O que os amigos gostariam de ver







Por: Carlos Alberto Alves
jornalistaalves@bol.com.br
Facebook
https://www.facebook.com/carlosalberto.alvessilva.9
Tudo tem a ver com a fotografia que aqui se insere e que foi “roubartilhada” da página de um gajo que também dizem ser o cara. A verdade, nua e crua, é que o gajo dá a cara em muita coisa, corolário da sua capacidade e por ser um atrevido por excelência. Quem lhe sabe ler a cartilha é o tal “Zé da Pipa” que o venera, embora por vezes o considere um “chatinho da Silva”. Ele que não é Silva, não é Braga. É sim senhor Gonçalves sem ser parente do tal Vasco Gonçalves e Guimarães sem nunca ter dado um beijo na estátua do D. Afonso Henriques.
Um gajo que dá a cara. Ora bem, da cara sorridente, da cara que, em certas ocasiões, parece um “Santo António”. E gosta de dar a cara a tocar castanholas e a exibir-se com o status de Mágico ou Ilusionista. Esta definição, mais real e concreta, deixo para o seu amigo Hubert Mágico.
Magia, castanholas, borboletas e muito mais coisas que ele abarca na magnitude do seu talento, daí que os amigos gostariam de o ver num palco em show ao lado do rei Roberto Carlos.
Nesta entrada para a ficção, eu seria, quiçá, o empresário ideal. Contratava os dois (naturalmente, que o “cachet” do Roberto seria mais elevado) para show no Brasil e em Portugal. Bonito quadro, ideia brilhante do gajo que é conhecido por “o ilhas” e agora, por magia, transformado em empresário. Muito bem um show no Rio onde Roberto Carlos reside. Rio a sua verdadeira paixão, mas, como se sabe, e entrando agora no âmbito empresarial e não só, Robertinho também gosta de São Paulo. Bom... De um passamos para dois shows, com este enquadramento: na primeira – parte o gajo do carago, o senhor Gonçalves Guimarães, com o seu ilusionismo, acompanhado pelas “pombinhas da Catrina” e as suas mais bonitas borboletas. Depois, na segunda – parte, mais prolongada em tempo, Roberto Carlos com canções do tempo da Jovem Guarda. Nas últimas três, chamaria ao palco o Gonçalves Guimarães para acompanhá-lo com as suas famigeradas castanholas. Seria, entretanto, uma atuação a três, isto é, com o maestro Eduardo Lages dedilhando no piano. E o show de Portugal? A situação é complicada, porque, na verdade, sendo o Gonçalves Guimarães, artista “made in arábias”, residente no Porto, óbvio que tinha mesmo que ser ali, na casa do “profeta” conhecido por gajo do carago. E Lisboa, a capital, ficaria de fora? Não podia. O empresário, que também é conhecido por “Carlinhos da viola”, arriscava mais um espetáculo na velha Lisboa, dos teatros e cafés e de outras coisas maravilhosas, como, por exemplo, as mais conhecidas discotecas aonde, em tempos idos, o empresário passava grandes noites após terminar a sua missão jornalística. Por conseguinte, dois shows no Brasil e outros dois em Portugal. Toda a minha gente de acordo. O “cachet” do Robertinho assegurado (e pago adiantado) e, quanto ao “artista convidado”, com artes mágicas e castanholas, só receberia se, efetivamente, correspondesse aos anseios dos muitos amigos e, claro, não “envergonhasse” o Robertinho em pleno palco. Mas, como o gajo é um descarado por natureza, acreditamos no seu sucesso e que, no final, o Robertinho exclamaria: “valeu, meu fã, meu amigo, rei das borboletas”. E esta, heim!

Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Atualmente com site próprio (http://jornalistacarlosalbertoalves.blogspot.com) e contribuidor diário no Portal Splish Splash e no site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. jornalistaalves@bol.com.br

Compartilhar Google Plus
    Comentários

7 comentários :

  1. Com certeza esses shows seriam um tremendo sucesso, só que o distinto empresário Carlos Alberto esqueceu-se de colocar na Agenda dois ou mais shows em Porto Alegre/RS/Brasil, onde esses dois queridos Gajos são muito amados e possuem mais de um milhão de fãs. Seria um delírio Mindocarlístico!

    ResponderEliminar
  2. Pensei em Canoas, mas, segundo apurei, não havia espaço com capacidade para 40 mil pessoas, a média de cada um desses shows.

    ResponderEliminar
  3. Caríssimo Sr. Carlos Alberto Alves, a avaliar pelos dotes que lhe são peculiares ao nível literário e outros que tais, não duvido que no que se refere à organização de eventos e representação de artistas de gabarito como é o caso do NMQT e da minha pessoa, tais dotes se revelem pela mesma classe, porém, tratando-se, como é o caso, de artistas do mesmo nível internacional, não se percebe que o cachet que se propõe pagar seja diferente para um e para outro.
    Também não colhe o argumento utilizado pelo Sr. Ilhas para não viabilizar o pedido da menina Alba da nossa (minha e do NMQT) presença em Canoas pelo facto de não existir espaço com capacidade para 40 mil pessoas, já que o que não for possível realizar-se num dia pode muito bem realizar-se em 2 ou mais dias.
    Assim sendo, desde que o digníssimo empresário artístico reveja tais desideratos, informo que a minha agenda está disponível a partir de Setembro de 2018.
    Atentamente e ao dispor
    ARGUIMAR
    O Mágico mais melhor bom do mundo e arredores!

    ResponderEliminar
  4. Ena, Pá!
    Engraçado, cs conversam entre si sobre este assunto do gajo mágico e nem pra falar comigo, héin? Uai! Também quero vê-lo!! Quando é que ele virá a Belo Horizonte?
    O Mineirão tá reformado e lugar é que não vai faltar, rsrsr
    Abraços Robertocarlísticos!!!
    Bottary

    ResponderEliminar
  5. Amigo Bottary, para o efeito, será o meu representante em Belo Horizonte. Contudo, em relação ao gajo do carago, tem que arranjar uma hospedaria onde tenha muitas borboletas de várias cores.
    Abraços robertocarlísticos

    ResponderEliminar
  6. Prezado Carlos Alberto,
    Tomarei as providências necessárias, inclusive quanto ao local da hospedagem. A bem da verdade, parece que na Lagoa da Pampulha é um local mais apropriado para o gajo!
    Não vejo a hora!!!
    Bottary

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Bottary, como vê o meu empresário artístico é pródigo na resposta. Já vi que o meu amigo Bottary já resolveu o importante problema do espaço para o show, porém, espero que não se esqueça de outro não menos importante que é o da hospedaria para alojar as muitas borboletas que deverão voar no palco enquanto o Grande Mágico Arguimar e o NMQT estiveram a atuar. Grande abraço.

      Eliminar