Como lidar com a incontinência urinária?


Especialista aponta 6 dicas para homens que enfrentam o problema

Embora a incontinência urinária seja mais frequente em mulheres, uma parcela considerável da população masculina também enfrenta o problema. Nos Estados Unidos, 17% dos homens com mais de 60 anos já experimentaram algum desconforto nesse sentido. Geralmente, tem a ver com a próstata – mas não necessariamente com câncer de próstata. De acordo com Arnaldo Cividanes, urologista e diretor técnico do Hospital SAHA, em São Paulo, nessa fase da vida é muito comum observar um aumento na próstata que, eventualmente, pode influenciar negativamente no funcionamento da uretra, resultando em dificuldade para controlar a urina e favorecendo a sensação de urgência para fazer xixi.

“É fundamental avaliar clinicamente o paciente, buscando o máximo de informações para determinar a raiz do problema. Só assim podemos estabelecer um plano de tratamento e indicar formas de evitar mal-estar e constrangimento. Há pacientes que têm vontade de urinar, mas demoram a efetivamente soltar o primeiro jato. Outros urinam em jatos curtos e espaçados. E há aqueles que, diante de uma urgência urinária inesperada, costumam enfrentar problemas sociais nesse sentido. Seja como for, para tudo há tratamento”, diz o urologista.

Cividanes afirma que câncer de próstata e hiperplasia prostática benigna são causas comuns de incontinência urinária em homens. Nos primeiros seis meses depois da cirurgia para retirada do câncer de próstata, por exemplo, entre 10% e 25% dos pacientes podem ter incontinência urinária de vários graus de intensidade. Completado um ano depois da cirurgia, esse percentual cai para menos de 5%. “O estágio inicial do câncer de próstata costuma ser bastante silencioso, sem manifestações claras de alterações miccionais. Já quem tem a próstata alargada (hiperplasia prostática benigna), o que pode se manifestar a partir dos 50 anos, é possível que ela esteja bloqueando o fluxo urinário e fazendo com que os homens apresentem sintomas de jato fraco, interrompido, dificuldade para iniciar a micção, aumento da frequência das micções, urgências e até perdas involuntárias. Daí a importância de um diagnóstico baseado em avaliação clínica, histórico do paciente e exames de toque, de urina e de imagem (ultrassom, tomografia e ressonância magnética)”.

De acordo com o especialista, o ideal é tratar e sanar o problema causador da incontinência. Quando isso ainda não é possível, existem medidas paliativas para driblar esse terrível desconforto social. Uma delas é fazer exercícios que fortaleçam o assoalho pélvico – assim como as mulheres vêm fazendo há algum tempo. Outra sugestão é conferir o que a indústria tem para prevenir exposição desnecessária do problema. “Hoje há desde cuecas especificamente reforçadas para absorver vazamentos involuntários, até dispositivos que funcionam como absorventes femininos e fraldas. O importante é que o paciente encare essa fase como temporária e, juntamente com seu urologista, persista na busca da solução definitiva para o problema”.

Arnaldo Cividanes aponta seis dicas para os homens lidarem melhor com a incontinência urinária:

1. Após urinar, aguarde mais um pouco e confira se a vontade ainda persiste.

2. Pare de fumar. Sempre é tempo de melhorar a saúde em geral.

3. Jamais deixe de tomar água por receio das consequências. Se hidratar é importante sempre.

4. Reduza a ingestão de bebidas alcoólicas, refrigerantes e chá mate/preto.

5. Trate a constipação.

6. Se estiver com sobrepeso ou obesidade, faça dieta e exercícios para perder peso.

Fonte: Dr. Arnaldo Cividanes, médico urologista e diretor técnico do Hospital SAHA, em São Paulo.

Mais sobre o Hospital SAHA
O SAHA (palavra que significa saúde em árabe) nasceu em novembro de 2004 já com a vocação de ser um dos melhores centros de excelência do Brasil em cirurgias minimamente invasivas. Com direção executiva de May Ganme Cividanes e direção técnica do médico Arnaldo Cividanes, o hospital ocupa seis andares do edifício Central Towers, na Bela Vista (Rua Maestro Cardim, 407), conta com UTI, modernos aparelhos de anestesia, videocirurgia e toda infraestrutura planejada para proporcionar segurança e conforto a pacientes e visitantes.

Grandes especialistas costumam preferir o Hospital SAHA para procedimentos cirúrgicos de pequeno porte, já que podem contar com um corpo de enfermagem altamente comprometido com a qualidade do serviço prestado, em um ambiente com muito menos riscos de complicações e infecções.

O Hospital SAHA é referência em cirurgia ortopédica (cirurgias vídeo-assistidas de joelho e ombro/artroscopias); ginecológica (laparoscopia, histerectomia e histeroscopia); gástrica (cirurgia bariátrica, colecistectomias e hérnias); plástica (estética e reparadora); urológica; oftalmológica e vascular. Acesse www.hospitalsaha.com.br e saiba mais.


Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário