Mal da vida moderna, zumbido afeta 30 milhões de brasileiros


Personagem de ‘Malhação’ sofre com zumbido e perda temporária de audição após explosão de bomba; fonoaudióloga aplaude iniciativa do autor da novela de abordar o assunto

Imagine ouvir um chiado, um assobio, um barulho semelhante ao canto da cigarra ou algo parecido com um copo cheio de comprimidos efervescentes, 24 horas por dia. Cerca de 30 milhões de brasileiros sofrem com essa sensação nos ouvidos. Trata-se de zumbido, um ruído percebido mesmo quando não existe som no ambiente - um sintoma sério de que algo com a saúde está errado. 

A novela Malhação – Viva a Diferença, da TV Globo, está abordando o assunto por meio da personagem Benê. A adolescente fica surda temporariamente por causa da explosão de uma bomba caseira no colégio onde estuda. Benê sofreu trauma acústico e segundo o médico-personagem, “ela teve uma leve inflamação nos tímpanos, o que vem provocando zumbido e sensação de ouvido tampado - que na maioria dos casos, desaparecem após alguns dias”. Mas Benê se desespera ao não ouvir a música que toca ao piano. 

“Relatar na TV situações que provocam zumbido e perda auditiva, ainda que temporária, é muito importante para que as pessoas, principalmente os adolescentes – público alvo da atração – percebam o perigo que significa para a audição alguns maus hábitos como frequentar ambientes muito barulhentos, usar fones de ouvido e ficar próximo ao manuseio de bombas e fogos de artifício. A importância é ainda maior porque está chegando o período dos fogos das festas de reveillon”, comenta a fonoaudióloga Isabela Papera, da Telex Soluções Auditivas. 
O fato é que vem aumentando cada vez mais o índice de zumbido nos adolescentes, um dos possíveis sintomas da perda auditiva. Foi o que constatou, por exemplo, a pesquisa “Prevalência e causas de zumbido em adolescentes de classe média/alta”, realizada pela Associação de Pesquisa Interdisciplinar e Divulgação do Zumbido (APIDIZ), da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Para a pesquisa foram feitos testes auditivos em 170 adolescentes de 11 a 17 anos. Eles também responderam a um questionário. Mais da metade dos jovens (54,7%) informaram que, nos últimos 12 meses, perceberam tal ruído. Destes, 51% disseram que sentiram zumbido logo após usar fones de ouvido por muito tempo ou ao saírem de um ambiente muito barulhento. Já os testes auditivos revelaram que 28,8% dos adolescentes sentiram zumbido em níveis comparados aos de adultos. 

Os fones de ouvido são, inclusive, considerados os mais prejudiciais porque carregam sons de até 120 decibéis diretamente para o tímpano, colaborando com o aparecimento de zumbido antes mesmo de provocar uma perda auditiva perceptível.
“A grande preocupação é que a 'Perda Auditiva Induzida por Níveis de Pressão Sonora Elevados' (PAINPSE) tem efeito cumulativo, isto é, vai se agravando ao longo do tempo. Dependendo da frequência, do tempo de exposição ao som elevado e da predisposição genética, o indivíduo pode sofrer danos auditivos cada vez mais severos, de forma contínua e elevada ao longo da vida”, explica Isabela, fonoaudióloga. 

O zumbido pode variar de intensidade de pessoa a pessoa, indo desde um pequeno incômodo até um forte ruído que causa um grande estresse e impossibilita a execução das tarefas do dia a dia. A exposição ao barulho é uma das causas mais comum de zumbido. "Muitas vezes, o zumbido está associado à perda auditiva e uma causa muito comum é a exposição a níveis altos de ruído por tempo suficiente para que uma lesão se instale. Quem nunca foi a um local muito barulhento, como um show de rock, e saiu com um zumbido temporário nos ouvidos?", indaga a fonoaudióloga.

Isabela Papera chama atenção também para os altos ruídos nos grandes centros urbanos, que chegam a alarmantes 90 decibéis. "Nessa intensidade, após quatro horas diárias de exposição, o indivíduo terá sua acuidade auditiva afetada", diz. Pessoas que trabalham em ambientes barulhentos também podem sofrer com zumbido. Estudos mostram que 95% da população já ouviram zumbido pelo menos uma vez na vida e até 17% apresentam o sintoma.

Mas tanto o zumbido quanto as perdas auditivas leves à severas podem ser amenizadas com o uso de aparelhos auditivos. A Telex Soluções Auditivas lançou no mercado o discreto modelo miniRITE com a ferramenta Tinnitus SoundSupport, para suporte ao tratamento do Zumbido, sendo o primeiro a oferecer um grande número de opções de controle e de sons – como os sons do oceano – para que cada pessoa possa personalizar os sons que lhe trarão alívio, de acordo com a sua necessidade. O miniRITE é resistente à água e o design moderno e confortável ajuda a derrubar possíveis resistências e preconceitos, preservando a vaidade tão acentuada entre os jovens.
Alda Jesus

Sobre a autora

Alda Jesus - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário