Alejandro Sanz sobre os quatro filhos: "Todos têm um talento para a música"


Em entrevista a QUEM, cantor espanhol ainda fala sobre os 20 anos do álbum 'Más', a nomeação de Artista do Ano no Grammy Latino de 2017 e os planos para voltar ao Brasil

Por Marina Bonini

Ouvir o nome de Alejandro Sanz sem começar a cantarolar e dançar Corazón Partío é praticamente impossível para quem viveu a década de 1990. O cantor conquistou o mundo com o hit do álbum Más, disco que detém o recorde de vendas na Espanha com mais de dois milhões de cópias - no mundo foram mais de seis milhões. Os frutos deste trabalho e de uma carreira sólida acabaram lhe rendendo a nomeação de Artista do Ano no Grammy Latino de 2017, premiação da qual tem 20 gramofones latinos e três americanos.
“É como realizar um sonho. Eu mesmo participei de homenagens do Grammy cantando Caetano Veloso e Roberto Carlos. Estou muito feliz!”, vibrou o espanhol em entrevista a QUEM.

Reviver o começo de sua carreira por meio da turnê Más es Más, em comemoração aos 20 anos de lançamento do álbum, fez Sanz se lembrar do trabalho duro que teve que fazer para obter tanto sucesso. “Más foi um álbum que levou muito anos para eu fazer. Foi incrível poder cantar novamente algumas músicas, mas com arranjos novos, reunir meus amigos para cantar comigo. Gravamos um DVD da turnê que mostra toda essa energia. Foi uma noite impressionante”, conta ele, que agora em novembro terá sua biografia Vive lançada pela editora Aguilar.

“A biografia foi escrita por gente que trabalhava comigo, companheiros, músicos, artistas, pessoas famosas e anônimas… Foram pessoas importantes para a minha carreira. Foi importante ver que cada um tinha uma perspectiva diferente, que nem sempre se batiam (risos). É bem divertida de ler. Me ajudou a relembrar o começo da minha carreira. Não recordava o quanto trabalhei. Foi realmente incrível o trabalho que tive para promover o meu trabalho como ir para a América e começar do zero em praticamente todos os países. Não foi fácil! Mas era necessário fazer tudo aquilo para conseguir esse sucesso.”
O cantor, que em janeiro começa a trabalhar nas composições para o seu novo álbum, tenta equilibrar sua dedicação profissional com os cuidados com os seus quatro filhos, Manuela, de 16 anos, Alexander, de 14 anos, Dylan, de 6 anos, e Alma, de 3 anos.

“Tento sempre passar um tempo de qualidade com eles. Gosto de brincar com eles e desfrutar cada momento porque o dia de hoje não volta. Se você não brinca com o seu filho hoje, amanhã não vai recuperar isso. E as crianças crescem muito rápido. Por isso, quero desfrutar cada segundo com eles. Dou muito carinho para que eles se acostumem e encho eles de beijos e abraços. Às vezes, eles até falam para eu parar, mas acho que temos que fazê-los acostumar com muito amor mesmo”, explica. 


Alejandro Sanz (Foto: Rick Diamond/One Voice: Somos Live!/Getty Images)

Você abriu muitas portas para a música latina. Como vê o mercado mundial para os cantores latinos atualmente?
Hoje em dia a música latina está em números quase que superiores aos das músicas anglo-saxônicas. Está certo que se exige muito esforço para internacionalizar essa música, mas agora houve uma revolução com o reggaeton. A forma de alcançar as pessoas também não é a mesma de antes. Não é só tocar a música na rádio e na televisão, agora as redes sociais são muito importantes. O panorama mudou muito, mas ao mesmo tempo a música continua sendo parte da vida.

Você não acha que hoje em dia é mais complicado fazer um álbum tão bem-sucedido como Más? Que perdure por tanto tempo?
Não acho que seja impossível. O problema é que hoje em dia há muita pressa. Há menos tempo para buscar a excelência, prestar atenção nos detalhes… Más foi o disco mais vendido na Espanha. Acho que musicalmente ainda é possível fazer um trabalho de tamanho sucesso, mas em números de vendas, não. Não se vendem mais discos!

Você tem fãs muito fanáticos no Brasil. Uma fã, inclusive, se casou com suas músicas. O que acha desse carinho sem fim?
Tenho muita saudades do Brasil porque faz tempo que não vou para aí. Mas sigo me comunicando com os meus fãs brasileiros pelas redes sociais. Eles sempre me pedem para voltar. Quero ir em breve, respirar o Brasil e rever a minha gente. O Brasil sempre me deu uma energia muito grande. Quero sentir isso novamente! Também gosto muito de estar em contato com os músicos brasileiros, sair para comer e visitar as cidades. Rio e São Paulo têm lugares muito bonitos.

Na sua biografia tem uma parte dedicada ao Brasil?
Claro que sim! O trabalho de promoção que tive no Brasil foi um dos mais impressionantes de toda a minha carreira. Era muito difícil um artista espanhol entrar no Brasil. Foi muito importante para mim!

Recentemente você postou uma música de Daniela Mercury em sua rede social. É uma amizade que você mantém ou vem uma nova parceria?
Tenho amigos no Brasil e quem sabe (uma nova parceria)? Daniela me convidou para cantar em um trio elétrico aí em Salvador e São Paulo. Ela vai me mandar as datas ainda para ver se eu posso aceitar. Quero muito, mas dependo das datas. Minha agenda é muito complicada.

Alejandro Sanz (Foto: Rick Diamond/One Voice: Somos Live!/Getty Images)

Você já está trabalhando em um novo álbum? Como está o processo de composição?
Começo a compor em janeiro, no começo do ano que vem. Já tenho algumas coisas gravadas, alguns trechos, mas em janeiro vou para o estúdio.

O que você pretende fazer nesse álbum? Vai ter reggaeton?
Imagina? (risos). Reggaeton não vai ter! Mas ainda não tenho muita ideia do que vou fazer porque preciso sentar no estúdio, tocar o violão e lá, começar a saber o que vou fazer. Geralmente não sei de antemão.

Qual o segredo para um cantor latino ser tão bem-sucedido como você?
É importante colocar o coração sempre em tudo o que se faz. Amar a música, o trabalho e entregar a sua vida. É quase como um pacto com o diabo. Temos que entregar a vida para a música. Acho que temos que dar oportunidades aos cantores novos e apoiá-los a seguir adiante porque muitas vezes eles encontram muitos obstáculos. No Brasil há muitos músicos bons.

Os seus filhos já mostram interesse pela música?
Sim! Todos têm um talento para a música. Alexander toca trombone e faz rap. Ás vezes, não gosto das letras que ele canta (risos), mas enfim… Manuela, a mais velha, toca piano e Dylan está fazendo aula de piano. A Alma é muito pequena ainda, mas já canta flamenco quando chora (risos).

Você apoiará seus filhos se eles queiserem seguir a carreira artística?
Apoiaria sim! Quero que eles sejam felizes e apoiaria qualquer coisa que eles desejassem ser.
Alejandro Sanz (Foto:  Frazer Harrison/Getty Images)

In  revistaquem.globo.com/QUEM-News
 --------------------------------------------------
El pop en español arropa a Alejandro Sanz en la despedida del Calderón 
 
 
 Alejandro Sanz - Corazón Partío - Festival de Viña del Mar 2016 - HD 1080p
 
 
Ivete Sangalo, Alejandro Sanz - Corazón Partío
 
Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário