Qual é o seu propósito?


 Por: Thiago Brolezzi* 

Muitas notícias são divulgadas sobre como alcançar metas e objetivos no novo ano. Especialistas comentam sobre iniciar um novo período cheio de planos para alcançar aquilo que se deseja.

E é claro que, em cada pessoa, sempre existe uma grande vontade de realizar ou de alcançar algo, seja na vida pessoal ou na profissional. Em meus atendimentos instigo os profissionais para refletirem sobre o que desejam: um novo emprego, uma viagem, um novo comportamento, ou tudo isso, por que não?! 

Contudo, antes dos desejos e das realizações, algumas reflexões são importantes e bastante valiosas para enxergarmos nossas metas e nossos planos. É preciso ter um propósito definido. Alguns pensamentos devem ser analisados previamente, afinal, ter uma finalidade em uma atitude refletirá por todo o período. Questionamentos como por que, para que fazer e/ou conquistar algo, se ponderados, podem trazer nossos pontos positivos, nossas fraquezas, melhorias e até mesmo extrair de nós comportamentos que não fazem sentido continuar a ter. 

Uma das frases mais famosas do escritor Antoine de Saint-Exupéry no clássico “O Pequeno Príncipe” diz “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”. No livro, esta frase traz um contexto de amor, de atenção ao próximo, de criar algo novo. Você se torna responsável pelas consequências que suas atitudes têm na vida das pessoas, principalmente, naquelas em que você conquistou algum sentimento. Já no contexto oportuno deste texto podemos formar vínculos aos nossos propósitos – e o que queremos verdadeiramente? – sermos responsáveis por nossas vidas e por nossas metas, pois buscamos constantemente crescer e nos desenvolver.

Esquecemo-nos, por exemplo, de vivenciar nosso dia-a-dia, nosso momento presente. A justificativa é a falta de tempo ou que não conseguimos alcançar o que desejamos, logo, deixamos passar momentos e, em consequência, os desejos. Uma reflexão do líder religioso indiano Sri Sri Ravi Shankar diz “toda pressa que você tem em sua vida apenas nega a felicidade do momento presente”. Viver o momento presente poderá trazer pensamentos de algo que queremos e assim um foco determinado.

Além da autorreflexão, de viver o momento presente e do desenvolvimento pessoal é preciso refletir sobre comportamentos e atitudes indesejadas. Se existem mudanças a serem feitas, que seja primeiro em nós, afinal, é o modo com que tratamos determinadas situações que norteia a forma de vivermos.

Uma outra reflexão é rever nossa biografia. Sim, reconsiderar nossa história e nossa existência poderá auxiliar a identificar nossas competências e habilidades adquiridas. Para isso, deixo como dica o exercício de relembrar seu histórico, descrever os fatos e trajetórias particulares da vida. A experiência que construímos geralmente é avaliada pelo nosso passado e essa ação de relembrar o próprio histórico poderá desenvolver nosso potencial para o futuro.

Some então a autorreflexão; o desenvolvimento pessoal olhando comportamentos e atitudes; e a análise da autobiografia. Provavelmente fará mais sentido desenvolver um propósito com intenção verdadeira e clara para o ano de 2018.

“O verdadeiro homem mede a sua força quando se defronta com o obstáculo”, Antoine de Saint-Exupéry. 

*THIAGO BROLEZZI é pós-graduando em Pedagogia Empresarial pela Universidade Paulista, tem sua especialização MBA em Recursos Humanos pela Universidade Nove de Julho, Especialização em Mediação Social e Facilitação de Processos pela Ecosocial/Cocriar, Graduação em Administração de Empresas com ênfase em Hotelaria pelo Senac, Formação em Coaching pela SLAC – Sociedade Latino Americana de Coaching e atua como Consultor de Transição de Carreira na Thomas Case & Associados.
Alda Jesus

Sobre a autora

Alda Jesus - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário