Apuramento ao Mundial de 2018 – Portugal venceu (2-0) Andorra


Portugal até às últimas duas partidas que faltam disputar, só conheceu uma derrota, exatamente no primeiro encontro deste grupo ante a Suíça que conta por vitórias todos os seus jogos realizados. Assim, Portugal teria que vencer Andorra e esperar pelo último confronto com a Suíça a ser realizado no “inferno” da Luz. O jogo de caráter decisivo para Portugal ficar em primeiro lugar no grupo. Obviamente que, hoje, no esgrimir com Andorra, total favoritismo para a seleção lusa, não obstante Cristiano Ronaldo não fazer parte do onze inicial por precaução, uma vez que já tem um cartão amarelo e se neste jogo levasse um segundo não defrontaria a Suíça na próxima terça-feira.


O JOGO - Num relvado sintético, também todo o cuidado na colocação de bola de pé-em-pé e, sobretudo, na profundidade para os Silvas, André e Bernardo, os dois jogadores mais avançados, com Bernardo Silva a fazer de Cristiano Ronaldo. E sabe-se que em casa Andorra revela coesão defensiva. E para Portugal seria importante marcar cedo para tranquilizar muito mais. Portugal que, desde o início do jogo, comandava as operações com bons envolvimentos do meio-campo para a frente. Portugal sufocava em busca do tão almejado golo, com  aquela ansiedade que é natural num jogo com estas características, ou seja, com uma Andorra "acampada" em frente à sua área, situação que já era esperada. A juntar a tudo isto, o péssimo relvado sintético, com a borracha bem visível. E com Portugal ainda no empate a Suíça já vencia por 2-0 a Hungria. Portugal tinha mesmo que encontrar a melhor forma de chegar ao golo, perante uma Andorra que continuava hermeticamente fechada, o mesmo que dizer que não se preocupava em chegar junto da baliza de Rui Patrício. Sintomático.
Com os minutos passando, Portugal pressionava, mas nada de surgir o tão almejado golo para tranquilizar e consequentemente para abrir clareiras na super defesa de Andorra, ou seja, fazer  os de Andorra abandonarem o acampamento. E o melhor em campo estava a ser o goleiro  da seleção anfitriã, José António Gomes. Digamos o comandante da muralha defensiva. E o intervalo chegou com o marcador em branco, o que não agradava nada às hostes portuguesas. Portugal não marcava e a Suíça aumentava para 3-0.

A SEGUNDA-PARTE - Atendendo às dificuldades encontradas, o técnico Fernando Santos fez entrar Cristiano Ronaldo para o lugar de Gelson Martins.

O melhor do mundo abriu as hostilidades em Andorra
Com CR7 em campo, Portugal imprimia mais velocidade ao jogo. Aumentava a ânsia de chegar ao golo. E de golos era a Suíça que marcava o quarto e se Portugal não marcasse a Suíça já fazia a festa no final do seu jogo. E para Portugal o golo era tão importante como pão para a boca. E ele veio. E de quem? Cristiano Ronaldo o "pai da criança", como dizem os brasileiros. Cristiano Ronaldo não perdoou. O melhor jogador do mundo sempre faz a diferença. Portugal marcava e a Hungria reduzia a diferença em Basileia.
Dir-se-á que, com a entrada de Cristiano Ronaldo, Portugal melhorou muito e começaram a surgir as oportunidades de golo. Uma outra dinâmica, para melhor. 
Fernando Santos fez uma segunda alteração, entrando William Carvalho, saindo Ricardo Quaresma. A entrada de William Carvalho para um pouco de contenção.
Portugal com  uma vitória suada em função do sistema ultra-defensivo de Andorra que, recorde-se, perdeu neste mesmo estádio com a Suíça por 2-1.
Mas estava escrito que Portugal marcaria mais um golo, desta feita da autoria de André Silva. Uma jogada muito bem delineada. André Silva que foi rendido por Gonçalo Guedes nos derradeiros momentos da partida.
Portanto, terça-feira, no Estádio da Luz, em Lisboa, Portugal e Suíça vão discutir quem será o primeiro do jogo. Suíça que tem três pontos de avanço, o que significa que só a vitória interessa a Portugal. E, na terça-feira, em Lisboa, todos os caminhos vão dar ao Estádio da Luz. Um tal ajuste de contas com os suíços que, acrescente-se, fizeram 5-2 na Hungria.                                                
Carlos Alberto Alves

Sobre o autor

Carlos Alberto Alves - Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Colabora semanalmente no programa Rádio Face, da Rádio Ratel, dos Açores. Leia Mais sobre o autor...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário