Cartilha convida professores e alunos a conhecer a Mata Atlântica


Publicação “Aqui tem Mata?”, da Fundação SOS Mata Atlântica, quer estimular o uso do site no ensino fundamental

 
Alba Bittencourt
Portal Splish Splash

A Fundação SOS Mata Atlântica acaba de lançar a cartilha “Aqui tem Mata?”, um guia que busca estimular os diálogos socioambientais nos espaços escolares a partir da descoberta da Mata Atlântica – sua história, biodiversidade e a importância de protegê-la.

A publicação é baseada no site de mesmo nome (www.aquitemmata.org.br), que disponibiliza, por meio de mapas e gráficos, o estado de conservação de florestas, mangues, restingas e outros ambientes da Mata Atlântica nos 3.429 municípios do bioma. A proposta da cartilha é ser um material complementar ao site e que incentive a consulta e uso dessas informações por educadores, com sugestões de exercícios e abordagens dessas temáticas em aula.

Com linguagem leve e acessível, a publicação é voltada para professores e alunos do ensino fundamental, mas também pode ser utilizada por qualquer educador interessado no tema. O guia está disponível para download em: www.sosma.org.br/publicacoes.

 “O nosso objetivo com a cartilha é o de estimular o uso do site no ensino fundamental, especialmente nas disciplinas de Ciências, Biologia, História e Geografia. Mas é muito importante lembrar que qualquer pessoa pode consultá-lo, para saber como está a conservação da Mata Atlântica em sua cidade”, afirma a diretora executiva da Fundação SOS Mata Atlântica, Marcia Hirota.

No site,  basta inserir o nome de um município para descobrir o que resta de vegetação, as bacias hidrográficas e as áreas protegidas da região. “O objetivo é tornar acessível tais informações e permitir que as pessoas possam utilizar os dados com a finalidade de educar e promover a defesa da floresta”, diz Patricia Ferreti, educadora ambiental da Fundação SOS Mata Atlântica.

A Mata Atlântica está presente em 17 estados brasileiros e faz parte do dia a dia da população. Para Kelly De Marchi, também educadora ambiental da Fundação, o trabalho desenvolvido pelo “Aqui Tem Mata?” auxilia no desenvolvimento da consciência ambiental. “É importante que os estudantes tenham a percepção de que a Mata Atlântica é a nossa casa, está presente até mesmo no nosso bairro, e que aprendam a protegê-la”, diz.

A Mata Atlântica nas cidades

Os dados mais recentes, divulgados em dezembro pelo Atlas dos Municípios da Mata Atlântica, mostram que Piauí, Santa Catarina e Minas Gerais reúnem as cidades mais conservadas, como Tamboril do Piauí e Guaribas, ambos no Piauí, no topo da lista, com quase 96% do total natural preservado. Outro município piauiense, no entanto, lidera o ranking de desmatamento entre 2014 e 2015: Alvorada do Gurguéia perdeu 1.972 de hectares de Mata Atlântica no período. A iniciativa tem o patrocínio de Bradesco Cartões e a execução técnica da empresa de geotecnologia  Arcplan. Para saber mais, acesse: http://bit.ly/atlas-16.

Sobre a SOS Mata Atlântica

A Fundação SOS Mata Atlântica é uma ONG brasileira que atua há 30 anos na proteção dessa que é a floresta mais ameaçada do país. A ONG realiza diversos projetos nas áreas de monitoramento e restauração da Mata Atlântica, proteção do mar e da costa, políticas públicas e melhorias das leis ambientais, educação ambiental, campanhas sobre o meio ambiente, apoio a reservas e unidades de conservação, dentre outros. Todas essas ações contribuem para a qualidade de vida, já que vivem na Mata Atlântica mais de 72% da população brasileira. Os projetos e campanhas da ONG dependem da ajuda de pessoas e empresas para continuar a existir. Saiba como você pode ajudar em www.sosma.org.br/apoie.

Informações à imprensa
Fundação SOS Mata Atlântica
Máquina Cohn & Wolfe
sosma@maquinacw.com
Alberto Komatsu - (11) 3147-7487
Debora Dias - (11) 3147 7237
Elder Monteiro – (11) 3147-7259
Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário