Mundial de 2018 na Rússia – Portugal 5-1 nas Ilhas Faroe e Brasil 2-0 no Equador


Nesta quinta – feira, Portugal e Brasil em ação com jogos referentes ao apuramento ao Mundial de 2018 a disputar na Rússia. Como se sabe, o Brasil, que tem mais quatro jogos para disputar (o de hoje e mais três), já está apurado, enquanto que Portugal, que esgrimia com as Ilha Faroé, depende de si próprio até chegar ao derradeiro encontro com a Suíça, o único adversário que, até agora, derrotou os portugueses (2-0). Claro que aqui colocamos a hipótese da Suíça também vencer os seus jogos até à deslocação ao país luso. De resto, Portugal tem, no domingo, dia 3, um jogo difícil com a Hungria em Budapeste, enquanto que o Brasil medirá forças com a Colômbia na terça-feira, dia 5.

A seleção portuguesa entrou em campo mais cedo do que o Brasil, ante as Ilhas Faroe no estádio do Bessa, no Porto, propriedade do Boavista Futebol Clube. Apesar de não ter alinhado pelo Real Madrid nos últimos três jogos (castigo da Liga Espanhola de cinco jogos), Cristiano Ronaldo entrou como titular, o que, aliás, era de esperar.


André Silva teve uma exibição muito apagada

Portugal logo aos dois minutos, abriu o marcador com um golo de belo efeito de Cristiano Ronaldo. Perante o 5-4-1 das Ilhas Faroe, Portugal dominou o jogo, mas em ritmo de treino. Veio o segundo golo, de novo apontado por Cristiano Ronaldo de grande penalidade a castigar um indiscutível derrube a João Mário. Portugal jogava sem pressas e, daí, veio a sofrer um golo aos 37 minutos, após uma desatenção da defensiva lusa. O primeiro golo das Ilhas Faroe em todos os confrontos até então disputados com Portugal. Com o golo madrugador de Cristiano Ronaldo, tudo indicava que Portugal partia para uma goleada já nesta primeira-parte. Mas assim não aconteceu e, como tal, a etapa complementar a ter que ser encarada com mais dinâmica e a consequente velocidade. E assim foi com a obtenção de mais três golos (William Carvalho, Cristiano Ronaldo e Nelson Oliveira). Fernando Santos fez entrar Ricardo Quaresma (João Mário), André Gomes (João Moutinho) e Nelson Oliveira (André Silva).


Ao fim e ao cabo, e apesar do golo sofrido ao terminar a primeira-parte, Portugal fez o seu dever de casa, ou seja, vencendo com goleada, com "hat-trick" de Cristiano Ronaldo. 


Domingo, ante a Hungria, em Budapeste, tarefa difícil para Portugal. O lema é ganhar mais este encontro, o que se segue e, finalmente, a Suíça jogo a disputar em Portugal.


                                 O JOGO DO BRASIL - EQUADOR


Começar por dizer, e um tanto curiosamente, que o Brasil apresentação a mesma formação que, no jogo da primeira volta, venceu por 3-0 e que marcou a estreia de Tite na "canarinha".  

O Brasil começou logo a dar indicações de que, não obstante já estar qualificado, estava ali para alcançar a nona vitória consecutiva e consequentemente dar mais uma alegria aos seus prosélitos, sobretudo os que estavam presentes na Arena do Grémio em Porto Alegre.

O Brasil, como se previa, apostou numa toada de ataque, contrapondo o Equador com contra-ataque de lançamentos longos para os dois Valências atacantes, jogadores muito rápidos. Apesar de tudo, o Brasil, sentia dificuldades de penetração, mau grado o facto de registar maior tempo de posse de bola. Por outro lado, era notório que o Equador ficaria satisfeito com o 0-0 ao intervalo. E assim foi.


                                                  
O Brasil entrou para o segundo-tempo com Tiago Silva no lugar de Miranda. E também se constatava que o Brasil aplicava a velocidade para surpreender o último reduto defensivo do Equador. No primeiro tempo, faltou ataque ao Brasil. Mas manda a verdade dizer que a exibição da "canarinha" não agradava aos espectadores. Os assobios começaram a ouvir-se, apesar do Brasil, no ataque, se revelar mais perigoso, paralelamente ao que aconteceu na primeira-parte. E para manter essa toada, Tite fez entrar Coutinho para o lugar de Renato Augusto. A fase de um Brasil mais ativo, mas nada de aflorar o tão almejado golo.  Golo? Veio logo aos 68 minutos por intermédio de Paulinho, o novo reforço do Barcelona. Abertas as hostilidades para o Brasil chegar à nona vitória consecutiva. O período em que o Brasil bombardeava e numa fase em que apareceram mais espaços de manobra dentro da área do Equador. Com o Equador mais aberto, adivinhava-se o segundo golo do Brasil que aflorou aos 76 minutos, sendo seu autor Coutinho que deu sequência a uma grande jogada de Gabriel Jesus. Com a entrada de Coutinho, o Brasil atuava com muito mais definição atacante, o que estava a faltar antes de surgir o primeiro golo.

E, a 7 minutos do fim, entra Luan e saiu William. Luan que atua no Grémio e foi muito aplaudido pelos muitos gremistas presentes no jogo.

Vitória do Brasil inteiramente merecida pelo que fez na segunda-parte, mormente a partir do momento em que a "canarinha" apontou o primeiro golo. De resto dizer que Neymar foi muito individualista neste jogo.                                                                              
Carlos Alberto Alves

Sobre o autor

Carlos Alberto Alves - Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Colabora semanalmente no programa Rádio Face, da Rádio Ratel, dos Açores. Leia Mais sobre o autor...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário