Faltam onze dias para a Competição Fórmula Drone SAE BRASIL, em Itajubá (MG)

 
Campus da UNIFEI em Itajubá, local da Competição Fórmula Drone SAE BRASIL

Competição de drones será de 19 a 21 de maio no campus da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI), sudoeste mineiro 

 
Alba Bittencourt
Portal Splish Splash


 São Paulo - Estudantes do ensino profissional técnico de nível médio fazem os últimos acertos nos drones que disputarão a Fórmula Drone SAE BRASIL 2017. A competição será realizada de 19 e 21 de maio próximo, no campus da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI), em Itajubá, Minas Gerais.

A Competição Fórmula Drone SAE BRASIL 2017 conta com 12 equipes inscritas que representam escolas técnicas dos Estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. A maioria se encontra em fase de teste de voo das aeronaves, nas dependências das próprias instituições de ensino ou em áreas próximas.

Equipe Leopoldina, do CEFET-MG, dá os toques finais no drone
                     
As equipes são formadas por até 15 alunos, que desenvolvem os projetos de drones sob a supervisão e orientação de professores de suas escolas, em resposta a desafios técnicos especificados no regulamento da competição.

Equipe Robótica Maracanã representa o CEFET-RJ na competição

Equipe Robótica Maracanã - “Tendo-se em vista que os alunos são do nível médio, tenho observado a motivação. A equipe estudou e partiu do zero para a concepção do projeto e se ocupou em fazer o drone voar, o que conseguiu realizar em menos de duas semanas”, ressalta o professor-orientador João Roberto de Toledo Quadros, da Equipe Robótica Maracanã, que representa o Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET) do Rio de Janeiro. Mestre em Ciências da Computação, professor de Informática no curso técnico de nível médio e também de Eletrônica, Processamento de Dados e Robótica de nível universitário - graduação e pós-graduação do CEFET, Quadros se diz entusiasta do projeto SAE Drone. “A competição é um elemento didático muito forte para o ensino técnico, um desafio que fez aflorar muitas capacidades na equipe”, aponta.

Equipe DronlFly - “Partimos para soluções de automação e inteligência artificial em especial no sensoriamento e processamento de dados do drone, com a perspectiva de que são missões de maior peso na pontuação da prova”, diz o professor Filipe La-Gatta, orientador da equipe Dronlfly e coordenador do curso Técnico em Eletrônica do Departamento de Educação e Tecnologia do Instituto Federal do Sudeste, campus Juiz de Fora (MG). Na avaliação de La-Gatta, a Na avaliação de La-Gatta, a Competição Fórmula Drone SAE BRASIL contribui para o aprimoramento técnico e para o amadurecimento de atitude profissional nos estudantes: “A competição tem motivado muito a equipe, adiciona a prática do conhecimento e provoca à organização de rotinas de trabalho que os alunos desconheciam além de dar a importância devida ao ensino técnico, que considero fundamental ao desenvolvimento do País”, destaca.

Equipe HeliBRA - “Nossa equipe é formada por alunos dos cursos de Informática, Eletroeletrônica, Mecânica e Mecatrônica e trabalha de forma integrada no projeto, focada em conseguir recursos para o seu desenvolvimento, na inovação e em agregar novas tecnologias para o drone voar de forma autônoma”, afirma o professor Adilson de Souza Cândido, orientador da Equipe HeliBRA, do Instituto Federal de São Paulo, campus Bragança Paulista (SP). Para o professor a Competição Drone SAE BRASIL agrega valor à formação dos estudantes. “É uma ferramenta pedagógica excepcional para a motivação do estudante, e no nosso caso fez crescer o interesse dos alunos nos cursos”, diz.

A competição - No primeiro dia da competição (19 de maio, sexta-feira) as equipes farão apresentações orais de seus projetos perante uma comissão de juízes, e esclarecerão dúvidas decorrentes da análise de relatórios técnicos previamente enviados ao Comitê Técnico da competição. Dessa etapa, denominada Competição de Projeto, resultarão pontuações importantes para a classificação geral, referentes exclusivamente a aspectos teóricos. Os dois dias subsequentes (20 e 21 de maio, sábado e domingo) são reservados às provas práticas, com baterias sucessivas de voos. Essa etapa é denominada Competição de Voo. A somatória dos pontos obtidos nas duas etapas - de Projeto e de Voo - define a classificação final das equipes.

A Competição Fórmula Drone é uma iniciativa educacional a cargo da SAE BRASIL, sociedade brasileira da tecnologia da mobilidade, com o objetivo de estimular o intercâmbio de técnicas e conhecimentos de engenharia de sistemas aplicados à operação de aeronaves tipo drone, por meio da competição entre equipes.

 “O programas estudantis da SAE BRASIL são focados na inovação e no futuro; um bom exemplo é a estreante Fórmula Drone, que desafia jovens do ensino técnico nível médio a desenvolverem protótipos dessas pequenas aeronaves que podem ser a próxima revolução tecnológica”, diz Mauro Correia, presidente da SAE BRASIL.

 Equipes inscritas

MINAS GERAIS

Equipe DronlFly - Instituto Federal (IF) Sudeste - Juiz de Fora

Equipe Optimus Drones - IF Norte de Minas - Montes Claros

Equipe Yellow Drones - Centro de Educacional Profissional (CEP) - Brazópolis

Equipe Leopoldina - Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET MG) - Leopoldina

Equipe Cefast Drones - CEFET MG Campus 1 - Belo Horizonte

SÃO PAULO

Equipe HeliBRA - IF SP - Bragança

Equipe SkyBotz Drone - IF SP - Salto

Equipe SJ Bots - IF SP - São José dos Campos

RIO DE JANEIRO

Equipe Robótica Maracanã – CEFET RJ - Maracanã

Equipe CPII Bots - Colégio Pedro II - São Cristóvão

Equipe CPII Drones - Colégio Pedro II - São Cristóvão

Equipe Angry Bodes - CEFET RJ - Nova Iguaçu

                   


    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário