Retrospecto - Roberto Carlos (27)




Por: Carlos Alberto Alves
jornalistaalves@bol.com.br
Facebook
https://www.facebook.com/carlosalberto.alvessilva.9
O MEU PRIMEIRO A a Z SOBRE ROBERTO CARLOS
Em outras temáticas, perdi a conta de quantos A a Z engendrei. Hoje, entendi que era capaz de enquadrar mais um em relação ao King Roberto Carlos. É sempre susceptível de alguma discordância um trabalho desta natureza.
A – Armindo Guimarães, administrador do Splish Splash, está triste pelo facto do King ter adiado a sua visita a Portugal, optando por um cruzeiro à Terra Santa. Na colectiva, Roberto Carlos afirmou que estaria em Portugal no ano de 2012. Para cumprir?
B – Beatles um dos mais famosos conjuntos da música pop e sempre recordados com saudade. Alguma vez, em show, Roberto Carlos cantou uma música dos Beatles? No último show, teve “champagne” de Pepino de Capri. E bem regado para os presentes.
C – Cruzeiro. A sétima edição do Projecto Emoções no Alto Mar 2011 constituiu mais um êxito absoluto, com a particularidade da colectiva com os jornalistas ser presenciada pelos participantes no evento que, manda a verdade dizer, se comportaram magnificamente, seguindo, nesse sentido, o apelo de uma das responsáveis, ligada às organizações do Roberto Carlos.
D – Doações. Quantas doações para gente carecida Roberto Carlos já fez? Ele não gosta que esta sua prática seja motivo para divulgação. E faz bem. Não necessita de se aproveitar do amor que tem pelo próximo. Fá-lo porque o seu coração é grande. E fá-lo, certamente, pensando em Lady Laura e Maria Rita, abençoadas pelo seu notável carácter.
E – Emoções. Sempre emoções em cada espectáculo de Roberto Carlos. E, agora, é habitual iniciar um show com esta belíssima canção, também uma das minhas preferidas. Eu que gosto de emoções em toda a linha.
F – Flores. Como sempre, Roberto Carlos capricha em, no final de cada show, oferecer rosas às senhoras. No cruzeiro, manteve essa prática. Os homens, esses, ficaram de novo a ver navios. Mas como atrás de um grande homem está uma grande mulher, os homens, também eles reconhecidos, aplaudiram o gesto do King.
G – Guardados. Estão, ao que se diz, guardados a “sete chaves” os segredos de Roberto Carlos, aqueles que, realmente, são do seu foro íntimo. A questão de Paula Fernandes, essa até deu para uma dose de bom humor. O resto já se sabe: o King elogiou Paula Fernandes como cantora.
H – Humildade. Fica bem aos grandes ídolos e, neste aspecto, Roberto Carlos afina pelo mesmo diapasão. É uma pessoa humilde, que sabe lidar a contento com as situações que se lhe deparam. É por isso, e pelo seu inquestionável valor como cantor, que Roberto Carlos é o maior ídolo do Brasil. E Pelé? Este já fez a sua época, ao invés de Roberto Carlos que será eternamente o King. King, forever!
I – Imprensa. A mídia está sempre presente em qualquer evento em que Roberto Carlos participa, ou melhor, organiza, porque o King tem a sua própria empresa e não necessita de caronas para se exibir. Rei é Rei e está tudo dito.
J – Jogos. Aqui somos nós a questionar Roberto Carlos: você gosta de jogos? De futebol, temos a certeza. E se não vai aos estádios é porque, por tudo aquilo que temos aqui falado, a sua condição não permite. Não é fácil a Roberto Carlos passar despercebido num estádio de futebol. Aí apareceriam, aglomerados de caçadores de autógrafos.
E como vai o nosso Vasco da Gama? Parece que temos um técnico que é capaz de dar a volta ao texto.
K – Karaoke. Tivemos, recentemente, para dar um ar de graça, Karaoke de Roberto Carlos no Splish Splash. Quiçá uma forma de entreter o visitante até que, no maior Portal do mundo, entrassem novos assuntos, incluindo os meus. Tentei o Karaoke, mas cheguei à conclusão de que faltava tudo: jeito, voz, e sentido de dança. Fiquei pelas boas intenções.
L – Laranjas. Creio que, à semelhança do que já aconteceu com alguns artistas, Roberto Carlos nunca apanhou com laranjas num espectáculo, em sinal de protesto. Aliás, fazer uma desfeita destas ao KING seria recriminável em toda a acepção da palavra.
M – Maestro. Eduardo Lages acompanha Roberto Carlos há 30 anos. Uma vida entre os dois. Uma amizade que, em cada espectáculo, Roberto Carlos refere. De facto, e mais uma vez afirmo, Eduardo Lages é, indiscutivelmente, o “outro lado de Roberto Carlos”.
N – Navegar. O King gosta, quando lhe sobra tempo, de navegar no seu iate Lady Laura. Creio que, futuramente, é capaz de convidar alguma mídia para uma colectiva. Não é preciso ir muito longe. Atravessar o canal entre Copacabana e Niterói é o suficiente. Lady Laura não é um iate qualquer.
O – Orquestra. Roberto Carlos tem ao seu dispor uma grande orquestra (RC 9, que na verdade são 17), superiormente dirigida, conforme já referimos. São músicos fantásticos. Uma grande família. E lá está o genro do Roberto Carlos. Como o “rapaz” toca bem no violão. Já agora, “rapaz”, como chamas o Roberto Carlos? King ou sogro?
P – Portugal. Roberto, Roberto, toma juízo. Eu sei que tens juízo para dar e vender, mas olha que os portugueses andam tristes contigo, dizem que “roeste a corda”, que este ano era a vez de Portugal e viraste agulhas para a Terra Santa. Roberto, Roberto, não falhes 2012 com os portugas. Carago, eu também sou portuga.
Q – Questionar. É sempre importante questionar Roberto Carlos nas colectivas, não lhe dando hipóteses de fuga. Isso voltou a acontecer no Costa Serena. E de tudo, o mais importante, quanto a mim, foi aquela revelação de que a amizade com Erasmo Carlos não sofreu qualquer abanão. Sobre isso houve, de facto, alguma especulação.
Aquela das fugidinhas, já deu que falar e correu alguma tinta.
R – Rita. Maria Rita foi a grande paixão de Roberto Carlos, amorosamente falando. Por ela, Roberto Carlos fez de tudo. É por isso que se diz que o King já passou por momentos bem difíceis na sua vida.
Resta saber se, aos 70 anos de idade, aparecerá um novo amor na vida de Roberto Carlos. Há muita mulher na corrida, mas desconhecemos quem está na post position. Óbvio que o King sabe, para mais que afirmou, recentemente, que o amor está chegando.
S – Sexo. O King já disse que adora sexo, mas por amor, com química. Na coletiva a bordo do Costa Serena, Roberto Carlos foi metralhado com várias perguntas sobre sexo. Defendeu-se bem, nunca faltando uma pitada do seu belo humor.
T – Trabalho. É o que não falta a Roberto Carlos, mantendo sempre esse espírito com gravações, elaboração de textos musicais, enfim, o seu verdadeiro “métier”. Ele denota total capacidade para concretizar os seus objectivos.
U – Urca. Dizem que o King quando passa na Urca é sempre saudado efusivamente pelos transeuntes. E haverá algum lugar onde Roberto Carlos não seja aplaudido? Cremos que não existe. É uma figura tão popular que até os melrinhos cantam à sua passagem.
V – Viña Del Mar. Mais um grande êxito de Roberto Carlos em no Festival de Viña Delmar, no Chile. Noventa minutos de show, recebendo valiosos prémios em ouro e prata. O King deixou toda a sua performance em Viña Del Mar.
W – Wandarleia. Continua a ser uma das suas grandes amigas, amizade essa que remonta ao tempo da Jovem Guarda. Acresce dizer que a Jovem Guarda, para além de descobrir talentos, serviu também para criar amizades entre os artistas, o que às vezes não é muito fácil, sobretudo quando, entre eles, existe a tal ciumeira. Penso que o Brasil é um dos poucos países onde essa ciumeira não grassa. Pelo menos, não é visível.
X – Xixi. Num espectáculo ao vivo alguma vez Roberto Carlos o interrompeu para fazer xixi? Lembro-me há uns anos atrás de um artista que, a meio do espectáculo, pediu licença ao público para ir ao WC. E lá foi. Mas, segundo as más línguas, o palco cheirava mesmo a merda...
Y – Yesterday. Ontem e hoje o King canta com sucesso um dos maiores êxitos dos Beatles e que segundo o Guiness Book, é a canção mais regravada da história, tendo sido regravada por outros cantores mais de três mil vezes.
Z – Zunga. Zarpou Zunga para algures sem dar conhecimento a ninguém? Cremos que não. O King tem uma postura que sempre merece os maiores encómios. Ele agora pode zarpar no seu jatinho, mas nunca irá sozinho, a não ser que aprenda a pilotar o avião, o que não é tarefa fácil.
Carlos Alberto Alves

Sobre o autor

Carlos Alberto Alves - Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Colabora semanalmente no programa Rádio Face, da Rádio Ratel, dos Açores. Leia Mais sobre o autor...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário