Tocqueville descreve a Revolução Francesa para leigos


Em O Antigo Regime e a Revolução, o autor apresenta as características do movimento que contribuiu com o fim da monarquia da França

                                                                                                                              
 Alda Jesus
 Portal Splish Splash

No século XIX, ao analisar a sociedade francesa antes de sua revolução, Alexis de Tocqueville escreve o livro ´O Antigo Regime e a Revolução´. Publicado em 1856, o título demonstra o comportamento que precede a insurreição contra monarquia absoluta que comandava o país.

A Edipro trouxe a obra clássica às livrarias, que oportunamente pode auxiliar estudantes de história e os interessados neste gênero literário, a conhecer a deterioração das instituições de um regime monárquico e um tanto retrógrado.

Com uma linguagem clara e concisa, Tocqueville prefere transferir suas ideias desta maneira do que de forma erudita, porém não deixa de utilizar conceitos e fontes de especialistas. Neste sentido, transforma os aprendizados em uma literatura para que os leigos também consigam entender.

Esta obra tem a intenção de demonstrar que apesar do conservadorismo que pairava na época, a monarquia sucumbiu à revolução. E, a partir disso, as pessoas começaram a se politizar, não apenas na França, mas pelo mundo inteiro.

Outro fator importante destacado é que esses movimentos estavam desprendidos de religiosidade, viam o Clero e a Igreja como parte da Aristocracia, por isso os representantes do movimento revolucionário acreditavam que a religião deveria ser desassociada do Estado.

A composição de Tocqueville privilegia a coerência lógica e explicativa aos planos cronológico e narrativo, e compõe-se de três Livros: o primeiro traz uma definição sobre o que foi a Revolução de 1789 e o seu caráter; o segundo, uma exposição das causas de longa duração para o fenômeno, como as precondições da Revolução; o terceiro Livro, enfim, apresenta as causas precipitantes. Um estudo eloquente e instrutivo que aborda questões ainda urgentes na atualidade, como a liberdade, o nacionalismo e a justiça.

Sobre o autor: Alexis de Tocqueville (1805 – 1859) nasceu Alexis-Henri-Charles Clérel, em uma família aristocrática francesa. O conde de Tocqueville foi filósofo político, sociólogo da democracia moderna, historiador do Antigo Regime, estadista e escritor. Tendo vivido no período mais crítico da história francesa, foi um defensor da liberdade e da democracia. Em 1856, no momento em que publico O Antigo Regime e a Revolução, já era um escritor político consagrado e um estadista de considerável experiência – fora deputado entre 1830 e 1851, e ministro dos Assuntos Estrangeiros em 1849. Considerado um dos grandes teóricos da democracia americana, especulou sobre a natureza essencial da própria democracia: suas vantagens e seus perigos. A democracia na América, sua obra mais célebre, publicada em dois volumes (1835 e 1840), garantiu-lhe um título tão honroso quanto o ingresso na prestigiosa Academia Francesa (em 1842), o título de “moderno Montesquieu”. A questão que intrigou esse historiador tardio foi sempre a mesma: “Por que a marcha da civilização ocidental rumo à democracia assumiu formas revolucionárias na França?”. Tocqueville faleceu em Cannes, no sul da França, no dia 18 de abril de 1859. As suas obras incluem ainda Du système pénitentiaire aux États-Unis et de son application em France, publicada em 1833.

Ficha técnica:

Editora: Edipro
Preço: R$ 49,00
ISBN: 9788572839822
Edição: 1ª edição, 2016
Tamanho: 23x16 cm
Número de páginas: 272

Licenciada em Robertologia Aplicada e Ciências Afins. Redatora militante do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal.

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário