Revista Granta unificada Portugal/Brasil em 2018 com edição simultânea nos dois países

Carlos Vaz Marques, o director da revista Granta- Portugal ENRIC VIVES-RUBIO

Terá textos de autores portugueses e brasileiros sem alterações ortográfica e o fotógrafo Daniel Blaufuks passará a ter a curadoria da imagem na revista que tem Carlos Vaz Marques como director.

Lusa

A revista literária Granta - Portugal terá, a partir de 2018, uma edição única em língua portuguesa, publicada em simultâneo em Portugal e no Brasil pela Tinta-da-China, com textos de autores portugueses e brasileiros e sem alterações ortográficas.
PUB

Em declarações à Lusa, a editora portuguesa Bárbara Bulhosa apresentou esta nova vida da revista, a "Granta unificada", como "um projecto literário de língua portuguesa — de modo nenhum um projecto português", em que se manterão a periodicidade semestral e o director, o jornalista Carlos Vaz Marques.

"Creio, aliás, que não há precedente e que será a primeira vez que teremos uma revista literária com edição simultânea em Portugal e no Brasil", observou.

"Já como Granta - Portugal dávamos uma atenção especial à literatura brasileira, tendo publicado autores brasileiros em três números diferentes, [e] queremos contribuir, deste modo, para uma aproximação entre todos aqueles que se interessam pela literatura no nosso idioma, independentemente do espaço geográfico de que provêm", sublinhou.

Se o modelo da revista sempre assentou em edições temáticas em que eram encomendados textos a diversos autores, a partir de 2018, o leque de autores será bastante mais alargado, indicou Bárbara Bulhosa.

"Com a edição simultânea no Brasil e em Portugal, passaremos a convidar a cada número escritores brasileiros e portugueses, enriquecendo em muito a diversidade e o interesse da revista. Estamos, aliás, interessados em autores de todo o mundo onde se fala e escreve em língua portuguesa", referiu.

Até agora, todos os textos da Granta têm sido sempre acompanhados por uma ilustração, com um ilustrador convidado em cada número, existindo também sempre um 'portfolio' fotográfico, traduzindo visualmente o tema de cada edição pela lente de um grande fotógrafo.



A partir do número 11, anunciou a directora editorial da Tinta-da-China e Tinta-da-China Brasil, "a curadoria de imagem da Granta estará a cargo do fotógrafo Daniel Blaufuks, que já viveu no Brasil e acaba de ser distinguido em Portugal com o mais importante prémio para as artes visuais que é atribuído em Portugal, o prémio AICA".

"Estas duas particularidades visuais — a ilustração dos textos e o 'portfolio' fotográfico — dão à Granta um carácter único, tornando-a um objecto bonito e requintado, para coleccionar", observou.

A Granta- Portugal foi criada em 2013, com periodicidade semestral, e saíram até agora nove números, estando em preparação o décimo, que sairá em Outubro ainda apenas em Portugal, pelo que será o 11.º, programado para Maio de 2018, o primeiro com edição simultânea em Portugal e no Brasil.

"Na altura em que surgiu a Granta-Portugal, existia ainda uma edição brasileira da revista, que entretanto deixou de ser publicada", explicou a editora, acrescentando: "Está na altura de devolvermos a Granta aos leitores brasileiros, num projecto renovado, alargado, mais ambicioso e capaz de fazer pontes entre o Brasil e Portugal".

 
"Como marca literária internacional, a Granta foi responsável pela afirmação de grandes nomes da literatura de língua inglesa, como Salman Rushdie, Julian Barnes ou Martin Amis, [e] cada número da revista é composto em idêntica proporção por textos originais e por textos traduzidos a partir de edições da Granta noutras línguas, em particular da Granta de língua inglesa, cujo património de décadas é extraordinário", salientou.

In
https://www.publico.pt/2017/07/01/culturaipsilon/noticia/granta

Licenciada em Robertologia Aplicada e Ciências Afins. Redatora militante do Portal Splish Splash e Administradora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal.

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário