LOQ apresentam álbum de estreia "Capitão de Jangada" a 13 de Outubro

Os LOQ são um projeto musical de originais de Daniela Varela e Jorge Manuel Marques. Iniciado em 2014, foi no ano de 2016 que a banda atinge maturidade e começam as gravações para o álbum de estreia “Capitão de Jangada” com lançamento marcado a 13 de Outubro de 2017.

A sigla LOQ tem origem no começo do projeto e significa Lunar Orquestra Quântica, nome temporário que foi ficando, mesmo depois de muitas tentativas para o mudar.

As influências musicais presentes nas composições vão desde os blues à música mediterrânica, passando pela América latina e até um pouco de África, sem nunca perder a portugalidade que caracteriza o projeto. O imaginário LOQ encontra inspiração na cultura do século XX, como a música cinematográfica de Ennio Morricone, a literatura de Gabriel Garcia Marques ou a poesia visual de Corto Maltese.

Sobre o álbum  “Capitão de Jangada” (de Lunar Orquestra Quântica)

O Capitão de Jangada sai à procura do paraíso. Cruza-se com reis de outros tempos, com fábulas e contos de outras gentes. Tem encontros inesperados, aventuras e desagrados, descobre medos desconhecidos e caminhos escondidos que só o amor sabe percorrer.

Divagando pelos temas

1. Desértico Eléctrico - Não decidir é o maior dos erros. É congelar o tempo de um corpo que sempre envelhece. Porque cair faz parte do caminho e a incerteza é o tempero da viagem. Desértico Eléctrico é o esplendor da força que move montanhas e faz seguir
2. Capitão de Jangada - Só pode ser capitão quem se liberta do que já não precisa, quem sabe rir-se de si, quem dança sobre o que morre e celebra a vida a cada nascimento. Só é capitão quem encontra a generosidade da coragem.
3. Desembarque – Interlúdio
4. Tiro no Pé - O amor é um turbilhão de emoções e situações estranhas que invadem cantos e recantos da alma, que afinal é gigante e nos faz perder na sua imensidão.
5. Sete Luas - O sonho comanda a vida... e a vida nasce do amor que inspira o sonho. A história épica da consciência e da vontade de transcender, que persiste ao longo das Eras, impregnada em todas as vidas que por elas passaram e que, sabendo ou não, criaram um paraíso a cada momento em que o procuraram
6. Swing La La - A vida é uma sequência de imprevistos em que só nunca cai quem não anda. E se o futuro está sempre por escrever, a culpa é a madrasta que nos rouba a caneta.
7. Carnaval Triste - Interlúdio
8. Noite Branca - Uma viagem pelos momentos de solidão de quem ama e acende a candeia da esperança para iluminar o caminho do reencontro
9. O Bom O Mau e O Vilão - Afinal, quem é que tem realmente coragem de seguir o caminho em que acredita, seja qual for o destino?
10. Rumores - Quem conta um conto acrescenta um ponto. Quer torná-lo seu, impressionar quem o escuta. Especialmente se contar sobre a vizinha;)
11. Absinto - O capitão sabe que não há dor nem tempestade que dure sempre. São o preço inevitável a pagar pelo prazer de cada conquista.

Alinhamento do álbum

1. Desértiko Eléctriko
2. Capitão de Jangada
3. Desembarque
4. Tiro no pé
5. Sete Luas
6. Swing La la
7. Carnaval Triste
8. Noite Branca
9. O Bom, O Mau e o Vilão
10. Rumores
11. Absinto

Daniela Varela - Voz, vozes e percussões 
Jorge Marques - Guitarras, cavaquinho, percussões e vozes
Inês Vaz - Acordeão
Marco Coelho - Viola Baixo
Rogério Fernandes - Bateria e percussões 
Participação especial de Moisés Fernandes no tema "Absinto" - Trompete

***

Edição Áudio por Daniela Varela e Jorge Manuel Marques 
Mistura por Fernando Abrantes, Daniela Varela e Jorge Maques Marques
Mistura e masterização por Fernando Abrantes no estúdio “Spaces2faces”

LOQ

Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal.

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário