Jogo amistoso do Brasil - Empate (0-0) com a Inglaterra


O Brasil, nesta semana reservada à FIFA, tinha um jogo que, pelas suas características, constituiria um excelente teste para a “canarinha” comandada por Tite, o técnico que, conforme temos referido em anteriores crónicas, trouxe uma lufada de ar novo ao balneário. Nesse sentido, os resultados falam por si. E, nesta terça-feira, veio mesmo a calhar este amistoso com a Inglaterra no Estádio do Wembley, em Londres. O primeiro jogo de Tite frente a um adversário europeu.

E já que estamos a falar de amistosos, Portugal bater por 3-0 a Arábia Saudita e, hoje, também realizava o seu segundo particular ante os Estados Unidos. 

INGLATERRA 0 – BRASIL 0 

Perante uma Inglaterra desfalcada de sete titulares e que se apresentou "trancada" na sua defensiva, o Brasil, no entanto, e apesar do seu domínio, nunca encontrou espaços para penetração, não criando lances de "frisson". E quando o Brasil optou pelos remates de longe, erraram sistematicamente, nomeadamente Neymar. Uma primeira-parte que não registou motivos de interesse, dir-se-á mesmo um jogo morno, com a Inglaterra a levar a água-ao-seu-moinho em termos defensivos.
Alguma melhoria no segundo-tempo, mas não foi aquele jogo que todos esperariam, tratando-se de um clássico mundial. O Brasil melhorou com as entradas de William, Fernandinho e Firmino. Dois lances perigosos, remate de Fernandinho a roçar o poste e outro de Paulinho à figura do goleiro inglês. Neste jogo, também ficou claro que ao Brasil faltou mais coletivismo. 
Acresce que este jogo foi dirigido pelo árbitro português Artur Soares Dias e que esteve em bom plano.

PORTUGAL 1 - ESTADOS UNIDOS 1 

Também Fernando Santos, e mais uma vez, aproveitou este jogo para colocar em campo jogadores menos utilizados, isto em relação aos convocados. Aliás, a intenção deste dois jogos (Arábia Saudita e Estados Unidos) visou exatamente preparar a seleção nacional com a utilização de jogadores que não têm sido titulares.
Portugal começou a perder por 1-0, mas, quando registou melhoria no seu futebol, chegou à igualdade (1-1).
Na segunda-parte, com as alterações feitas por Fernando Santos, Portugal melhorou o seu conteúdo futebolístico e tudo fez para chegar à vitória, o mesmo se dizendo em relação aos Estados Unidos. 
Ao fim e ao cabo, aceita-se o empate verificado, num jogo de muitas substituições.

Carlos Alberto Alves

Sobre o autor

Carlos Alberto Alves - Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Colabora semanalmente no programa Rádio Face, da Rádio Ratel, dos Açores. Leia Mais sobre o autor...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário