Da terra para o mar sem o número 13?




Por: Carlos Alberto Alves
jornalistaalves@bol.com.br
Facebook
https://www.facebook.com/carlosalberto.alvessilva.9
Quando foi anunciado que, neste ano de 2017, Roberto Carlos mudaria o Projeto Emoções em Alto Mar por um resort na Praia do Forte, litoral da Bahia, conversei com algumas pessoas amigas e que participaram em várias edições do Projeto Emoções. Questionei as mesmas sobre um eventual encontro entre os “habitués” do mar. As respostas, porém, incidiram no mesmo: não é a mesma coisa, preferimos o mar. E as que por mim foram contatadas adiantaram que, apesar de venerarem o rei, não iriam estar presentes.
O resort terminou neste sábado, mas, antes, na coletiva, Roberto anunciou que o cruzeiro voltará em 2018. Esta uma notícia que agradou a muitos fãs, nomeadamente aqueles que lá estiveram e os que, pelo que atrás referimos, não encararam esta mudança de 2017 com bons olhos e que teve como argumento a subida do dólar. Para esses, certamente uma dupla satisfação o retorno ao mar, após ter sido concluída a décima-segunda edição. Ora, sabendo-se que Roberto é supersticioso com o treze, muito provavelmente passará para a décima-quarta edição. E até poderá ser argumentado que o 13 andou pelo resort. De uma forma ou de outra (13 ou 14?), o que interessa, fundamentalmente, é que o Projeto Emoções volta ao mar em 2018 para gáudio da maioria dos fãs que sempre presenteiam Roberto Carlos com as suas presenças.
Estive em duas coletivas do rei (2011 e 2012) em representação deste Portal Luso – Brasileiro Splish Splash e fiquei com a inteira noção de que pelo mar tem mais encanto. O ajuntamento dos fãs, as amizades que se criam, enfim, é um diferente aliciante. E sabe-se, também, que Roberto é fascinado pelo mar e que, frisamos, a mudança do mar para terra teve a ver com a subida do dólar.

Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Atualmente com site próprio (http://jornalistacarlosalbertoalves.blogspot.com) e contribuidor diário no Portal Splish Splash e no site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. jornalistaalves@bol.com.br

Compartilhar Google Plus
    Comentários

2 comentários :

  1. Eu já disse ao NMQT que era fácil resolver esse problema do 13 na contagem do Projeto Emoções, como resolvemos com a numeração dos nossos bate-papos. Quando chegamos ao 12.º, passamos para o 12.º+1 e depois para o 14.º. É que a passagem simples do 12.º para o 14.º não resolve o problema pois para todos os efeitos fica o 14 a ocupar também a posição do 13, o que significa que ele está sempre lá quer queiram, quer não, ao passo que com o esquema que me levou 13 meses a descobrir não há esse problema já que ao 13 é dado o bonito nome de décimo segundo mais um e não se fala mais nisso. Abraço robertocarlistico!

    ResponderEliminar
  2. Resolvemos isso numa sessão de ilusionismo eh, eh, eh

    ResponderEliminar