Peça de bailarina parte do fado para congregar palavra e movimento

A bailarina Mariana Muniz encena 'Fados e Outros Afins'
IARA BIDERMAN
COLABORAÇÃO PARA FOLHA

Em uma viagem a Portugal, a bailarina pernambucana Mariana Muniz teve um insight: "Era como se estivesse visitando papai e mamãe".

A epifania, conta, surgiu ao mergulhar nos sons do fado, música típica de Portugal, mas, segundo algumas teorias, criada no Brasil e levada à Europa pela Corte lusa.

Em "Fados e Outros Afins", em cartaz na SP Escola de Arte, Muniz faz a viagem reversa, de Lisboa para o Recife.

Quase destino ("tudo isso é fado"), Muniz foi assistir à peça "Cabras", dirigida por Maria Thaís, quando começava a pensar em uma coreografia ligada ao gênero musical. "Vi que era pessoa perfeita para me dirigir".

Além da origem comum nordestina (Thaís é baiana), a diretora tem o dom, diz Muniz, de misturar palavra e movimento de forma orgânica.

Além de fados, a viagem coreográfica é acompanhada de músicas "afins", como "Cais", de Milton Nascimento, e poemas, como "Pregão Turístico do Recife", de João Cabral de Melo Neto, e trechos de Fernando Pessoa.

Pessoa é a voz de fundo de todo o espetáculo, não só nos trechos declamados como em músicas, como "O Sino de Minha Aldeia", na voz do português António Zambujo.

Os escritos do poeta português também influenciam o clima da dança, nada saudosista, segundo Muniz: "Pessoa escreveu que 'O fado não é alegre nem triste, é o cansaço da alma forte'".

FADOS E OUTROS AFINS
QUANDO de 11/3 a 26/3; sáb. e seg., às 21h; dom., às 19h
ONDE SP Escola de Teatro, pça. Roosevelt, 210, tel. (11) 3775-8600
QUANTO R$ 15; livre 

In:Folha.Uol
Carmen Augusta

Sobre a autora

Carmen Augusta - Administradora e Redatora do Portal Splish Splash. Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário