Mãe é mãe em qualquer família


 
Alba Bittencourt
Portal Splish Splash


Casadas há dez anos, Priscila Harder e Juliana Offenbecker comemoram mais um Dia das Mães no próximo dia 14. Mães das gêmeas Luna e Maya, de cinco anos, elas são o primeiro casal de mulheres no Brasil a conseguir registrar duas mães nas certidões de nascimento das filhas.

Esse importante registro, entretanto, não teve um trâmite fácil. Após Priscila ter dado à luz às meninas, Juliana procurou um cartório, mas se deparou com o impedimento de figurar no documento como mãe, filiação que, na época, era restrita somente à genitora. Era maio de 2011 e o casal havia acabado de conseguir ter sua união estável reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A partir daí, Priscila e Juliana iniciavam outra longa batalha para que a Justiça atestasse que Luna e Maya tinham duas mães e nenhum pai. O caso só chegou a um final feliz quando saiu a sentença favorável ao casal em 12 de junho de 2013.


Esse foi apenas o primeiro capítulo da história dessa família que hoje é retratada em um vídeo que homenageia o Dia das Mães. No filme de 1’50”, dirigido por Adriana Yanez, as duas mães falam, emocionadas, dos aprendizados, dos bons momentos e das difíceis decisões que só a maternidade pode proporcionar. Somente no final do comercial é revelado que, na verdade, essas duas mães são um casal de mulheres que decidiram construir uma família. As duas também comentam um pouco sobre o caminho que percorreram para chegar onde estão hoje. “Quando decidimos ter [as filhas], já tínhamos passado por todos os medos”, conta Juliana. Priscila ressalta a dificuldade que envolve a escolha de ter filhos: “você não sabe como vai estar o mundo, você não sabe se elas [as filhas] vão ser aceitas...”.
 

Importante perceber que as falas delas refletem preocupações que passam pela cabeça de todos os tipos de casais. Entretanto, em vista de tantos debates sobre o “conceito de família”, que tanto frequentam a pauta da sociedade atual, os obstáculos e os momentos vividos por essas mães são realidades que jamais podem ser esquecidas. A mensagem final dessa homenagem também é algo que precisa ser sempre lembrado: “Mãe é mãe em qualquer família”. Para Mario D’Andrea, presidente da agência que idealizou o vídeo para uma marca de equipamentos fotográficos (Canon), “a história da Juliana e da Priscila é muito especial e merece ser retratada de uma forma delicada e sensível. Acho que o filme conseguiu fazer isso.”
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário