Ensino de programação cresce no Brasil



Escolas como a MadCode oferecem cursos regulares com o objetivo de desenvolver a fluência tecnológica em crianças e adolescentes


A programação é hoje o que foi o inglês no passado, e será cada vez mais um diferencial para profissionais e estudantes que querem se manter atualizados sobre as mudanças e avanços que ocorrem na sociedade. Mais do que isso, será um requisito no futuro para quem quiser alcançar uma boa colocação no mercado de trabalho. Por conta disso, o ensino da programação para crianças e adolescentes está crescendo rapidamente no Brasil, com a atuação de escolas como a MadCode, uma das principais redes de ensino de programação e robótica para crianças e adolescentes, dos 5 aos 17 anos. 


A MadCode, recentemente adquirida pelo Cel.Lep, uma das maiores e mais reconhecidas escolas de idiomas do Brasil, oferece cursos que, primordialmente, ensinam lógica e linguagens computacionais. O ensino se dá por meio de projetos de programas, games e aplicativos, além de exercícios de conceitos de lógica e abstração, entre outras habilidades. 


“A tecnologia está no centro das nossas vidas. Para estar preparado para as demandas do século 21, e para tirar proveito de suas oportunidades, é essencial que crianças e jovens aprendam a programar, independentemente do campo de trabalho que desejem perseguir”, afirma Daniel Cleffi, um dos fundadores da MadCode e executivo responsável pela área de programação do grupo Cel.Lep.


Neste sentido, o ensino de programação para os jovens é prioritário na opinião de especialistas da área e de profissionais de educação, empresários e políticos no Brasil e no mundo. A fluência tecnológica já começa a ser considerada na formação do aluno, da mesma forma que o inglês trilhou seu caminho há décadas e se tornou obrigatório. 


Assim como o inglês é um idioma praticamente universal, falado no mundo todo, os códigos usados para desenvolver programas são usados universalmente. Uma pessoa que sabe programar deixa a posição passiva de mero usuário de tecnologia para a de desenvolvedor de soluções tecnológicas, passando a entender a linguagem do computador. 


“A escassez profissional nesta área é um desafio (e uma oportunidade) no mundo todo. Os EUA formou 40 mil graduandos de Ciências da Computação em 2015. O mercado ofereceu 500 mil vagas neste mesmo ano. No Brasil, o déficit profissional estimado para 2020 é de 408 mil pessoas”, destaca Cleffi. 


Sobre a MadCode – A MadCode, recentemente adquirida pelo Cel.Lep, foi fundada em 2014. Tornou-se a principal rede de Escolas e Sistema de Ensino de Programação para crianças e adolescentes com currículo plurianual desenvolvido no Brasil, atuando hoje em mais de 24 unidades próprias. Seu compromisso com a qualidade e programa pedagógico são as ferramentas para o cumprimento de sua missão de ensinar jovens (de 5 a 17 anos de idade) a transformar suas vidas por meio de coding e tecnologia, oferecendo recursos para que deixem de ser meros consumidores e passem a ser produtores de soluções.
Alda Jesus

Sobre a autora

Alda Jesus - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário