O Especial do Fim do Ano na Globo com o rei Roberto Carlos


FOTOS DE ARQUIVO

Uma tradição com mais de quatro décadas. De facto, o Especial da Globo é visto em muitos países, corolário do carisma de Roberto Carlos com fãs espalhados pelos quatro cantos do mundo. Já referi, numa anterior “peça” aqui publicada há poucos dias, que em 2010, em Portugal onde me encontrava a passar a quadra natalícia, assisti, via internet, ao Especial de Fim do Ano em que Roberto Carlos arrastou, digamos assim, mais de 400 mil fãs até à praia de Copacabana. Foi, sem pontinha de exagero, um delírio robertocarlístico, como, aliás, sempre acontece em todas as circunstâncias em que Roberto sobe a um palco, quer no Brasil quer fora de portas. E temos como Portugal o exemplo mais recente em Lisboa e no Porto. No Porto, com a presença do administrador deste Portal Splish Splash, Armindo Guimarães. E já que falamos de gente do nosso Splish Splash, em Lisboa, a Alda Jesus.

                                                      
Embora com gente diferente na qualidade de convidados, este Especial da Globo de 2017 não fugiu ao estigma dos anteriores. Onde está Roberto Carlos tudo são emoções. Emoções que nós já vivemos em nove shows em que estivemos presente na qualidade de jornalista e que, sem margem para dúvidas, enriqueceram o nosso próprio curriculum de quase 54 anos de atividade.
Portanto, e começando por aqui, o Especial Globo de 2017 teve na direção artística é de LP Sirmonetti, na geral, de Mário Meirelles e Guto Graça Mello e Eduardo Lages que comandaram a parte musical.

                                                
Já aqui falamos de Emoções, desta feita o rei recebeu Isis Valverde para um dueto inédito, mas, antes, Roberto começou com Força Estranha que foi antecedida de Amigo. E porque amigos são sempre amigos, Isis Valverde ficou em cena também durante a interpretação de Sereia.
E o desfile teve a seguinte sequência:
                                                       


- Tiago Iorc apresentou com Roberto Carlos a canção É Preciso Saber Viver. Tiago e Roberto continuaram juntos para interpretarem Amei Te Ver.
- E o show prossegue com Detalhes, Desabafo e outra vez.
- E veio Simone & Simaria com Quando o Mel é Bom (hit do segundo DVD da dupla Sertaneja) e Eu Te Amo, Te amo, Te amo.
- E, de novidades, a música Que Yo Te Vea, que, como se sabe, integra o reportório do álbum em espanhol que foi gravado este ano por Roberto Carlos. Daí que o microfone andou numa daquelas de “bola lá, bola cá”, com Djavam cantando Pétala e As Curvas da Estrada de Santos.
- Roberto Carlos, em ambiente de muita animação, chama a compositora panamenha Erika Ender para a tão esperada interpretação conjunta de Despacito, que foi mais conhecida nas vozes de Luís Fonsi e Daddy Yankee.
- E com aquele entusiasmo transbordante que também chegou a todos em casa, Esse Cara sou Eu e Luz Divina fecham o espetáculo. 
                                                     

Em suma, Roberto Igual a si próprio. E que venha 2018 com Roberto ainda na sua plenitude a presentear os seus fãs com shows de casas literalmente cheias. Tem sido sempre assim. Vive Le Roi!
Carlos Alberto Alves

Sobre o autor

Carlos Alberto Alves - Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Colabora semanalmente no programa Rádio Face, da Rádio Ratel, dos Açores. Leia Mais sobre o autor...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário