#VivaSuaBelezaViva: Natura e Google desenvolvem projeto para promover a autoaceitação


Iniciativa traz depoimentos de YouTubers revelando as inseguranças que têm em relação à sua aparência

Apesar de todas as dificuldades, é inegável que a internet ajudou o mundo a ficar mais empoderado. As pessoas se tornaram mais tolerantes às diferenças, surgiram grupos de apoio às mais diversas causas, há cada vez menos espaço para o preconceito e cada vez mais espaço para o autoconhecimento e a aceitação.

Prova disso é que somente nos últimos dois anos as buscas por cabelo afro no Google cresceram 309%, já as por moda plus size aumentaram 74%, reforçando a importância de se discutir um conceito de beleza que seja mais democrático e inclusivo. Entretanto, o que tem mudado e se ampliado no coletivo, continua sendo tabu quando o assunto é o nosso próprio corpo.

Ciente dessa realidade, a Natura juntamente com o Google, lança a campanha #VivaSuaBelezaViva. Com o objetivo de provar que a beleza depende basicamente de como enxergamos características e atitudes e não de um conceito pré-definido, as marcas convidaram seis YouTubers de diferentes perfis para quebrarem as barreiras que cada um impõe para si e fazerem o que nunca tiveram coragem: falar e agir publicamente sobre aquilo que mais incomoda em seu corpo.

O grupo apresentará em seus canais quais são as suas inseguranças com relação a aparência e como fizeram para superá-las. Cada criador de conteúdo convida outro para o desafio e a audiência também é motivada a fazer isso em frente às câmeras, postando vídeos com a hashtag #VivaSuaBelezaViva.

O primeiro vídeo da série vai ao ar em 6/9, às 19h e traz Carlos Santana falando sobre a sua vontade de raspar os cabelos, especialmente durante o verão, mas sempre evitada por conta das grandes entradas no couro cabeludo. O YouTuber então faz o corte e comemora o fato de ter se libertado desse “medo”. Helen Ramos, do canal Hel Mother, expõe que o fato de não ser magra a impedia de usar o cropped, uma forte tendência de moda dos últimos tempos. A criadora decide usar a peça em público.

Será lançado um vídeo por dia até 11/9. Participam do projeto ainda Tatá Estaniecki, Mandy Candy, Nataly Neri (Afros e Afins) e Iberê Thenório e Mari Fulfaro (Manual do Mundo), compartilhando inseguranças sobre a pele, o cabelo, a barriga, entre outros temas.

"O YouTube é um espaço livre dos padrões de beleza impostos pela sociedade. A plataforma permite que todos tenham uma voz e oferece liberdade para que tabus sejam quebrados. Com seu alcance, o YouTube amplifica essas vozes e serve de catalisador para mobilizações sociais. Com esse projeto, esperamos dar início a um movimento ainda maior de autoaceitação e libertação do julgamento”, completa Luciano Eugênio, YouTube Insights planner no Google Brasil.
Estreia da campanha produzida pela Snack, em 6 de setembro e contempla seis peças.
 

Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário