Trabalhar em pé é nocivo e reduz produtividade, diz pesquisa


Pesquisa mostra os perigo de trabalhar em pé

90% dos trabalhadores não conseguem ficar em pé por mais de 6 horas sem sentir dores

 
Alba Bittencourt
Portal Splish Splash


São Paulo, junho de 2017 - Uma pesquisa realizada com 2.940 EPI_3.pngpessoas entre abril e maio deste ano revela o sofrimento dos brasileiros que trabalham muitas horas em pé. O estudo tem 52 páginas com dados que expõem como as dores nos pés, tornozelos e joelhos prejudicam a qualidade e a produtividade.

"O trabalho e a relação com os pés, tornozelos e joelhos" traz dados que fomentam a conscientização e alerta as empresas: 65% das pessoas não aguentam ficar mais de 3 horas em pé sem sentir dores. O número salta para 90% a partir das 6 horas ou mais. "O que preocupa é que 41% das pessoas ficam em pé ou andando por mais de 6 horas. As consequências disso são muito nocivas" alerta o fisioterapeuta Mateus Martinez, co-autor da pesquisa.
 

Dados mostram que as mulheres são as que mais sofrem. Em média, aguentam ficar em pé por apenas 2 horas e 45 minutos sem sentir dores. Os homens resistem por 3 horas e 40 minutos. Além da incidência, a intensidade das dores também cresce conforme o tempo que se fica em pé.

"Trabalhar em pé gera miséria. As consequências são: redução da produtividade, redução da qualidade, absenteísmo e até acidentes de trabalho" afirma Thomas Case, Ph.D., co-autor da pesquisa e fundador da Pés Sem Dor.

Com os resultados da pesquisa, a empresa de Thomas mira conscientizar as linhas de produção, atendentes de Shoppings e outros setores que exigem o trabalho em pé. A solução vem de palmilhas ortopédicas que distribuem o peso e corrigem a biomecânica dos pés, tornozelos e joelhos. "Dores nos membros inferiores são nocivas para o trabalhador e causam estragos econômicos para o empregador. Mesmo assim, essas dores são tratadas como algo comum e inerente ao trabalho" conclui Case, alarmado.

A pesquisa completa pode ser lida em bit.ly/PesquisaPesNoTrabalho
Mais informações sobre a empresa e as palmilhas em www.pessemdor.com.br
 




    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário