Filmes da TV Brasil de 19 a 26 de agosto de 2017



Alba Bittencourt
Portal Splish Splash


Sábado, 19 de agosto

Uma Pistola para Djeca
16h00, na TV Brasil


Ano de estreia: 1969. Gênero: comédia. Direção: Ary Fernandes, com Amácio Mazzaropi, Nello Pinheiro, Elizabeth Hartman, Patricia Mayo, Rogério Camara.

Mazzaropi interpreta Gumercindo, um homem pobre e honesto que tem sua filha seduzida pelo filho do fazendeiro. A garota fica grávida, mas a criança é motivo de chacotas por não ter pai.


O patrão acaba expulsando o trabalhador de suas terras e Gumercindo se une à fazendeiros vizinhos para o ajuste de contas. Agora a justiça deverá ser feita, só será preciso que algum louco dê “Um Pistola para Djeca”.

Reprise. 90 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 16h00


Sábado, 19 de agosto

O Vendedor de Linguiça
23h30, na TV Brasil

Ano: 1962. Gênero: comédia. Direção: Glauco Mirko Laurelli. Argumento e produção: Amácio Mazzaropi. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Roberto Duval, Maximira Figueiredo, Amilton Fernandes, Carlos Garcia, David Neto, Maria Helena Rossignolli, Anita Sorrento. 


O humorista Amácio Mazzaropi vive um vendedor que tem que se esforçar para conquistar a freguesia. Em meio a problemas com a família, vizinhos e cachorros (que adoram roubar suas linguiças), o personagem vive diversas situações inusitadas e engraçadas.


O humorista Amácio Mazzaropi interpreta o personagem Gustavo, um vendedor de linguiça que, para conquistar sua freguesia, tem de ralar muito. Em meio a problemas com a família, vizinhos, e cachorros que adoram roubar sua linguiças, o comediante vive um banquete de situações engraçadas que vão fazer o público chorar de tanto rir.

O vendedor ambulante de linguiças todos os dias sai com seu filho Dudu (Carlos Garcia) a bordo de um pequeno caminhão e percorre os bairros da periferia de São Paulo oferecendo seu produto.


Flora (Maximira Figueiredo), filha de Gustavo, trabalha como empregada doméstica para patrões ricos e quando eles viajam, resolve passear pela cidade usando as roupas daquela família.

Durante esse passeio, a moça conhece o milionário Pierre (Amilton Fernandes) e ambos começam um namoro. Flora pega outras roupas da família e dá ao pai e ao irmão Dudu, para fazer com que eles se passem por uma família rica.

A mentira é descoberta e todos vão parar na polícia e Pierre sabe da verdade sobre a namorada através dos jornais. Mesmo assim ele quer continuar o namoro, mas a família dele tenta impedi-lo.

Entre as canções que fazem parte dos momentos musicais do filme estão "O Linguiceiro" e "Mocinho Lindo", interpretadas por Mazzaropi; "Olhar de saudade", cantada por Pery Ribeiro; "Não ponha a mão", entoada Elza Soares; e "Poema do adeus", na voz de Miltinho.

Reprise. 95 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 23h30


Segunda-feira, 21 de agosto

Por parte de Pai
23h00, na TV Brasil

Ano: 2016. Gênero: documentário. Direção: Guiomar Ramos. Produtora: Doctela.


O documentário “Por Parte de Pai” narra a história de Vítor Ramos, jornalista, ensaísta, crítico e professor que se exilou no Brasil em 1955. Dirigido por sua filha, Guiomar Ramos, o documentário inédito visita os lugares em que o jornalista morou, incluindo a casa onde este passou sua infância, na pequena vila portuguesa de Ervedal da Beira.


Com farto material de arquivo, a diretora conta a trajetória de Vítor até sua morte, causada por aneurisma cerebral em abril de 1974, dias depois de seu aniversário, que coincidiu com a Revolução dos Cravos. O falecimento repentino acaba com sua chance de voltar a Portugal após mais de 20 anos no exílio.


Cenas raras de Lisboa nos anos 40 e 50 se misturam à leitura de cartas trocadas entre Vítor e seus amigos e familiares, retratando a militância precoce no Partido Comunista Português e no MUD Juvenil, organização política de oposição ao regime salazarista. Cartas e áudios gravados por Vítor Ramos em fitas cassete e enviadas à família no período em que lecionava na Universidade de Davis, na Califórnia, são parte do documentário.


O filme reúne colegas da época, como o sociólogo, literato e professor universitário brasileiro Antonio Candido de Mello e Souza; o professor da USP Erwin Rosenthal; o jornalista e escritor português Miguel Urbano; e o pintor, artista gráfico e fotógrafo luso-brasileiro Fernando Lemos.


O funeral de Vítor Ramos mobilizou estudantes da escola de Filosofia e Ciências Humanas da USP, a FFLCH, onde ele lecionava, que transformaram a festa de comemoração da vitória contra o fascismo em uma verdadeira homenagem ao professor falecido.

Reprise. 52 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 23h00

Quarta-feira, 23 de agosto

Reidy, a Construção da Utopia
23h00, na TV Brasil

Ano: 2009. Gênero: documentário. Direção: Ana Maria Magalhães, com Lucio Costa, Carmen Portinho, Roland Castro, Paulo Mendes da Rocha. Narração de Marcello Escorel.
 

Nascido em Paris e radicado no Rio, o urbanista Affonso Eduardo Reidy é um dos pioneiros da arquitetura moderna no Brasil. Seus planos para o Rio de Janeiro moderno tiveram efeito de longa duração. Projetos como o MAM, o Aterro e o Parque do Flamengo, com os quais realizou sua utopia urbana, permanecem marcos da cidade até os dias de hoje. 


O filme “Reidy, a construção da utopia” aborda a sua trajetória desde os anos 1930 até a construção do Aterro e Parque do Flamengo, em que retoma a cidade como tema central de sua arquitetura. Com narração de Marcello Escorel, textos do próprio arquiteto contam suas alegrias, decepções e a iluminada contribuição para o Rio de Janeiro. 


Dirigido por Ana Maria Magalhães, o longa “Reidy, a construção da utopia” teve locações em São Paulo, Rio de Janeiro e Paris. Para realizar o documentário, a cineasta entrevistou  Lúcio Costa aos 93 anos e Carmen Portinho, esposa do homenageado, aos 92.

Apesar de estar pronto desde 2009, o filme estreou no circuito comercial apenas em novembro de 2011.

Reprise. 77 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 23h00


Sábado, 26 de agosto

O Grande Xerife
16h00, na TV Brasil

Ano de estreia: 1972. Gênero: comédia. Direção: Pio Zamuner, com Amácio Mazzaropi, Patricia Mayo, Paulo Bonelli, Tony Cardi, Augusto César Ribeiro.
 

Amácio Mazzaropi interpreta um viúvo pai de Mariazinha. Ele é o morador mais antigo de Vila do Céu onde vive cuidando da vida dos outros. Um dia, chega na cidade, disfarçado de padre, o bandidão João Bigode.

O maldoso mata o xerife e põe Poróroca em seu lugar. A confusão está armada e só o nosso Grande Xerife pode proteger a cidade.

Reprise. 95 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 16h00


Sábado, 26 de agosto

Casinha Pequenina
23h30, na TV Brasil

Ano: 1963. Gênero: comédia. Direção: Glauco Mirko Laurelli. Argumento e produção: Amácio Mazzaropi. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Roberto Duval, Tarcísio Meira, Edgard Franco, Astrogildo Filho, Guy Loup, Luis Gustavo, Marly Marley, Marina Freire, Ingrid Tobias.
 

Considerado a obra-prima de Mazzaropi, o filme “Casinha Pequenina” traz um elenco de estrelas e marca a estreia de Tarcísio Meira no cinema. A trama tem o fim da escravidão como pano de fundo e mostra a luta contra os interesses dos senhores de engenho.




Na época do Brasil colonial, um rico fazendeiro dono de escravos envolve seu humilde empregado em uma tramoia. O colono de bom coração e sua família entram num plano para o patrão se livrar de uma dupla de mulheres vigaristas que o chantageiam, por causa de um assassinato cometido pelo fazendeiro no passado.


Apesar desse planos, o filho do colono se envolve com uma das mulheres e renega as acusações que um amigo seu procura esclarecer.

Reprise. 95 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 23h30






Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário