Jovem sorocabano é selecionado para estudar música em faculdade da Alemanha

Além do sorocabano, apenas um alemão e dois taiwaneses foram selecionados neste ano para frequentar o bacharelado em oboé 

Felipe Shikama 

O jovem músico sorocabano Franklin Souza, de 22 anos, acaba de ser selecionado para estudar em uma das mais respeitadas faculdades de música do mundo, a Hanns Eisler, em Berlim, na Alemanha. 

Virtuose do oboé, Franklin conquistou a cobiçada vaga depois de passar por uma bateria de testes presenciais perante uma temida e rigorosa banca de professores. "É como se um jogador de futebol fosse selecionado para jogar no Barcelona. Para um músico, é muito gratificante, ainda mais sendo do Brasil, onde a música erudita não é tão valorizada", comemora.

Franklin destaca que a Hanns Eisler é considerada uma das melhores instituições de ensino musical do mundo porque está situada no berço da música erudita e conta com estrutura e professores de excelência.

Além do sorocabano, apenas um alemão e dois taiwaneses foram selecionados neste ano para frequentar o bacharelado em oboé. Aliás, desde sua fundação em 1950, foram pouquíssimos os músicos do Brasil que frequentaram a instituição. Um dos ex-alunos brasileiros mais destacados é Luiz Felipe Coelho, que atualmente ocupa o posto de primeiro violinista da Orquestra Filarmônica de Berlim.

As provas de Franklin ocorreram em janeiro e as aulas têm início previsto para abril. Embora esteja com a vaga garantida, ele e sua família ainda se desdobram para conseguir os recursos financeiros necessários para custear a passagem aérea e hospedagem. 

"Uma parte está garantida graças a alguns empresários da cidade, que estão sendo verdadeiros mecenas", comenta, destacando que pessoas que estiverem dispostas a contribuir podem entrar em contato pelo e-mail franklin.music@hotmail.com.

Para conquistar a disputada vaga, Franklin precisou impressionar os examinadores e decidiu interpretar três peças de altíssimo grau de dificuldade, de estilos e períodos históricos diferentes: Partita, do barroco Johann Sebastian Bach (1685-1750), Concerto em Dó maior, do clássico Joseph Haydn (1732-1809) e Concerto para oboé, do romântico Richard Strauss (1864-1949). "Eu decidi decorar e tocar sem ler a partitura para dar um impacto maior", comenta.

Uma vida inteira de estudos

Dono de um ouvido absoluto, como é chamada a rara capacidade de identificar nota musical de qualquer som, sem a necessidade de qualquer instrumento como referência, Franklin Souza não encontrou grandes dificuldades no exame de percepção auditiva, mas precisou provar sua desenvoltura ao piano, instrumento que estudou na adolescência no Conservatório João Baptista Julião, de Sorocaba. "O processo de seleção é muito difícil. [A preparação] leva uma vida toda pra passar", comenta, destacando que a peneira ainda incluiu testes teóricos e de canto.

Solista premiado em vários festivais do Brasil e formado em Oboé pelo Instituto Municipal de Música de Sorocaba (IMMS), Franklin começou a estudar flauta doce com apenas 3 anos de idade, com o próprio pai, também músico, e desde então, vem se preparando para realizar o sonho que alimenta desde a infância: integrar a Orquestra Filarmônica de Berlim. "Quando eu e minhas irmãs [também musicistas] começamos a estudar, nosso pai nos incentivava passando no videocassete apresentações da Filarmônica de Berlim, que é incomparável. E o melhor caminho para entrar lá, é estar estudando em Berlim, pertinho do Olimpo", comenta.

No ano passado, Franklin Souza foi um 32 candidatos do programa Prelúdio, da TV Cultura, e venceu o Concurso Jovens Solistas da Orquestra Experimental de Repertório. Por dois anos consecutivos, 2012 e 2013, o músico conquistou o primeiro lugar do Concurso Jovens Solistas Maestro Eleazar de Carvalho, um dos mais importantes do Brasil.

In:http://www.jornalcruzeiro.com.br

Administradora e Redatora do Portal Splish Splash. Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal.

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário