Há relação entre a Síndrome do Pânico e o Medo de Voar?



São Paulo, 16 de março de 2018 – O medo de viajar de avião está ligado à ansiedade, entre outros fatores. A Síndrome do Pânico faz parte do grupo dos Transtornos da Ansiedade. Portanto, em comum, as duas condições têm a ansiedade.


Isso quer dizer que ter o diagnóstico do Transtorno do Pânico não significa necessariamente ter medo de viajar de avião em si. Na verdade, o que pode existir é o medo de ter um ataque dentro do avião. Segundo a neuropsicóloga Fernanda Queiroz, cofundadora da VOE, primeira empresa brasileira especializada no tratamento do medo de voar, pessoas acometidas pelo Transtorno do Pânico desenvolvem o “o medo do medo”. 


“O que acontece é que depois de um ataque de pânico, o paciente começa a desenvolver o medo de ter uma nova crise. Para a maioria desses pacientes, o medo não é do avião em si ou da viagem, o medo é de ter um ataque de pânico dentro do avião”, explica Fernanda.


A psicóloga explica também que o Transtorno do Pânico pode levar ao desenvolvimento de comportamentos de evitação fóbica. “Vamos supor que essa pessoa tenha tido um ataque de pânico dentro do avião ou de outro lugar fechado, por exemplo. Com isso, ela irá evitar ao máximo viajar novamente por medo de ter uma nova crise. Mais uma vez reforça que o medo de quem tem pânico não é do avião, mas sim de passar por um ataque dentro da aeronave”.

Sem aviso
O ataque de pânico chega sem avisar, é inesperado. “A pessoa nunca sabe quando vai acontecer. Esse fato também contribui para o ciclo vicioso do medo e da ansiedade, pois há aquela expectativa de que pode acontecer em qualquer lugar, a qualquer momento. Mas, na verdade, a crise pode acontecer dentro do avião, ou até mesmo em casa, no carro, na faculdade, entre outros locais ou situações”, diz a neuropsicóloga Paola Casalecchi, cofundadora da VOE.

Tratamento é fundamental
Sabemos que o Transtorno do Pânico afeta, em sua maioria, pessoas jovens, em plena ascensão da vida profissional e acadêmica. Portanto, o fato de evitarem viagens de avião pode impactar na carreira e na vida social. Por isso, o ideal é procurar tratamento, com acompanhamento de um psiquiatra e de um psicólogo.


Mas, se for inevitável viajar de avião, é possível adotar algumas medidas para prevenir uma crise em pleno voo. Veja abaixo as dicas da VOE:


De olho na respiração: Durante um voo, com todas as mudanças da atmosfera, respirar corretamente pode fazer toda a diferença. “A ansiedade excessiva pode levar à hiperventilação, um dos gatilhos dos ataques de pânico e responsável pela maioria dos outros sintomas”, diz Paola.
Assento: reserve um assento do corredor para facilitar a movimentação. Escolha voos noturnos, tanto para dormir, quanto para reduzir a chance de passar por uma turbulência, que é menos comum durante a noite.
Deslocamento: organize seu transporte para o aeroporto para chegar para o check in com antecedência e assim evitar passar por um estresse antes do voo.
Alimentação: Faça uma refeição leve e evite alimentos que possam causar desconforto gastrointestinal, como aqueles que fermentam.
Relaxamento: Use técnicas de relaxamento, como respiração profunda e meditação antes do voo
Distraia-se: Procure ler, ouvir músicas ou até mesmo conversar para distrair os pensamentos.
Alda Jesus

Sobre a autora

Alda Jesus - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário