ÀS QUINTAS - FEIRAS - Roberto Carlos na berlinda




Por: Carlos Alberto Alves
jornalistaalves@bol.com.br
Facebook
https://www.facebook.com/carlosalberto.alvessilva.9
Com o sucesso de ROBERTO CARLOS o cinema corteja o ídolo maior, solteiro, cobiçado e disputadíssimo pelas fãs, também invejado, corria o risco de ser agredido na porta dos teatros e auditórios, por sua maneira debochado de se referir a sua liberdade, estava na hora para tudo aquilo ser registrado pelo cinema.
Para proteger ROBERTO CARLOS, seu escritório às vezes precisava solicitar ajuda do Corpo de Bombeiros e da Polícia Civil e Militar, além dos soldados do Exercito, eram obrigados a formar cordões de isolamento para o cantor poder sair do teatro Record e chegar ao carro.
ROBERTO CARLOS quando foi convidado para fazer o primeiro filme, respondeu que não tinha interesse de deixar o palco pela a telona.
ROBERTO CARLOS chegou a dizer que cuidava de tantos detalhes de sua carreira que exigia muita atenção quanto uma namorada, muito embora oficialmente não pudesse namorar de acordo com um contrato com seu empresário, que impedia até de aparecer abraçado com qualquer uma das fãs.
ROBERTO CARLOS, REI por aclamação, fazia no início de sua carreira shows beneficentes com freqüência, quase igual a shows pagos.
ROBERTO CARLOS foi coroado REI da Juventude com uma coroa imitando a do Rei Luiz da França, fantasia premiada no carnaval cariosa.
Para ROBERTO CARLOS ser coroado como REI da Juventude no programa do saudoso Chacrinha foi preciso dois batalhões de choque da Polícia Militar para recepcioná-lo?

Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Atualmente com site próprio (http://jornalistacarlosalbertoalves.blogspot.com) e contribuidor diário no Portal Splish Splash e no site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. jornalistaalves@bol.com.br

Compartilhar Google Plus
    Comentários

1 comentários :