Ela foi até a garagem. Ao entrar no carro, notou que estava sem calcinha e exclamou um "ui" com certa safadeza. Saiu com o carro, pagou o estacionamento e seguiu até em casa. Sim, sabia que voltaria ao mesmo vazio que deixara com o pretexto de ir ao cinema. Mas voltava com a leve impressão de que não permitiu que sua alma se esvaísse por inteira.
Vinícius Faustini
----------------------------------------Visite o Diário de um Salafrário

5 comentários:

  1. Armindo,

    não estou em mim com tal homenagem. Tuas palavras me emocionaram mais uma vez, com tamanho apoio luso-brasileiro. Mais uma emoção contada com a história do "Splish splash".

    Aproveito pra anunciar que, antes do lançamento em Vitória, o "Diário de um salafrário" estará na Bienal do Livro, que acontecerá entre os dias 10 e 20 de setembro deste 2009. Lá será o pontapé inicial da caminhada do salafrário, mas ainda não tenho data definida.

    Ah, antes que todos se sintam enganados, aviso que o conto "VAZIO" não está presente no livro que em breve chegará. Ele é um dos textos mais recentes que fiz, e ficará para uma outra publicação. Isto é, se o público quiser...

    Abraços a todos do Splish Splash,

    Vinícius

    P.S.: na próxima quarta, dia 12 de agosto, teremos um texto novo por lá.

    www.diariodeumsalafrario.blogspot.com

    www.emocoesrc.blogspot.com

    www.otempoeoplacar.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Vinícius, gostei da maneira como começou a escrever o seu comentário. Ehehehehehehe

    Utilizando as palavras do portuga mais querido do planeta, frase que é a cara dele: " Não estou em mim" com tal homenagem, mas eu ti digo que nós estamos em você, ou melhor, nós estaremos sempre com você meu querido amigo!

    Se nós estamos felizes pelas suas conquistas, imagina só como está o seu coraçãozinho, a suas emoções, devem estar transbordando a sua vida de felicidade, pois foi um sonho realizado, uma etapa cumprida e quando bota-se fé no que queremos é difícil não chegarmos lá, ainda mais sabendo que você sempre busca as coisas com fé, confiança e competência.

    Você é muito novinho, tem uma vida pela frente mas graças à Deus começou com o pé direito e já tem alcançado grandes conquistas e muitas virão por aí.

    Que pena não poderei estar presente a este evento, mas estarei aqui vibrando por ti e por sua família, em ter um filho tão habilidoso, competente dedicado, persistente e que não desite nunca do que quer, por issso vai a luta e alcança os seus objetivos.

    Meu amigo gosto demais, do que você escreve e os seus contos nos emociona, as vezes chego a chorar, porquê você escreve divinamente com a alma, botando a emoção pra fora, mas não tem pena de seus leitores que sofrem na hora de apreciar essa suas criações espetaculares.Rsrsrsrsrs

    Estive muito afastada da net, mas agora, espero que eu coloque a minha vida em ordem e com a ajuda de Deus eu consiga superar os problemas que aflingem a minha vida.

    Então Vinícius poderei ter mais acesso aos seus blogs e deixar os meus comentários em suas lindas matérias.

    Um beijo grande no seu coração meu amigo, você merece todas as constelações do Universo!

    Da amiga que admira-te muito!

    Mazé Silva

    ResponderEliminar
  3. Vinicius, meu poetinha, jornalista, aquele que sabe fazer harmonia entre as letras, rato de livraria, salafrario!!!!!!!!!!!!!!!!

    Rapaz eh muita emocao!!!!!!!!!! Eh Bienal, eh Canto da Praia, e fora os outros cantos que ainda virao!!!!!!!

    Este seu livro vai bombar tambem!!!!!!!!!!!!!!

    E voce merece por, realmente, ter o dom das letras!!!

    Parabens e muito sucesso hoje e sempre!!!!!!

    E vamos exaltar este livro tambem, porque

    " Tudo vale a pena se a alma nao eh pequena "
    Fernando Pessoa

    Beijos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  4. Olá Vinicius!

    Parece que estamos pegando o jeito de falar do nosso amigo Armindo...
    Isso é porque gostamos muito dele.

    Vinicius desejo a você todo sucesso do mundo. Que esse livro seja o primeiro de tantos outros que virão.
    Porque do jeito que escreves meu amigo, vais longe.

    Parabéns!

    Beijos mil,
    Carmen Augusta

    ResponderEliminar
  5. Olá Vinícius
    Pode crer nas minhas palavras," o salafrário" vai longe!Sabe porquê?
    Porque ele se atreve ,a usar o dom das palavras!
    Esse dom tão maravilhoso que vive dentro de voçê ,comunica , transmite emoções !
    E nessa sua comunicação , deixa as pessoas envolvidas numa vida que não é a delas e em sensações que podem ou não, já ter experimentado!
    O seu "atrevimento", demonstra uma análise profunda do ser humano!
    Essa análise é muito enriquecedora para todos nós !
    Desejo muitas felicidades na sua carreira de escritor!
    E espero poder ter o grande
    prazer de ler o "Diário de um
    salafrário"!
    Beijos
    Miriam

    ResponderEliminar

MÚSICA LUSÓFONA

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil