Escola Portuguesa no Brasil deve arrancar em março de 2019


O ministro dos Negócios Estrangeiros português disse esta quinta feira que a Escola Portuguesa que deverá ser construída em São Paulo, a primeira no Brasil, começará a receber alunos em março de 2019.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

O ministro dos Negócios Estrangeiros português disse esta quinta feira à Lusa que a Escola Portuguesa que deverá ser construída em São Paulo, a primeira no Brasil, começará a receber alunos em março de 2019.

“Estamos a trabalhar no sentido de a escola abrir no ano letivo de 2019. Isto significa que ela estará a funcionar em março de 2019”, afirmou Augusto Santos Silva.

“Há várias razões que me levam a dizer que a escola portuguesa será aberta em 2019. Primeiro porque haverá uma eleição em 2019, segundo porque a pessoa do Ministério da Educação que cuida deste tipo de projeto montou uma escola semelhante em Cabo Verde em tempo recorde, e em terceiro porque o Presidente [português, Marcelo Rebelo de Sousa] e o primeiro-ministro [português, António Costa] estiveram aqui [em São Paulo] e disseram que o projeto tem que acontecer”, acrescentou.

O chefe da diplomacia portuguesa, que está a efetuar em viagem oficial ao Brasil, anunciou também que o Ministério da Educação de Portugal já prevê no seu orçamento para 2018 um investimento de 500 mil euros no projeto.

“O orçamento está para ser aprovado no Parlamento português e será debatido no próximo dia 27. A verba está inscrita e vai ser certamente aprovada. Já dispomos de um orçamento e a previsão para fazer as obras no edifício [cedido pelo Governo do Estado de São Paulo] a partir do próximo ano”, contou.

Augusto Santos Silva recordou ainda que o Governo português aposta nestas escolas porque todas as experiências do mesmo tipo que mantém no estrangeiro correm muito bem, citando as existentes em Angola, Moçambique, Timor-Leste, Macau, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde.

“Uma escola como esta [mantida com dinheiro do Governo de Portugal] é algo mais do que apenas uma escola. Nelas também se fazem atividades culturais. A escola será uma espécie de embaixada de Portugal num país irmão”, avaliou.

“A escola corresponde a um anseio da comunidade portuguesa de São Paulo na medida em que ela será ao mesmo tempo capaz de preparar bem os filhos dos lusodescendentes no sistema escolar brasileiro tendo também valências reconhecidas no sistema escolar português”, concluiu.

O ministro dos Negócios Estrangeiros visitou hoje à tarde o local onde vai funcionar a escola portuguesa e foi recebido pelo secretário da Educação do Estado de São Paulo, José Renato Nalini.

De manhã participou na cerimónia de entrega da Ordem do Mérito Empresarial da República Portuguesa na classe comercial ao presidente da EDP Brasil, Miguel Setas, na sede da Câmara Portuguesa de São Paulo.

Augusto Santos Silva encontra-se ainda hoje com a comunidade luso-brasileira e visitará a exposição “Imaginação da Pedra” no Consulado Geral de Portugal de São Paulo.

Na sexta-feira, Augusto Santos Silva seguirá para o Rio de Janeiro onde terá uma série de reuniões oficiais.

Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário