Festival Febre tem 3 dias de programação intensa

O grupo Mombojó sobe ao palco do Asteroid no domingo às 22h -

Felipe Shikama 

Mais de 40 atrações da música independente de 17 estados brasileiros fazem parte da programação da 3ª edição do Febre -- Festival e Conferência de Música, que começa nesta sexta-feira (6) e prossegue até domingo (8) em 10 palcos espalhados por Sorocaba, entre bares e casas noturnas (ingressos a R$ 35) e o Parque dos Espanhóis, com entrada gratuita. A parte da conferência, por sua vez, ocorrerá no Sesc Sorocaba (rua Barão de Piratininga, 555), entidade correalizadora do evento, e contará com seis painéis, com artistas e especialistas convidados. 
  
De acordo com Pêu Ribeiro, idealizador e um dos organizadores do Febre, esta será a maior edição desde a estreia em 2015. "Não só numericamente, como do nível do lineup, que conta inclusive com nomes que estão no mainstream como a Tiê e a Tulipa Ruiz", destaca. O modelo do festival, segundo ele, propõe uma espécie de ocupação, de forma que a cidade participe das ações culturais e descubra novas estéticas musicais ao longo de três dias. Além de Tiê e Tulipa Ruiz, citados pelo idealizador do festival, figuram entre os destaques desta edição Karina Buhr, Linn da Quebrada, O Terno, Ekena, e Mombojó. 
  
Segundo Ribeiro, a conferência, com painéis voltados a discussões de temas ligados a diferentes aspectos da produção musical independente, é o ponto alto do Febre e o diferencial em relação a outros festivais de música voltados mais ao entretenimento do que à formação cultural. "Não é um festival de massa, mas sim de nicho. A proposta é discutir temas relevantes atuais e incentivar a profissionalização musical, a fim de fazer a cena se conectar e crescer", defende. 
  
Também como parte da programação do Febre, a área de convivência do Sesc recebe nesta sexta-feira, das 14h às 19h, um feira voltada para artes visuais e ilustradores, com prints, artesanato, esculturas, desenhos, zines, entre outros. Sábado (7), das 14 às 19h, também no Sesc, ocorre a Feira de Música, que reunirá representantes de gravadoras, revistas, estúdios entre outros produtos e serviços ligados ao mundo da música independente. 

Painéis 
  
Nesta sexta, às 14h, as cantoras Linn da Quebrada, Alessandra Leão e Janaína Silva participam do debate "Fascismo, Violência, Resistência e Revide" sob a mediação da musicista e socióloga Flávia Biggs. Na sequência, às 16h, o produtor cultural Pena Schmidt, a jornalista Bruna Veloso e a técnica de Ação Cultural do Sesc, Sonoe Juliana participam do painel "A Próxima Grande Coisa", mediado pelo produtor cultural Pêu Ribeiro. 
  
Sábado, às 14h, as cantoras Amorina e Tiê e a iluminadora Olívia Munhoz debatem no painel "Força: Substantivo Feminino", mediado por Dani Ribas. Também no sábado, às 16h, os produtores musicais Miranda, Gustavo Ruiz e Gui Jesus participam do painel "A Mitológica produção Musical", que será mediado por Zé Carlos. 
  
No domingo, às 14h, o músico e produtor Eduardo Porto, o Selo Risco (criado por Gui Jesus e Guilherme Giraldi) e a diretora do Sim São Paulo, Fabiana Batistela, debatem no painel "Público: combustível de artista", que será mediado pelo designer Daniel Bruson. O encerramento da conferência ocorre às 16h, com o painel "Arte-educação é a salvação", com participações de Carmem Ribeiro Costa, representante do Projeto Guri, o secretário de Cultura e Turismo de Sorocaba, Glauber Piva, e a doutora em Educação, Ilza Zenker. 
  
Recorde de inscritos 
  
Em sua terceira edição, já consolidado como um dos grandes festivais de música independente do Brasil, o Festival Febre mais uma vez abriu espaço para uma seleção de novas bandas que contou com o recorde de 345 artistas inscritos, de todas as regiões do Brasil. "Ao todo, 23 foram selecionados para compor a metade da programação de música deste ano", comenta Pêu. O chamamento ocorre desde a primeira edição e, segundo os organizadores, foi criado com intuito de mapear a produção musical da região. 
  
Dentre os artistas de Sorocaba estão o cantor e compositor João Leopoldo, que apresentará pela primeira vez na cidade o show de lançamento do CD Oi, tudo bem?, no domingo, às 15h, no Palco Maloca (rua Francisco Scarpa, 321). Já a cantora Paula Cavalciuk, que recentemente se apresentou no Rock n Rio, faz show no domingo, às 18h, no Parque dos Espanhóis, precedendo o show de Tulipa Ruiz. 
  
Workshops 
  
Além da conferência, a unidade do Sesc sedia três workshops gratuitos, além de um minicurso que teve início ontem. "Em Busca da Batida Perfeita", com o rapper e produtor cultural Dabliueme, ocorre nesta sexta, das 18h às 20h; "Residência Artística", com a cantora Ligiana Costa, sábado, das 16h às 18h, e "Como Fazer Shows Pela América Latina" com o produtor cultural Thiago Piccoli, no domingo, às 16h às 18h. Os workshops tem vagas limitadas, são gratuitas e os ingressos devem ser retirados com hora de antecedência na central de atendimento do Sesc. 
  
Os ingressos diários para os shows em bares e casas noturnas participantes, disponíveis até o fechamento desta edição, custam R$ 35 e podem ser adquiridos no local ou antecipadamente pelo site www.sympla.com.br. A relação dos endereços bem como a programação completa estão disponíveis no site www.festivalfebre.com.br. 


In:http://www.jornalcruzeiro.com.br
Carmen Augusta

Sobre a autora

Carmen Augusta - Administradora e Redatora do Portal Splish Splash. Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário