Inovações para o restauro do patrimônio cultural em São Paulo


Evento que acontece no Museu Memória do Bixiga no próximo domingo celebra lançamento de projeto inovador sediado no Mackenzie

A parceria entre a Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM) - por meio dos grupos de pesquisas Verticalização, Patrimônio Cultural e Urbanidade e o Arquivo Memória e Cidade - e o MUMBI - Museu Memória do Bixiga, lança no próximo domingo, 29 de abril, às 13h, o LAB Fábrica de Restauro, um projeto colaborativo de mobilização social para discutir o patrimônio histórico, material e imaterial. A proposta do LAB, sediado na universidade, é capacitar profissionais de todas as áreas (pintores, pedreiros, marceneiros, serralheiros, arquitetos etc.) para a prestação de serviço de restauro e engajar a comunidade na luta pela conservação dos espaços.

São Paulo tem mais de 4.000 imóveis tombados, um quarto deles no bairro do Bixiga. O tombamento, ou a proteção legal, é apenas um dos três pilares em que a preservação do patrimônio histórico se sustenta. A identificação, por meio da produção de inventários ou da indicação popular, é outro.

Para uma das idealizadoras do Laboratório, Nadia Somekh, professora emérita da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UPM e pesquisadora do Patrimônio Histórico e das Transformações da Cidade, afirma que é preciso preservar nossa história por meio da arquitetura. “Devemos recuperar e valorizar as pré existências arquitetônicas e a memória da cidade através de projetos participativos e includentes, conscientizando a sociedade da importância do seu valor social e econômico para os bens culturais”.

A Fábrica de Restauro constitui-se da mobilização e gestão compartilhada para a recuperação de conjuntos históricos com suas relações sociais. Três grupos de trabalho propuseram ações concretas. O primeiro, tratando de capacitação e formação “do pedreiro ao restaurador”, definindo cursos e debates. O segundo, analisando recursos passíveis de serem obtidos de forma coletiva e, o terceiro, assumindo a articulação de proprietários e cooperativas, incentivando a economia criativa.

Primeira ação

O projeto piloto de restauro começa com o Museu Memória do Bixiga, que servirá também de incubadora para a continuidade do LAB Fábrica de Restauro e permitirá desenvolver metodologia de levantamento de dados, treinamento, promoção de iniciativas e reconhecimento do Patrimônio nos bairros da Bela Vista e Bexiga.

O Museu Memória do Bixiga conta sobre o passado dos imigrantes italianos da região. Fundado em 1981, é um dos mais antigos museus de São Paulo. A instituição se localiza em uma típica construção do século XX, na Rua dos Ingleses, 118, e concebido por Armando Puglisi, conhecido popularmente como Armandinho do Bixiga, e Paulo Santiago, para garantir a preservação do bairro. Apresenta objetos que sobre os imigrantes italianos na região. A maioria dos itens expostos foram doados pelos fundadores ou por moradores do bairro.

Seu acervo conta com 1,5 mil itens distintos, além de 8 mil fotografias inclusive objetos de Adoniran Barbosa. Entre os itens expostos é possível encontrar máquinas de fazer massas e garrafas em que eram entregues o leite de porta em porta na época. Há também uniformes clássicos da escola de samba Vai-Vai, sapatos de Carmem Miranda, armas da Revolução de 1932 e cadeira de dentista da década de 1920 e fotos do Bixiga. Além de relatos de história oral, recortes de jornais, objetos pessoais, dentre outras coisas, que acabou criando algo extremamente inovador no campo da museologia. Indo na contramão de museus tradicionais, o MUMBI constituiu seu acervo a partir de histórias e objetos anônimos, do cotidiano, os quais podiam ser acessados e tocados pelo público, afastando-se da típica sacralização dos objetos museais.

A casa que abriga o Museu é tombada pelo Conpresp – Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo. Seu espaço físico permite que a população do bairro, frequentadores e visitantes possam se apropriar da sua história e se identificar como participantes na construção da cidade. No contexto de São Paulo, como uma grande metrópole, o espaço cumpre importante papel no fortalecimento da relação entre a população da cidade e a rua, num exercício de reapropriação do espaço público.

Na programação consta também a comemoração dos 37 anos do MUMBI e 1 ano de sua reabertura, bate-papo com os responsáveis pelo LAB Fábrica de Restauro, apresentações musicais e, ao final, os participantes poderão degustar o Nhoque da sorte – como conta a lenda que, para se ter sorte, é preciso comer um prato de nhoque no dia 29, sem esquecer de colocar uma nota de dinheiro debaixo do prato e mentalizar um pedido especial, às 17h.

A especialista está disponível para comentar sobre o projeto e o Patrimônio Histórico e Plano Diretor da Cidade.

Serviço
Lançamento: LAB Fábrica de Restauro
Dia 29/04/2018, às 13h
Local: MUMBI - Museu Memória do Bixiga
Rua dos Ingleses, 118 – Bela Vista – São Paulo

Sobre o Mackenzie
A Universidade Presbiteriana Mackenzie está entre as 100 melhores instituições de ensino da América Latina, segundo a pesquisa QS Quacquarelli Symonds University Rankings, uma organização internacional de pesquisa educacional, que avalia o desempenho de instituições de ensino médio, superior e pós-graduação.
Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário