Festival Morabeza pode ajudar a internacionalizar literatura cabo-verdiana


O escritor cabo-verdiano Oswaldo Osório considerou que o Morabeza - Festa do Livro, que termina hoje na cidade da Praia, poderá ajudar ainda mais a internacionalizar a literatura cabo-verdiana

Lusa

"Na perspetiva de estarmos a querer levar o mais longe possível o conhecimento da nossa literatura, neste aspeto os contactos serão sempre necessários para se internacionalizar ainda mais aquilo que temos produzido na nossa literatura. Isso é bom, quando traduzido lá fora nessas línguas ditas de grande comunicação", afirmou.

Oswaldo Osório falava à agência Lusa, na cidade da Praia, onde participa na primeira edição do Morabeza - Festa do Livro, festival literário que termina hoje, após reunir durante uma semana cerca de 40 escritores lusófonos.

O escritor salientou entretanto que, tendo em conta que o cabo-verdiano tem uma apetência pelo conhecimento, a questão dos preços dos livros deve ser revista no país.

"Temos de ter em conta que o preço é proibitivo e nem todos os bolsos podem aceder ao livro. Temos de ver isso também porque os preços são muito elevados e não permitem que todos acedem ao livro", adiantou o poeta, um marco da cultura e literatura cabo-verdianas.

Questionado sobre alguma solução, Oswaldo Osório, que vai fazer 80 anos a 25 deste mês, disse que o país deve começar por criar um bom parque gráfico, que diminua o preço de mão-de-obra, tornando o livro mais barato.

Também sugeriu a reciclagem da "grande quantidade de papel que sobra, por aí fora", já que o país não produz essa matéria-prima.

O poeta, ensaísta, contista e dramaturgo abordou à Lusa a relação entre os escritores lusófonos, deixando a entender que ainda é insipiente, mas considerou que o festival literário vai contribuir para estreitar as relações entre os homens das letras da lusofonia.

"Os livros de Angola chegam pouco cá, de Moçambique pior ainda, os contactos que temos de língua portuguesa são Portugal e Brasil. É preciso arranjar maneira de que as tarifas baixem para nos conhecermos melhor e estabelecermos trocas e intercâmbio de livros, não só culturalmente, mas também através de importação e exportação", sugeriu.


O festival literário chega hoje ao fim, após uma semana com um programa de conferências, conversas, debates, oficinas de trabalho, lançamento de livros e uma feira do livro.

Morabeza - Festa do Livro é uma organização do Ministério da Cultura e Indústrias Criativas, em parceria com a Biblioteca Nacional de Cabo Verde, e conta com o apoio da cooperação portuguesa e brasileira.

Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário