Universidade do Algarve acolhe IV Fórum Luso-Brasileiro de Arqueologia Urbana


O IV Fórum Luso-Brasileiro de Arqueologia Urbana (IV FAUR) decorre nos dias 12 e 13 de Outubro, no anfiteatro Teresa Gamito, do Campus de Gambelas da Universidade do Algarve (UAlg), em Faro.

Este é um evento que reúne arqueólogos, arquitetos, historiadores e outros interessados no estudo de cidades, oriundos de mais vinte instituições do Brasil, Portugal e Espanha.

Destas instituições contam-se investigadores de quinze universidades (oito brasileiras, duas espanholas e cinco portuguesas) que irão debater com técnicos das autarquias e especialistas em intervenção urbana as problemáticas decorrentes da conciliação da construção nova e da reabilitação atual com as preexistências e os edifícios patrimoniais, sobretudo nos centros históricos.

A primeira edição deste evento realizou-se em 2006, em Salvador da Bahia, seguindo-se Coimbra, em 2008, e Recife, em 2011.

«A procura e interesse crescentes ao longo destas três edições do Fórum Luso-Brasileiro de Arqueologia Urbana, assim como a expansão da arqueologia em meio urbano nos últimos anos, leva a que, após um interregno de seis anos, se organize, na Universidade do Algarve, uma quarta edição onde as problemáticas de fazer arqueologia em cidades históricas serão o tema central», explica a UAlg.

«As questões levantadas pela reabilitação urbana em centros históricos, mas também a forma como se constrói hoje a cidade, onde o subsolo entra, como nunca, na equação construtiva, tornam necessário discutir os diversos problemas, teóricos e metodológicos, que se colocam para a preservação do passado no quotidiano das nossas cidades», acrescenta.

«Se o tema não é novo, as dinâmicas da contemporaneidade impõem que seja constantemente revisitado, até porque hoje a arqueologia se afirmou como um parceiro incontornável no planeamento da urbe».

Segundo João Pedro Bernardes, arqueólogo e membro da comissão organizadora, «a intervenção nas cidades históricas, enquanto lugares de património e locais de encontros geracionais e civilizacionais, pressupõe um diálogo amplo e interdisciplinar não só entre arquitetura e arqueologia, mas entre todas as ciências e saberes que podem contribuir para a qualificação e sustentabilidade destes espaços de (con)vivência privilegiada».

No dia 14 de Outubro realiza-se ainda uma visita de estudo à vila museu de Mértola, um dos mais emblemáticos casos de arqueologia urbana em Portugal.

O IV FAUR é organizado pelo pólo da UAlg do Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Ciências do Património (CEAACP), com sede na Universidade de Coimbra.

Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário