Jogos amistoso - Brasil venceu o Japão (3-1)


Antes do Mundial a disputar na Rússia no próximo ano, o Brasil tem alguns jogos amistosos agendados, um dos quais  frente ao Japão, jogo esse que teve lugar nesta sexta-feira, dia 10. Depois, no dia 14, outro amistoso ansiosamente aguardado, o esgrimir com a Inglaterra.

Por outro lado, e nos mesmos dias, Portugal, também com vista à preparação para o Mundial da Rússia, defrontando, respectivamente, a Arábia Saudita e os Estados Unidos.

Lógico que o técnico Tite já está com os olhos postos na próxima Copa do Mundo e, como tal, aproveitando estes jogos para mais algumas experiências, sobretudo em relação a jogadores que menos têm atuado.

O jogo começou logo com o domínio do Brasil, perante uma seleção japonesa que se apresentou com cautelas defensivas, o que era esperado em função da clara diferença de valores, quer técnica quer taticamente. E o Brasil chegou cedo ao golo, num lance em que o árbitro francês recorreu ao vídeo para verificar um empurrão a Fernandinho dentro da grande área, originando (e depois de confirmado) uma grande penalidade que foi convertida por Neymar. Volvidos seis minutos, outra grande penalidade (sem vídeo, desta feita) que Neymar falou, permitindo a defesa do goleiro japonês para canto (escanteio). Na sequência, um atraso para fora da área onde apareceu Marcelo que, com um pontapé imparável (com o pé direito, que não é o seu melhor), fez um golo de bandeira.

O Japão, aqui e acolá, tentou reagir, mas o melhor que fez foi, na transformação de um livre direto, levar a bota a embater no travessão da baliza brasileira. De resto, o Brasil sempre esteve mais perto do 3-0, o que aconteceu aos 35 minutos, corolário de mais um contra-ataque rápido e bem delineado, com Danilo a colocar a bola milimetricamente na zona onde apareceu Gabriel Jesus para, à-vontade, fazer o golo. Um 3-0 que premiava a boa atuação do Brasil.

Na segunda-parte Tite utilizou, no decorrer da mesma, as seis substituições previstas, entrando Cássio, Alex Sandro, Diego Souza, Douglas Costa, Tailson e Renato Augusto. Foi um período menos conseguido pelo Brasil, o que originou uma subida de rendimento do Japão que chegou ao golo, diminuindo a diferença, resultado que se manteve até ao final do jogo. O jogo valeu pela primeira-parte do Brasil com a obtenção dos seus três golos.

Agora, a grande expectativa para o jogo de terça-feira ante a Inglaterra, tudo indicando que Tite apresentará a força máxima, perante um adversário que é muito mais forte do que o Japão.

Carlos Alberto Alves

Sobre o autor

Carlos Alberto Alves - Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Colabora semanalmente no programa Rádio Face, da Rádio Ratel, dos Açores. Leia Mais sobre o autor...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário