ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

7/01/2009

O meu primeiro sonho robertocarlistico – 30-06-2009



 
Por: Armindo Guimarães
Diplomado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins
Facebook
https://www.facebook.com/armindo.guimaraes

Estava passeando na rua com a Lena e a Bárbara. Íamos não sei aonde e de repente aparece um gajo à frente que me interpela dizendo: Oi cara! Táva vendo que nunca mais encontrava você, mora! Quis fazer uma surpresa pra você mas táva vendo que quem ia ter surpresa era eu por não encontrar você, bicho!

Fiquei de boca aberta a olhar pró gajo e digo: “Ó Roberto és tu, pá?” – “Claro que sou, bicho! Cê não tá vendo? Eheheheheh”.


E íamos os quatro caminhando enquanto falávamos. Às vezes era eu que punha o meu braço por cima do seu ombro e outras vezes era ele que punha o seu braço por cima do meu. Era como se já nos conhecêssemos há muito tempo. Sempre a falarmos e a rirmos, enquanto a Lena e a Bárbara iam ao nosso lado sem grandes manifestações de regozijo pelo facto de eu estar acompanhado do Roberto, como se fosse a coisa mais natural do mundo nós irmos na rua e de repente darmos de caras com o Rei.


Mas o que eu mais estranhava nem era tanto a quase indiferença delas, mas sim a indiferença total de tanta gente que ia passando por nós sem reparar que a meu lado ia o Roberto Carlos. E então pensava: as pessoas andam todas distraídas a pensar na morte da bezerra que nem sequer reparam no Roberto Carlos e ele até deve estar admirado pensando para os seus botões que afinal em Portugal ninguém o conhece.


Ia conversando e rindo com ele pelas ruas do Porto, quando de repente vimos um ajuntamento de pessoas no cimo de uma encosta olhando não sabíamos o quê. Curiosos, subimos os dois a encosta e a muito custo conseguimos ver o que todo mundo observava. Era a cidade de Coimbra, mais exactamente a torre da Universidade, como se Coimbra ficasse a dois passos do Porto. 


É então que o Roberto se sai com esta: “Bicho! Cê nem imagina como estou contente por ver Coimbra. Legal termos subido a encosta, viu? Ver Coimbra foi um barato, bicho!”. 

Fiquei contente por ver o Roberto contente e foi então que reparei num pormenor que antes não havia dado importância nenhuma: o Roberto que eu tinha pela frente não era aquele que eu estou habituado a ver hoje, mas sim aquele que eu via na TV, nos jornais e revistas dos finais dos anos 60, princípios dos anos 70. Portanto, ele teria mais ou menos 34 anos. Cabelo mais vasto e forte, blusão e calças de ganga azuis, camisa multicolorida, para além da sua pulseira e do seu medalhão ao peito. Pensei até que seria por causa da roupa que usava que ninguém o conhecia. Mas de repente lembrei-me que aquele gajo não podia ser o Roberto. Era parecido com ele mas não podia ser ele. Fiquei furioso e digo pro gajo: “Ó pá, tu não és o Roberto, carago! Vai-te lixar!” – O gajo riu-se e em resposta disse-me: “Bicho, tenho que dar o fora. Tá ficando tarde pra burro!”. E fugiu correndo.

Fiquei ali, sozinho, especado sem saber o que fazer. Ainda pensei correr para ver se o via mas desisti da ideia. Já tinha sido ridículo ser enganado por um falso Roberto e ainda mais ridículo seria se fosse agora correr atrás dele.


Foi a primeira vez na vida que sonhei com o Roberto Carlos. Um sonho esquisito como são a maioria dos nossos sonhos. Gostei, mas ao mesmo tempo fiquei com uma sensação de frustração. É raro termos um sonho com o final que queremos.


Agora vou dormir. Será que vai haver a segunda parte? eheheheheh


Abraços robertocarlisticos
Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

5 comentários:

  1. Olá patrãozinho!

    Adoro sonhar com o Roberto Carlos,
    mas eu sonho com o verdadeiro e é tão gostoso, huuummm....eheheheh
    Pena que não é sempre.

    Mas muito interessante esse seu sonho, mais interessante ainda você lembrar tantos detalhes.

    Porque meu amigo, quando sonho com ele, não me pergunte como ele estava vestido, porque disso eu nem lembro.

    Agora estou intrigada.
    Será que você sonhou mesmo, ou isso é uma das suas inúmeras criações. Esse "primeiro" aí,junto com a pergunta, será que vai ter a segunda parte.... Sei não....

    Mas parabéns pela primeira parte e durma bem.

    Beijos mil,
    Carmen Augusta

    ResponderEliminar
  2. Estive por aqui em visita ao seu blog para conhecer o seu trabalho!! Abraços Ademar!!

    ResponderEliminar
  3. Olá, Guta!

    O sonho aconteceu mesmo. Se fosse ficção minha teria um final melhor. E foi isso precisamente que mais me chateou no sonho, ou seja, um final esquisito pra carago.

    Quanto à segunda parte, sei lá se alguma vez vai acontecer. eheheheh

    Ah! O que achei mais intrigante no sonho,foi a parte sobre Coimbra. Jamais iria sonhar que qualquer sonho que tivesse sobre o Roberto iria meter Coimbra. Sei que é uma das duas canções que ele dedicou a Portugal mas raramente me lembro disso. Mas o que é certo é que pelos vistos está cá no subconsciente.

    Esta coisa dos sonhos é esquisito pra carago! eheheheh

    Abraços

    ResponderEliminar
  4. Olá, Amigo Ademar Lima!

    Obrigado pela visita e...

    Volte sempre!

    Abraços

    ResponderEliminar
  5. Olá Armindo!

    Mesmo assim, achei, um sonho muito bonito!

    Eu já sonhei várias vezes, mas depois, fico triste, por ter acordado e não continuar o sonho!

    Os sonhos são sempre esquisitos, seja, com o Roberto, ou qualquer outra pessoa!

    Beijinhos e bons sonhos, com o Roberto!

    ResponderEliminar

MÚSICA LUSÓFONA

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil