José Mourinho – Conquistou o troféu que lhe faltava no curriculum





Por: Carlos Alberto Alves
jornalistaalves@bol.com.br
Facebook
https://www.facebook.com/carlosalberto.alvessilva.9


No livro que escreveu sobre José Mourinho, o nosso bom amigo e companheiro, distinto escritor, Joel Neto, trouxe a título “José Mourinho, o Vencedor”. Eu, numa crónica publicada neste Portal Splish Splash em 17 de fevereiro de 2011, encimei “Também temos um King, mas este da bola” (http://www.portalsplishsplash.com/2011/02/tambem-temos-um-king-mas-este-da-bola.htm(http://www.portalsplishsplash.com/2011/02/tambem-temos-um-king-mas-este-da-bola.html). Ora, com o decorrer do tempo, José Mário Mourinho demonstrou, à luz de todas as realidades que era um treinador de grande capacidade para dirigir times da melhor constelação futebolística, servindo de paradigma o Benfica, Porto, Chelsea (2 vezes), Real Madrid, Inter de Milão e agora o Manchester United – Uma curta passagem pelo União de Leiria.

José Mourinho sempre se revelou um treinador ambicioso por títulos (e já foram muitos ao nível europeu e mundial), corolário da sua própria filosofia em comandar times que se enquadram na sua forma de pensar e que, consequentemente, têm como objetivo o patamar superior. Mourinho tem sido,  de facto, um vencedor, quer se goste ou não da sua maneira de ser. O seu trabalho tem sido elogiado pela esmagadora maioria de jogadores que com ele trabalharam e trabalham no atual momento no Manchester United Clube que, nesta quarta – feira, sob o comando de José Mourinho venceu a Liga Europa, título que faltava ao técnico português e ao próprio Manchester United que, deste modo, estará presente na Champions League da próxima temporada. Esse foi objetivo traçado por José Mourinho, visto que não era possível chegar a Campeão da Inglaterra (sexto lugar). Mourinho geriu o plantel com muita sabedoria (também em função de vários lesionados) e, na final ante o Ajax, foi em meu entender o melhor em campo pela tática-estratégia colocada, tão eficiente para anular a velocidade dos jovens do Ajax. Um primor de táctica só ao alcance dos grandes génios, como é Mourinho o “special one”.

E, no próximo dia 3 de junho, estamos certos de que, na final da Champions League, José Mourinho irá torcer pelo Real Madrid dos portugueses Cristiano Ronaldo, Pepe e Fábio Coentrão, jogadores que com ele trabalharam no clube merengue.

José Mourinho, o “special one”, forma com Cristiano Ronaldo uma dupla que muito tem engrandecido o nome de Portugal. E acho interessante que, em comentários que ouço aqui no Brasil nas televisões, os comentaristas usam muito o termo gajos. Sim, nós portugueses somos gajos. E a esses dois gajos o mundo do futebol se curva. Contra factos não há argumentos.
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário