Universidade britânica empresta violino do século 19 a adolescente sírio

Aboud Kaplo teve de deixar sua casa em Aleppo e hoje vive no Líbano

Um violino do século 19 foi retirado de uma coleção de instrumentos históricos mantida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, e enviado a um jovem músico sírio que vive como refugiado.

Sean Coughlan

Aboud Kaplo, de 14 anos, teve de deixar sua casa em Aleppo por causa da guerra na Síria, e agora está morando no Líbano.

A cineasta Susie Attwood, ex-aluna de Oxford, conheceu Aboud e viu sua paixão pela música - e a falta de recursos. Foi ela quem levou a história do adolescente à instituição, que decidiu emprestar o instrumento restaurado.

O violino de fabricação alemã faz parte da Bate Collection of Musical Instruments, coleção que possui mais de 2 mil instrumentos musicais históricos e modernos, registrando seu desenvolvimento desde a Idade Média.

'Contribuição positiva'

É a primeira vez que um item da coleção será emprestado a um jovem refugiado aspirante a músico - os instrumentos podem ser usados por acadêmicos, estudantes e pesquisadores.

O curador Andy Lamb disse que, no momento em que leu sobre a situação do menino, pensou que a coleção "poderia ter algum tipo de contribuição positiva".

"Eu imediatamente tinha um instrumento em mente. Ele pertencia a uma ex-curadora, Helene Larue, uma pessoa muito generosa, e sabia que se ela teria doado o instrumento instantaneamente se tivesse sido confrontada com essa situação."

Violino do século 19 faz parte de coleção com mais de 2 mil instrumentos

E ex-aluna da faculdade de música de Oxford, Susie Attwood conheceu Aboud e sua família quando fazia um filme sobre refugiados cristãos sírios no Líbano que estavam presos em uma "existência intermediária", incapazes de encontrar trabalho ou de proporcionar educação para seus filhos.

Aboud tinha um grande interesse pela música e estava tentando aprender a tocar assistindo vídeos do YouTube e usando um violão de brinquedo.

"A vida é muito difícil para os sírios que vivem no Líbano, então ver a música oferecer esperança para alguém como Aboud é muito emocionante. Eu não poderia simplesmente deixar isso de lado", disse Attwood.

Ela entrou em contato com a universidade, e os responsáveis pela coleção imediatamente ofereceram ajuda.

"O violino não é raro ou antigo o suficiente para ser considerado um recurso precioso, mas é significativamente melhor do que um instrumento de fábrica barato e é o tipo de instrumento que emprestaríamos a um estudante aqui em Oxford", disse Lamb.palavras" como se sente: "estou tão feliz, tão animado".

"Tocar violino me ajuda a expressar meus sentimentos. Quero continuar a estudar música, tocar em um grande palco e viajar pelo mundo."

Licenciada em Robertologia Aplicada e Ciências Afins. Redatora militante do Portal Splish Splash e Administradora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal.

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário