Manifesto de 'NÃO RECOMENDADOS' em novo clipe dirigido por Leandro HBL


NÃO RECOMENDADOS FAZ APOLOGIA À ACEITAÇÃO SOCIAL E HOMENAGEIA O TROPICALISMO E A BOCA DO LIXO EM NOVO CLIPE DIRIGIDO POR LEANDRO HBL

O clipe, gravado no centro de SP, conta com o incentivo do Music Video Festival e da gravadora LGK Music
 

Um ano após se conhecerem, a banda “Não Recomendados” e o diretor Leandro HBL se juntaram para gravar o videoclipe da música “Não Recomendado”, sobre o não preconceito e liberdade de expressão, temas presentes na letra e que despertaram o interesse da parceria. O clipe está disponível com exclusividade nas plataformas do Music Video Festival
www.musicvideofestival.com.br

Música e clipe carregam um discurso político que busca potencializar as minorias e o indivíduo marginalizado. “A letra também traz uma ironia ao dizer que essas pessoas são não recomendadas à sociedade, mas por outro lado são felizes, legítimas e fortes para enfrentar os padrões estabelecidos por uma sociedade desigual”, diz Caio Prado, vocalista da banda.

A escolha da região do centro de São Paulo para a gravação do clipe, mais precisamente  na Cracolândia, vem da curiosidade de Leandro HBL pela região, lugar de pessoas marginalizados em sua condição social e humana. Nas pesquisas de locação, ele se deparou com histórias profundas e conheceu um grupo de transexuais e travestis que o auxiliou no recorte escolhido para protagonizar a história.

“Não Recomendado” é um baile na Boca do Lixo, local que representa a história do cinema de São Paulo na década de 70, época áurea da pornochanchada. Uma das locações, inclusive, é o prédio onde foi filmado "O Bandido da Luz Vermelha", na esquina da Rua do Triunfo e Rua Vitória. A região hoje se tornou um entreposto de lixo eletrônico, incorporado no cenário do clipe.

No figurino, signos como os Parangolés de Oiticica remetem ao Tropicalismo, um movimento de resistência cultural nacional que também serve de metáfora para a mensagem que Leandro HBL pretende transmitir com o clipe.

"Não Recomendado", o clipe, é, ao mesmo tempo, uma homenagem e uma crítica à São Paulo, unindo caráter documental e tendo na causa LGBT seu cerne. Para Leandro, “o que interessa na nova MPB é o potencial político das letras que podem ser somadas à imagem e à estética. O poder da arte é indispor e confrontar.”
 

“Não Recomendado” é mais uma produção audiovisual incentivada pelo Music Video Festival, somando-se a outras produções como “360” de Kafé,  “Internet”,  de Cypher Kidz, “Talento” de MC Linn da Quebrada, “Prendedor de Varal” de Liniker e Os Caramelows”, “Uncanny” de Lia Paris, “Catraca” da Banda Uó, “Great Strings” da banda Holger.

Sobre Leandro HBL

Leandro HBL nasceu em Belo Horizonte MG, Brasil. Formou-se em Comunicação e artes pela PUC MG. Também estudou direção de fotografia na Escola Internacional de Cinema e TV de Cuba em San Antonio de Los Baños. É Diretor de cinema e comunicador audiovisual desenvolvendo projetos híbridos em sua empresa a Mosquito Project (conteúdo para TV e Cinema) e o Bando Studio (Publicidade e Branded content. O estilo audiovisual intenso e a habilidade de conectar-se entre fotografia, vídeo, animação, design e  instalação foram forjados durante 3 anos como consultor do pioneiro laboratório de criação da Bennetton, a FABRICA. Estabelecido como diretor, sua visão incorpora um interessante balanço entre impacto visual e profundidade emocional. Recentemente terminou seu primeiro longa-metragem de ficção, o Rodantes (2017). Também realizou o documentário sobre o baile funk no Brasil juntamente com o DJ Diplo . O filme se chama Favela on Blast e teve grande repercussão mundial na mídia. É criador, produtor e diretor da série Reis da Rua, já em sua 3a temporada e no ar pela TV Cultura e A&E.

Sobre Não Recomendados

O encontro de 3 vozes potentes vindas do Rio de Janeiro (Caio Prado), Brasília (Daniel Chaudon) e Piracicaba (Diego Moraes). Eles se encontraram em saraus de música no Rio, onde descobriram afinidades e foram fortalecendo assim, a identidade do Projeto "Não Recomendados". O projeto é a união destes três autores intérpretes, todos inquietos e com a mesma vontade: questionar, provocar e transformar os padrões comportamentais e viciados da sociedade. A união em virtude da arte transformadora. Uma extensão das próprias vivências e lutas de cada integrante. Suas vozes únicas e, se fundem e se complementam numa atmosfera que manifesta acima de tudo, um grito de liberdade onde “A Música é Maior que Tudo”. Seus shows, repletos de humor, acidez e amor, já tiveram participações mais do que especiais como Ney Matogrosso, Zélia Duncan, Johnny Hooker, Linn da Quebrada, Karina Buhr, Mariana Aydar, Liniker, As Bahias e a Cozinha Mineira, Simone Mazzer e Filipe Catto; além das canções autorais emprestam sua voz a releituras clássicas que transitam de Gilberto Gil  a Alexandre Pires e Cheiro de Amor. Nada lembra o original, o óbvio; a regra é transgredir, encontrar novas formas de comunicar, provocar e atingir através das vozes e da sonoridade ímpar de cada arranjo.

Sobre LGK Music

A LGK Music foi criada em 2006 por Liber Gadelha com um casting que incluiu nomes como Luiza Possi, Mario Sergio (ex-integrante do Fundo de Quintal), Fundo de Quintal, Luiz Melodia, Gal Costa, Karla Sabah, Leo Maia, Mariana Rios, Vander Lee, Padre Juarez de Castro, Padre Fábio de Melo,  Tribo de Jah, Aline Barros, entre outros. Além da venda de shows, a gravadora atua na área de gerenciamento artístico, procurando simplificar ao máximo o caminho rumo ao sucesso, orientando os artistas com relação a tomada de certas decisões baseado na longa experiência no mercado. A receita oriunda da comercialização de shows é, em grande parte, reinvestida no marketing dos próprios artistas. A companhia também vem avançando na área digital onde atualmente tem contrato de distribuição com a Believe Digital (Francesa) e com a Sony Music. Para celebrar a parceria, a gravadora vem lançando artistas como: A Banda Mais Bonita da Cidade, Momentos Luiza Possi, Momentos Léo Maia e a sua grande aposta, os “Não Recomendados”.

Sobre o Music Video Festival

Realizado por um time de colaboradores nacionais e internacionais, o Music Video Festival há cinco anos celebra a arte do videoclipe com exposições, talks, shows, awards, lançamentos e exibições de clipes, documentários e filmes em tela de cinema, além de incentivo à produção audiovisual e novos talentos de direção. É também uma plataforma de tendências revelando artistas e diretores de todo mundo que se destacam por suas sonoridades e construção de imagens. Pioneiro em difundir novas tecnologias, o m-v-f- traz com exclusividade para o brasil os melhores conteúdos do gênero ligados à música.
Não Recomendados - Não Recomendado | Clipe Oficial

<center>
<iframe width="490" height="290" src="https://www.youtube.com/embed/GsAR0TQNu_w" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>
</center>
Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário