Sesc Sorocaba promove grande encontro de maracatu


Felipe Shikama 

Entre sexta-feira (24) e domingo (26), o Sesc Sorocaba sedia a 3ª edição do Xirê Mukumby de Maracatu, que contará com oficinas de maracatu, ensaios abertos de batuqueiros e bate-papo com mestres de Recife (PE). Todas as atividades são gratuitas e não exigem inscrição prévia. O Sesc fica na rua Barão de Piratininga, 555, Jardim Faculdade.

A programação especial voltada ao maracatu -- dança folclórica e ritmo musical tombados como Patrimônio Imaterial da Humanidade -- contará com o grupo anfitrião Maracatu Mukumby de Sorocaba e convidados que compõem os grupos Nação do Maracatu Porto Rico, Nação do Maracatu Encanto do Pina e Baque Mulher Recife, todas do bairro de Pina, em Pernambuco.

A abertura do evento ocorre na sexta, às 19h, no anfiteatro da unidade, com oficina de maracatu aberta a todos os interessados. A atividade com batuqueiros das Nações do Maracatu Porto Rico e Encanto do Pina vai envolver o aprendizado do toque de cada instrumento do maracatu, cantos e dança.

No sábado (25), às 14h, na área de convivência, o evento prossegue com o bate-papo "Na gira com os mestres", com mediação do mestre Chacon Viana e da mestra Joana Cavalcante. Na roda de conversa, os palestrantes vão falar sobre cultura e religiosidade de matriz africana no Brasil. Ainda no sábado, às 17h, o anfiteatro sedia um ensaio aberto com presença dos mestres convidados e todos os batuqueiros interessados.

Já o encerramento do encontro ocorre no domingo, às 17h, quando todos os participantes serão convidados a realizar uma apresentação coletiva, com participação especial dos batuqueiros vindos das nações Baiana Rica e Dama do Paço, regida pelos mestres das nações.

Um dos responsáveis por fundar em Sorocaba o grupo Maracatu Mukumby, em 2013, o músico e arte-educador Rafa Poujo destaca que atualmente existem grupos de maracatu em todas as partes do Brasil e até no exterior. Segundo ele, dezenas de batuqueiros de pelo menos sete estados do Brasil deverão se reunir pelo terceiro ano consecutivo em Sorocaba, tanto para aprender quanto para celebrar o toque das alfaias. 

"Esse tipo de encontro é uma oportunidade de trocar informações diretamente com os mestres das nações de Pernambuco, de participar da vivência do ensino musical e de celebrar o maracatu que vai muito além da parte musical. Ele também funciona como uma importante ferramenta social", comemora.

In:http://www.jornalcruzeiro.com.br

Administradora e Redatora do Portal Splish Splash. Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal.

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário